Skype é usado como ferramenta educacional por alunos de inglês e até por engenheiros da Nasa

Cláudia Emi Izumi
Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Reprodução da página Skype in the classroom

    Reprodução da página Skype in the classroom

Mais conhecido por baratear ligações e facilitar videoconferências, o Skype não está restrito a esse serviço. Desde 2011, a ferramenta Skype in the Classroom (Skype na Sala de Aula) promove a troca de experiências entre educadores e alunos do mundo todo. Na lista de usuários há de estudantes de inglês a engenheiros da Nasa (agência espacial americana).

O Skype na Sala de Aula é uma experiência do chamado "crowdlearning". No caso dos estudantes, a ferramenta possibilita bate-papos com estrangeiros, que são convidados para dar conferências, sem saírem da classe. De quebra, exige-se dos alunos conhecimentos tanto orais quanto de escrita em inglês ou de outro idioma disponível.

A recente adesão ao Skype na Sala de Aula é da Nasa. No lugar do professor tradicional, são os especialistas e os engenheiros da agência espacial americana que explicam como funciona o universo.

A iniciativa, chamada de Nasa Digital Learning Networking, dá preferência a escolas americanas, mas as internacionais podem participar desde que tenham parceria com alguma instituição daquele país.

Além da Nasa, a Microsoft, a Penguin Books, a Peace on Day Education e o Museu de Ciências de Londres são também parceiros do "Skype in the Classroom", além de outras instituções.

Os temas são interessantes e focam assuntos gerais, como o aquecimento mundial, e temas que fazem parte do cotidiano da escola, como a merenda, os clubes de leitura em inglês e as aulas de espanhol.

  • Reprodução

    Página do Nasa Digital Learning Network

No Brasil

Educadoras da Cultura Inglesa, unidade em Petrópolis (RJ), já testaram o Skype na Sala de Aula. A rede aposta no projeto Digital Integration, que utiliza recursos digitais para ampliar a vivência do idioma.

“O uso do sistema proporciona aos estudantes uma oportunidade de desenvolvimento linguístico para além das quatro paredes da sala de aula”, comenta a diretor-superintendente da Cultura Inglesa, Maria Lucia Willemsens.

O grupo já conversou, por videoconferência, com alunos de escolas dos EUA e do Canadá, compartilhando histórias sobre a rotina de estudos, hábitos de vida e culturas diferentes. Tudo, claro, em inglês.

Hoje os educadores que integram a rede social – a participação brasileira ainda é baixa – ultrapassam os 4 mil. São eles que postam as mais de 2.300 lições disponíveis.

'Forever alone'

Há também muita iniciativa solitária que não emplaca. Para driblar esse problema, o site indica a quanto andas o interesse geral (adesões de usuários) de uma aula ou grupo de discussão. E a busca de usuários é feita por filtro por faixa etária (dos três anos em diante), idioma ou áreas de interesse. 

Como a ideia é agregar os quatro pontos do planeta, existe até uma versão atualizada do Penpal, a rede para fazer amigos fora do Brasil que, bem antes de a internet surgir, conectava brasileiros a estrangeiros por meio de cartas enviadas pelo correio.

Para acessar o Skype na Sala de Aula, basta entrar no site education.skype.com  e se logar com a conta tradicional do Skype.

 

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos