PUBLICIDADE
Topo

Governo de São Paulo prorroga auxílio para merenda até o final do ano

Allan Brito, Felipe Pereira e Rafael Bragança

Do UOL, em São Paulo e Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/11/2020 13h53Atualizada em 19/11/2020 14h46

O governo de São Paulo anunciou hoje que prorrogou o programa Merenda em Casa até o final do ano para alunos da rede pública estadual de ensino. Com isso, as famílias de 770 mil estudantes, que ainda estão sem aulas presenciais ou que mantêm o ensino remoto parcial, vão continuar a receber um auxílio financeiro de R$ 55 por mês. O benefício vem sendo pago pela administração estadual desde abril.

"Os estudantes mais carentes, em situação de pobreza ou extrema pobreza, recebem a oportunidade de fazer merenda em casa, recebendo R$ 55, para que possam comprar mercado e fazer consumo de alimentos necessários. Para que esse jovem tenha acesso à alimentação. Quero dizer que liberamos mais R$ 350 milhões para que esse benefício possa ser estendido até 31 de dezembro", anunciou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Rossieli Soares, Secretário de Educação, disse que o programa é uma complementação alimentar e tem sido fundamental para que os alunos não desistam da escola. Além disso, prometeu incluir novos jovens que se encaixem nos critérios do programa.

"É importante porque as famílias têm perguntado da continuidade do programa e estamos garantindo o acesso de todos. À medida que há uma necessidade, onde um jovem por ventura esteja nas eventuais condições estabelecidas, estamos incluindo esse jovem, na medida do que é necessário", prometeu Rossieli.

O Secretário também fez um apelo para as famílias buscarem as atividades à distância, para que o aluno não interrompa o aprendizado.

"Estamos chegando próximos ao final do ano letivo. É importante que as famílias procurem as escolas, para continuidade das atividades, sejam presenciais ou à distância. Que continuem mobilizadas e motivadas a entregarem as atividades, para que os jovens tenham progressão para o próximo ano com tranquilidade", concluiu Rossieli.