PUBLICIDADE
Topo

Enem

Aluna esquece RG e pede ajuda à irmã, mas perde Enem por dor no joelho

Caroline Silva Correa, que perdeu o 2º dia da prova do Enem - Hygino Vasconcellos/UOL
Caroline Silva Correa, que perdeu o 2º dia da prova do Enem Imagem: Hygino Vasconcellos/UOL

Hygino Vasconcellos e Rosiene Carvalho

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre e Manaus

28/11/2021 14h54Atualizada em 28/11/2021 14h54

Na PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul), em Porto Alegre, houve correria nos momentos anteriores ao fechamento dos portões no segundo dia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Três estudantes foram rápidos e conseguiram ingressar no local da prova antes das 13h. Não foi o caso de Caroline Silva Correa, 24.

Ela saiu de casa ao meio-dia, mas, no meio do percurso, percebeu que estava sem o documento de identificação com foto, obrigatório para poder entrar na sala do exame.

Avisou à irmã para levar o RG até ela, mas nem assim deu tempo. A familiar chegou às 12h57 no campus. Mas não teve jeito pelo tamanho do terreno.

"Eu corri o que pude, mas tenho um problema no joelho. Quando eu cheguei ao prédio, o portão já estava fechado. Estou inconformada", falou a jovem, aos soluços, à reportagem do UOL.

Ela pretendia utilizar a nota para conseguir uma bolsa para fazer o curso de técnica de enfermagem. "Não vou desistir, mas sei que vou ter que esperar um ano", diz a estudante, que tentava a prova pela primeira vez.

Ela veio acompanhada de dois irmãos, de 18 e 22 anos, que conseguiram entrar para fazer a prova. Neste ano, a experiência vai ser só deles.

Tema da redação na vida real

raimundo - Rosiene Carvalho/UOL - Rosiene Carvalho/UOL
O estudante Raimundo Marinho Rocha Neto foi sem RG em Manaus e ficou de fora do 2º dia do Enem
Imagem: Rosiene Carvalho/UOL

O estudante Raimundo Marinho Rocha Neto, 17, experimentou uma amostra das consequência da invisibilidade pela falta de documentos oficiais, tema da redação de domingo passado.

Ele foi barrado no segundo dia do Enem na Faculdade Nilton Lins, em Manaus. Só se deu conta de que havia esquecido o documento de identidade a 15 minutos do início da prova. Tarde demais para pedir ajuda de alguém da família.

Enquanto os outros candidatos já faziam a prova nas salas da faculdade, ele conversava bem-humorado com outra estudante, barrada pelo mesmo motivo, no espaço externo da faculdade, bem esvaziado.

"Não estava bem preparado. No ano que vem vou tentar de novo", disse.

Enem