PUBLICIDADE
Topo

Sindicato de professores entra com medida contra EAD na rede estadual de SP

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Do UOL, em São Paulo

07/04/2020 16h33

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) protocolou hoje uma representação contra o Governo de São Paulo a respeito da implementação do ensino à distância para estudantes da rede estadual de ensino durante a pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a entidade, a iniciativa — protocolada no Ministério Público do Estado de São Paulo - Grupo Especial de Educação (Geduc) - aumentará a desigualdade entre estudantes, uma vez que o acesso à internet de qualidade não é o mesmo para todos.

"A medida que ora se denuncia acabará por criar mecanismo elitista de distribuição de conhecimento, com agravamento das condições sociais do alunato das escolas públicas paulistas", afirmou a deputada estadual Professora Bebel (PT), presidente da Apeoesp, que chamou a atenção para as aulas que são propostas.

"A escola é insubstituível e a educação é essencialmente um processo dialógico. Nada substitui a relação entre os professores e seus alunos. Dessa interação, e também do relacionamento entre os próprios estudantes em sala de aula e nos demais espaços escolares, é que se processa a aprendizagem e se produz o conhecimento", completou.

Ainda na petição, a Apeoesp manifesta o desejo de uma instauração de inquérito civil para que "o Estado de São Paulo, através da Secretaria da Educação, reste impedido de seguir com essa iniciativa, face ao fato de que não há garantias de que o método vai universalizar o acesso às aulas a distância a todos os estudantes paulistas".