PUBLICIDADE
Topo

Enem

1ª fase da Fuvest 2021 tem questões sobre TikTok e game Among Us

10.jan.2020 - Estudantes e acompanhantes se aglomeram e não fazem distanciamento na porta de entrada do prédio da PUC de Campinas no dia em que é aplicada a prova da primeira fase da Fuvest - Leandro Ferreira/Fotoarena/Estadão Conteúdo
10.jan.2020 - Estudantes e acompanhantes se aglomeram e não fazem distanciamento na porta de entrada do prédio da PUC de Campinas no dia em que é aplicada a prova da primeira fase da Fuvest Imagem: Leandro Ferreira/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Guilherme Botacini

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/01/2021 20h49Atualizada em 11/01/2021 08h01

O primeiro dia de prova da Fuvest, exame que dá acesso à USP (Universidade de São Paulo), teve questões que abordaram a rede social Tiktok e o game Among Us, que se popularizou durante a pandemia e atingiu a marca de mais de meio bilhão de jogadores. Confira a correção comentada feita pelo Objetivo.

Sem questões polêmicas, a prova foi considerada tradicional por professores de cursinho ouvidos pela reportagem, embora temas clássicos tenham aparecido misturados com questões bastante atuais, como as redes sociais e o acordo entre o Mercosul e a União Europeia.

"Foi uma prova de padrão Fuvest, de excelente nível, que exigiu preparo do estudante. É uma prova trabalhosa, que pedia leitura atenta, reflexão e repertório do vestibulando", diz Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora do Curso Objetivo.

"Foi uma prova acessível, de nível médio para fácil, com questões muito bem elaboradas, muito claras", afirma Daniel Perry, diretor do Curso Anglo.

Diferentemente da primeira fase da Unicamp, que usou a pandemia do novo coronavírus como foco e contextualização de várias questões e em todas as áreas do conhecimento, a Fuvest pouco mencionou o novo vírus.

Foram 130.678 inscritos em 148 locais de prova, com 17.210 ausentes, uma abstenção de 13,2%. Em 2020, esse índice foi de 7,9%.

Segundo a Fuvest, os candidatos aderiram aos protocolos de segurança e nenhum foi eliminado ou impedido de fazer a prova.

Com duração máxima de cinco horas, a prova teve 90 questões objetivas. A nota será usada tanto para classificar os candidatos para a segunda fase, que ocorre nos dias 21 e 22 de fevereiro, como para o cálculo da nota final.

A lista final de aprovados para a primeira chamada será divulgada no dia 19 de março (veja mais datas ao final do texto).

Humanas

A prova de história trouxe temas clássicos: renascimento cultural, extrativismo mineral e política colonial e escravidão, entre outros. Uma questão sobre a gripe espanhola não fez paralelo com a pandemia atual.

"Foi uma prova de nível médio, que exigia atenção aos detalhes", diz Alexandre Ceistutis, professor de história do Objetivo.

Também tradicional, a prova de geografia exigiu domínio de conceitos e vocabulário próprio da disciplina. "Foi uma prova criativa, muito bem feita, mas que deu trabalho para fazer. O aluno que tiver o embasamento necessário vai considerá-la fácil", diz Antunes, do Objetivo.

Apareceram questões sobre urbanização, o terremoto ocorrido na Bahia em 2020 e sobre a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), entre outras.

Exatas

A prova de física teve questões consideradas específicas de cada matéria, também tradicionais da Fuvest, mas com algumas questões que ligavam a física ao cotidiano. Uma delas, por exemplo, trouxe o consumo de energia elétrica numa comunidade rural.

Sem questões polêmicas, a prova também pediu atenção aos detalhes, segundo Thomas Haupt, professor de física do Objetivo.

A prova de matemática usou questões do cotidiano. Sem probabilidade e trigonometria, a prova teve grande presença de geometria plana.

Linguagens

A prova de português foi considerada uma prova mais difícil. Bastante exigente, a parte de gramática exigiu do aluno a internalização de regras gramaticais, ainda que sem cobrar, necessariamente, o nome técnico das normas.

A prova de literatura não teve questões de todos os livros pedidos. Ficaram de fora Gregório de Matos, Eça de Queiroz e Guimarães Rosa. "Isso é inesperado, porque Guimarães Rosa costuma cair na primeira e na segunda fase da Fuvest", diz Serginho Henrique, professor de português do Objetivo.

"Como vem acontecendo nos últimos anos, é fundamental que o aluno faça a leitura de todos os livros. Participar em aula e ler resumos ajuda, mas as questões exigem uma compreensão global dos textos", completa.

A prova de inglês bastante familiaridade com o idioma estrangeiro e bom vocabulário do aluno. "Não são textos fáceis e têm vocabulário avançado. Não é fácil se considerarmos a diversidade de formações dos alunos", diz Aleksander Brunhara, do Objetivo.

Foi na prova de inglês que se falou da rede social TikTok, a partir de um texto que analisa as redes sociais e seus impactos nas crianças que nasceram já envoltas por elas.

Biologia e química

A prova de biologia da Fuvest abordou diversos assuntos da disciplina, como ecologia, genética, biotecnologia e botânica, entre outros.

Em química, o aluno se deparou com uma prova tradicional que exigiu amplo conhecimento de conceitos químicos, bastante leitura e interpretação. Por outro lado, foi uma prova com poucos cálculos.

O jogo Among Us apareceu em uma questão sobre tabela periódica que pedia que o candidato identificasse o elemento "intruso" numa família específica de elementos.

O game, jogado online e com cerca de dez jogadores, tem os mesmos fundamentos do famoso jogo de tabuleiro "Detetive", em que todos devem tentar identificar um assassino secreto, que também é um jogador.

O jogo, no entanto, foi usado para aproximar a prova dos candidatos. "Não era necessário conhecer o jogo. Talvez tenha sido a questão mais fácil da prova de química", diz Gabriela Toti, professora de química do Objetivo.

Próximas datas

  • 1º/2 - Lista de aprovados para a segunda fase
  • 21 e 22/2 - Provas da segunda fase
  • 19/3 - Divulgação da lista de aprovados para primeira chamada

Enem