PUBLICIDADE
Topo

Dia das Professoras: histórias sobre o ofício que movimenta o conhecimento

Dia do Professor: conheça histórias de profissionais que inspiram alunos e docentes - Getty Images/iStockphoto
Dia do Professor: conheça histórias de profissionais que inspiram alunos e docentes Imagem: Getty Images/iStockphoto

Murilo Matias

Colaboração para o UOL

15/10/2021 04h00Atualizada em 15/10/2021 10h40

Entre os tantos hinos que tocarão Brasil afora nessa data escolhida para aplaudir e reverenciar os milhões de profissionais da educação, "Anjos da Guarda", assinada e interpretada por Leci Brandão, tem mensagem forte:

Na sala de aula é que se forma um cidadão. Na sala de aula é que se muda uma nação. Na sala de aula não há idade nem cor. Por isso, aceite e respeite o meu professor. // Batam palmas pra eles, batam palmas pra eles, batam palmas pra eles, que eles merecem."

Respeitar professores e professoras, como pede a canção, passa por difundir as histórias que inspiram alunos e novos docentes para o ofício que coloca o conhecimento em movimento.

Algumas delas estão apresentadas aqui, neste 15 de outubro. Conheça, a seguir, um pouco sobre a experiência e o que pensam estas seis professoras:

  • Antonieta de Barros, de Santa Catarina
  • Marlina de Oliveira, também de Santa Catarina
  • Maria Adelaide, do Paraná
  • Iracilde Costa Nobre, do Maranhão
  • Luana Tolentino, de Minas Gerais
  • Catalina Ávila, do Chile

Antes, uma dica: você prefere ler virtualmente? Assine o Kindle Unlimited, serviço da Amazon que reúne mais de um milhão de e-books. É gratuito no primeiro mês e custa R$ 19,90 após a promoção.

Antonieta de Barros e Marlina de Oliveira

A professora Antonieta de Barros, primeira deputada negra eleita no país, é a responsável pela criação do Dia do Professor, ao aprovar tal projeto, em 1943, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina —a data seria oficializada nacionalmente em 1963, pelo presidente João Goulart.

Oito décadas depois, no mesmo estado, a doutora e coordenadora pedagógica Marlina de Oliveira segue esse legado ao pesquisar e trabalhar com a infância e questões étnico-raciais.

"Tenho meus dois pés fincados na educação e me defino uma professora inquieta. Há um universo de profissionais que, de diferentes funções, educam. Nosso princípio orientador deve primar pelo fortalecimento do serviço público para garantir qualidade e combater toda forma de discriminação", diz.

Se no passado Antonieta de Barros atuava para combater o analfabetismo, Marlina Oliveira, eleita vereadora na cidade de Brusque (SC), luta pela ampliação do acesso à creche e pela valorização dos educadores. "Há muito trabalho pela frente, os direitos de um povo nunca estão assegurados e é preciso estar em vigilância especialmente no contexto em que vivemos", afirma.

Maria Adelaide

Maria Adelaide, professora por 28 anos, é prova da resistência da categoria ao longo do tempo: "Sempre lutei e continuo, mesmo aposentada há 24 anos. Tenho uma história de muito amor e dedicação a minha profissão, mas não vivemos só de ideal. A vida é prática, você precisa comer, se vestir, morar."

A docente narra episódios de repressão encarados na ditadura, no pós-regime militar, e de iniciativas de grande engajamento, a exemplo do Movimento Educação e Justiça.

"Em 1979, fizemos greves mesmo elas sendo proibidas. Em 1988, protagonizamos no Paraná impressionantes mobilizações na batalha pelo piso nacional de três salários mínimos. Sofremos represália, muitos ficaram machucados quando o batalhão de choque da PM nos atacou com bombas, cavalos e cães. Em 2015, essas cenas de violência se repetiram. Parte do que conquistamos está indo por água abaixo, muitos professores estão adoentados e sem forças para seguir. Quem dá conta de tudo isso?", alerta.

Iracilde Costa Nobre

Em Bacuritama, no interior do Maranhão, o cenário era também adverso quando da chegada da professora Iracilde Costa Nobre, em 2015, depois de lecionar em outras instituições do estado.

