Topo

Educação

Vestibular


Matemática complica e redação surpreende candidatos do Enem 2014

Jorge Olavo

Do UOL, em Curitiba

09/11/2014 22h05

Estudantes de todo o Brasil participaram neste final de semana (8 e 9) do Enem 2014 (Exame Nacional do Ensino Médio). Cerca de 8,7 milhões de candidatos fizeram as provas em 1.752 municípios brasileiros. Os dois dias de prova ocorreram sem grandes problemas. Em relação ao conteúdo cobrado no teste, como de costume, as disciplinas de Exatas foram as que deram mais trabalho na resolução e o tema da redação surpreendeu muita gente.

A opinião dos estudantes sobre a dificuldade das provas nos dois dias do Enem varia, mas a maioria confirma que a prova de matemática foi a mais exigente. Outra queixa que parece unânime foi a cobrança de textos muito longos na prova de linguagens.

"Achei a prova de hoje (9) mais difícil que a de ontem (8). A prova tinha textos muito longos. Acho que 90% da prova de linguagens eram de interpretação. Os textos eram muito longos e cansativos", diz Brenda Cambiati, 17 anos, que tenta conseguir uma bolsa de estudos pelo Prouni.

A prova de redação surpreendeu muita gente. Algumas das apostas para o tema deste ano eram ditadura militar, à escassez de água e direitos humanos. A questão foi sobre a publicidade infantil no Brasil. Apesar da surpresa, o tema do cotidiano possibilitou que os estudantes discorressem seus textos sem grandes complicações. "Acho que ninguém esperava isso. Imaginava alguma coisa sobre economia, crise da água, escândalo da Petrobras... Pelo menos, por ser um tema do dia a dia, consegui escrever", diz Eneri Costa Junior, 19 anos, que tentará classificação em economia ou gestão financeira.

“A prova de redação pegou muita gente de surpresa mesmo. O tema teve repercussão na mídia no começo do ano, mas não expandiu tanto quanto outros temas. A questão é interessante e continua a exigir do aluno uma posição em relação a temas de interesse para a sociedade. Não fugiu ao perfil cobrado pelo Enem”, afirma a professora de Língua Portuguesa do Colégio Sion Curitiba Francinne Kowls. Para a professora, enunciados longos, para serem interpretados, são esperados no Enem. “O exame não foca naquele aluno que decora os conteúdos. Ele vai em direção àquele que sabe fazer a gestão da informação”, diz.

Já a prova de matemática parece ter levado mais dor de cabeça aos candidatos. Muitos dos estudantes ouvidos pelo UOL em Curitiba falaram que chutaram várias questões. "Estava impossível. Acho que chutei umas 20, pelo menos. As questões de gráfico eram simples. Era só olhar e as respostas eram óbvias. O problema eram as que tinham funções", avalia Bruna Wiesehofer, 17 anos, interessada em uma vaga em jornalismo.

Primeiro dia

No primeiro dia de prova, os alunos consideraram a prova mais objetiva e com enunciados mais curtos. Temas relacionados à física e à química foram os que exigiram mais dos estudantes. “Não tinha muita conta e as questões não eram muito longas”, disse Erico Max Müller Neto, 17 anos, treineiro do Enem 2014. "Os textos exigiam muita interpretação e um bom conhecimento [dos candidatos]. Abrangeu quase todo o programa, coisa que não aconteceu nos anos anteriores", explicou ao UOL o coordenador de matemática do Curso e Colégio Objetivo, de São Paulo, Giuseppe Nobilioni.

A prova de Ciências Humanas parece ter sido a mais fácil aos candidatos. “O que eu estudei, caiu. Achei a prova bem fácil”, disse Emily Frandini, 17 anos, interessada em uma vaga em história. “A prova de Ciências Humanas estava dentro das expectativas. Em outros anos, o Enem havia pecado por colocar textos muito grandes não relacionados às questões. A prova deste ano cresceu em relação a isso. A leitura atenta dos enunciados dava um bom subsídio para a resposta”, afirma o professor de história do Curso Dom Bosco, de Curitiba, Maurício dos Santos.

Mais Vestibular