Topo

Educação

Vestibular


"Se tivesse com reboque, eu colocava esse portão abaixo", diz marido de candidata eliminada

Marcus Desimoni/UOL
Imagem: Marcus Desimoni/UOL

Rayder Bragon

Do UOL, em Belo Horizonte

08/11/2014 15h04Atualizada em 09/11/2014 11h28

Uma candidata do Enem 2014 (Exame Nacional do Ensino Médio) foi eliminada neste sábado (8) após confirmar que usou lápis para marcar as respostas das questões de múltipla escolha do Enem, em Belo Horizonte. A regra exige que os candidatos utilizem caneta preta -- de tubo transparente.

Érika Cruz teve que esperar do lado de dentro do portão da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) até ser autorizada a sair do campus, localizado no bairro Coração Eucarístico, região noroeste da capital mineira.

A retenção causou revolta no marido da candidata, que ameaçou jogar o carro em cima do portão da universidade.

O homem, que não se identificou, disse que se estivesse com um reboque, com o qual afirmou trabalhar, não teria dúvida em derrubar o portão. “Se eu tivesse com reboque, eu colocava esse portão abaixo”, disse ele. A mulher estaria grávida de três meses e estava passando mal.

A mulher afirmou que iria fazer um boletim de ocorrência sobre a questão. Segundo ela, nenhum fiscal, mesmo tendo visto o lápis em cima da carteira que ocupava, não a alertou sobre a proibição.

Após 30 minutos de espera, a candidata eliminada foi liberada às 14h35. O UOL não conseguiu falar com nenhum representante da universidade para verificar a situação do sigilo da prova. Segundo o edital, os candidatos somente poderiam sair dos recintos onde são aplicados os exames após duas horas do início da prova, marcado para as 13h.

Mais Vestibular