"Vim trabalhar na única escola de ensino médio da cidade na qual se registrava um nível alarmante de evasão escolar (10%) e reprovação (15%) dentre os cerca de 300 alunos. Os jovens não gostavam do ambiente, me preocupou a forma como eram tratados", ela conta.

"A polícia entrava para tirar estudantes das salas. Escola não é lugar para isso, aqui é espaço de cidadania, respeito, de tratar de futuro e das aprendizagens."

Cinco anos mais tarde, a aproximação da escola com elementos da realidade local provocou mudanças. "Somos um celeiro ecológico, temos seis comunidades quilombolas, e as pessoas tinham vergonha de suas origens, de dizerem que eram negras. Fizemos caravanas pela área rural, rodas de conversa para aprofundarmos o autoconhecimento", ela descreve.

"Estamos construindo novas perspectivas com um pé no passado, um no presente e os olhos no futuro. A educação precisa fazer parte desse processo nesse sonho coletivo", defende a professora.

Luana Tolentino

O livro "Outra Educação É Possível", da mestre em educação Luana Tolentino, insere-se no desenvolvimento desses novos paradigmas sobre a atuação dos professores diante da complexidade para lidar com distintas realidades.

"Sempre me lembro de uma conversa que flagrei entre duas alunas. Na época, elas tinham 12 anos. Taís, que é branca, disse: 'Eu queria ser negra só para ser afro-brasileira igual a minha professora'. Ester, que é negra, respondeu: 'Ainda bem que eu já sou!'. Fiquei muito emocionada, pois naquele momento, tive noção do impacto do meu trabalho, do meu compromisso com a educação antirracista", conta a escritora.

A obra de Tolentino rapidamente tornou-se referência.

"Recebo muitas mensagens de professores e futuros professores quase sempre emocionados. Em um encontro com alunos de sétima série de uma escola pública de Belo Horizonte, percebi que a obra podia ser lida por todo mundo. O mais comovente foi autografar as cópias do meu livro feitas em xerox, já que não era possível comprar um exemplar para cada aluno. A despeito dos direitos autorais, tenho certeza de que não há experiência tão emocionante quanto essa para qualquer escritor."

Catalina Ávila

A necessidade de superar erros e abusos é um dos pontos destacados pela professora chilena Catalina Ávila, que enfrentou episódios de hostilidade quando aluna.

"Essas situações se deram em um contexto pós-ditadura em que a educação militarizada era muito forte, sobretudo em contextos de vulnerabilidade socioeconômica, como era meu caso. No ensino fundamental, uma professora me acusou de ter copiado um desenho por estar muito bem feito. Para ela, eu não era capaz de fazê-lo bem", ela recorda.

"Outra vez fui castigada, amarrada e amordaçada com fita adesiva. Depois disso, cresci de cabeça baixa e minha risada desapareceu. Quando era adulta, me dei conta que não sabia qual era o som do meu riso."

Agora como educadora, Ávila pretende marcar outro tipo de lembrança para si e para os outros: "Sempre estou à procura de respeitar as crianças, vejo elas como pessoas únicas e entrego o melhor de mim."

Para homenagear a importância dessas e de tantos outros profissionais, selecionamos alguns livros sobre a educação e seus mestres.

Confira a lista de sugestões:

Metáforas e Entrelinhas da Profissão Docente - Marilda da Silva

Preço: R$ 23,90*

Metafóras e entrelinhas da profissão docente - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O livro aborda inúmeros temas relativos à prática docente ressaltando o papel dos profissionais na condição de sujeitos sociais fundamentais para a formação do conceito que os alunos, em diferentes idades, constroem acerca da vida escolar. Diversas situações e contextos aparecem nas páginas, desde quando o recurso era somente a lousa e o giz até as tecnologias atuais. Editora Cengage.

Professora, Sim; Tia, Não - Paulo Freire

Preço: R$ 34,89*

Professora, sim; tia, não - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O livro é composto por dez cartas nas quais o patrono da educação brasileira elenca qualidades e virtudes éticas destacadas de professores que trabalham como agentes de transformações sociais. Nesse sentido, Paulo Freire alerta sobre a armadilha ideológica que significa descaracterizar a pessoa que ensina com termos inadequados, tais como "tia", palavra mencionada no título da obra. Editora Paz & Terra.

