PUBLICIDADE
Topo

Educação

Enem


Não passou no vestibular? Veja como estudar para passar ano que vem

iStock
Imagem: iStock

Giorgia Cavicchioli

Colaboração para o UOL

30/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Rever os temas mais pedidos nas provas anteriores é o primeiro passo de um planejamento de estudos
  • O cronograma de estudos deve considerar dar mais tempo para assuntos complexos
  • Entender o errou nas provas anteriores faz parte do processo de aprendizagem

Conseguir uma vaga no vestibular nem sempre é algo que o candidato consegue na primeira tentativa - muitas vezes é preciso submeter-se mais de uma vez para que seja possível ser aprovado em uma universidade.

Para quem vai se dedicar em 2020 a estudar para os próximos processos seletivos, o UOL selecionou algumas dicas.

Pesquisa

De acordo com Alexandre Takata, coordenador do curso Maximize, a primeira coisa que uma pessoa que não passou no vestibular deve fazer é pesquisar os conteúdos que mais caem nas provas. Assim, ela conseguirá fazer um planejamento e se organizar melhor para os vestibulares que vão acontecer em 2020.

"Se o candidato quer o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e mais outro vestibular, ele precisa juntar tudo como se fosse um conteúdo único. E levantar: quais são os cinco ou sete assuntos que mais caem em História? A partir desse levantamento, o estudante pode fazer um planejamento de estudos", explica Takata.

Cronograma

Comece o ano já com um cronograma de estudos: estabeleça a quantidade de horas ai estudar por dia e quais matérias serão vistas a cada dia. "Se você definiu que vai estudar três matérias por dia, tem que dedicar o mesmo tempo para cada uma delas. Também é preciso um intervalo entre o estudo de cada matéria", diz Takata.

Divida o tempo de estudos entre a leitura do conteúdo e a resolução de exercícios.

Se preciso, mude o foco

De acordo com Daniel Perry, diretor do Anglo Vestibulares, é preciso que, em um primeiro momento, o vestibulando tenha um momento para o "luto": refletir sobre tudo o que aconteceu durante o último ano e quais são os objetivos do ano seguinte.

Perry também afirma que o estudante também precisa reavaliar seu foco no vestibular. "É bom refletir sobre a escolha da universidade. Muitas vezes, o vestibulando tem o sonho de estudar em uma universidade e fecha os olhos para as outras. É importante ampliar o leque para outras possibilidades. Isso também vale para a carreira escolhida", diz.

"É interessante refletir a respeito de outras escolhas. Ele não tem que encarar como uma derrota caso ele queira mudar a carreira. Ele tem que encarar como uma opção que ele está fazendo", afirma.

Organize o tempo

De acordo com Perry, o aluno precisa organizar seu tempo para que ele dedique mais horas para aqueles temas que mais exigem sua atenção. Além disso, ele também recomenda que, de tempos em tempos, o estudante tenha intervalos para conseguir absorver tudo o que estudou nas últimas horas.

"É bom estabelecer as horas de estudo dando alguma folga para estudar conteúdos que estão atrasados ou que são mais complexos e exigem mais tempo de estudo", constata.

Local de estudo

É fundamental que o estudante escolha um local silencioso e tranquilo para estudar de forma efetiva. "Tem que ser um lugar que ele consiga se concentrar. Pode ser em casa, ou em uma biblioteca, ou na sala de estudos do cursinho… em casa, muitas vezes, a tentação acaba sendo maior com a cama ou o sofá por perto", diz Takata.

Exercícios físicos e lazer

De acordo com Takata, o estudante também precisa aumentar sua resistência física para a prova que é uma verdadeira maratona. Para isso, é importante que ele faça exercícios regulares, de três a quatro vezes por semana. "Ele pode fazer o que se sente bem: dança, academia, natação, artes marciais… mas o importante é que ele aumente a resistência física de alguma forma", afirma.

"É bom também tentar estabelecer que aos domingos ou aos sábados ele vai largar um pouco a rotina de estudos e passear. Ele precisa sair, ir ao parque, ir à igreja, ao cinema, ao teatro... é importante para ele ter lazer e para ele ganhar repertório também", explica Takata.

Perry concorda e recomenda que o estudante não se desconecte do mundo. "Tem que cuidar da mente desde o lazer até ir ao psicólogo. Isso é importante para lidar com a ansiedade. Ele tem que ir ao cinema, shows… é uma maratona de estudos e o corpo tem que estar bem", afirma.

Crie metas

O estudante precisa estabelecer metas a serem cumpridas e medidas ao longo do ano. "Essas metas funcionam como algo que o ajuda a estudar por ele ter algo para perseguir. Conforme ele atinge essas metas, isso o motiva e ele pode se dar pequenos presentes. Por exemplo: ‘se eu atingir a meta, não vou estudar no fim de semana’. Fazer simulados e sentar as cinco horas como se fosse no dia da prova mesmo também ajuda", afirma Takata.

Aprender com o erro

Segundo Perry, o vestibulando precisa aprender a lidar com o erro, algo que não é muito incentivado no sistema de ensino brasileiro. "No colégio, você estuda para atingir a média. Se você conseguiu a nota na média, você nem vai ver o que errou. Não há essa cultura no ambiente escolar brasileiro. Mas, quando você está em um processo difícil, é importante ver onde está errando", diz.

Além disso, ele recomenda que os alunos vejam as questões que não acertaram como um verdadeiro desafio para o próximo ano. "Ele também precisa saber que o erro não define quem ele é. É importante que ele encare o erro como um desafio", finaliza.

Enem