Outra Educação É Possível - Luana Tolentino

Preço: R$ 30*

Outra educação é possível - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O impacto da obra para professores e alunos, que encontram nas páginas inspiração, pode ser medido pelas palavras da própria autora. "Os relatos costumam registrar que o livro inspira, encoraja quem o lê a seguir em frente, a enfrentar os desafios da docência e se inserir na luta por uma educação antirracista, feminista e inclusiva", afirma Luana Tolentino. Editora Mazza.

Racismo e Anti-Racismo na Educação: Repensando Nossa Escola - Eliane Cavalleiro

Preço: R$ 51,99*

Racismo e anti-racismo na educação - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

A obra traz o tema considerando distintas perspectivas que podem configurar manifestações de racismo praticadas no cotidiano da sala de aula. A revisão a respeito dos conteúdos apresentados aos alunos e seu enfoque constitui um dos eixos para o desenvolvimento de efetivas práticas educativas antirracistas, conforme reflete o livro. Selo Negro Edições.

Educação Popular, Movimentos Sociais e Formação de Professores - Domingos Nobre

Preço: R$ 41,70*

Educação Popular, Movimentos Sociais e Formação de Professores - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

A edição é composta por textos cujo conteúdo se relaciona a experiências no campo da educação popular, trazendo pensamentos sobre como se dão essas práticas em diferentes contextos e grupos sociais. As páginas falam da educação indígena, afro-brasileira, educação de jovens e adultos em periferias urbanas, em áreas rurais, sobretudo a partir da atuação de movimentos sociais. Editora Mauad.

Educação na Pandemia: Perspectivas sobre a Realidade Brasileira - Magda Lucia Vilas-Boas

Preço: R$ 28,88*

Educação na pandemia - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O conteúdo proporciona ao leitor conhecer relatos de experiências criativas e inovadoras de professores durante a pandemia. Questões técnicas, a discussão sobre os limites da tecnologia e da educação remota ou à distância, as desigualdades materiais de alunos, assim como aspectos emocionais e de cuidados sanitários permeiam o livro lançado neste ano. Editora CRV.

Aprendizagem do Adulto Professor - Vera Maria Nigro de Souza Placco

Preço: R$ 19,55*

Aprendizagem do adulto professor - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Apresentando textos de diversos autores, o título conjuga a produção coletiva de educadores que versam sobre a aprendizagem de adultos. Conceitos como memória, subjetividade, intencionalidade são apresentados e discutidos a partir da experiência dos 13 autores presentes na edição, a qual ainda aborda assuntos relativos à formação de docentes. Edições Loyola.

Educação Infantil: Saberes e Fazeres da Formação de Professores - Luciana Osteto

Preço: R$ 40,41*

Educação infantil: saberes e fazeres da formação de professores - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

As páginas proporcionam ao leitor conhecer relatos de educadoras em formação que vivenciam o cotidiano das creches. Contextualizando informações a respeito desse segmento educacional, o livro pontua situações específicas da educação infantil em diferentes faixas etárias, desde os bebês, e os desafios de construir relações pautadas na escuta, na afetividade e no respeito às diferenças. Papirus Editora.

Professores e Professauros - Celso Antunes

Preço: R$ 29,90*

Professores e professauros - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O livro, escrito por um professor para professores, conforme a descrição, aposta na crítica inteligente para despertar inquietudes ao propor maneiras de ministrar aulas fora de uma rotina conservadora. O autor ressalta o quanto o comprometimento dos profissionais no ambiente educacional pode gerar estratégias para uma aprendizagem consciente. Editora Vozes.

A Professora Encantadora - Márcio Vassallo

Preço: R$ 43,50*

A professora encantadora - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

As páginas ilustradas por Ana Terra contam a história particular de uma professora cuja vivência e trajetória certamente se confundem com milhares das de outros profissionais que escolheram o ofício de ensinar. Em linguagem poética, o autor descreve a maneira como Maísa, a protagonista do livro, torna-se encantadora para os alunos que com ela estiveram. Editora Abacatte.

Uma dica: costuma fazer compras online? Assinar o Amazon Prime pode ser uma boa alternativa. Com primeiro mês de teste gratuito e depois por apenas R$ 9,90, você tem entrega grátis e rápida para diversas compras em qualquer lugar do Brasil.

* Os preços e a lista foram checados no dia 13 de outubro de 2021 para atualizar esta matéria. Pode ser que eles variem com o tempo.

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelos links recomendados neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.