PUBLICIDADE
Topo

Enem

Enem 2021: Termina 1º dia do exame; UOL corrige prova com Objetivo

Do UOL, em São Paulo, e colaboração para o UOL, em Maceió, Manaus, Balneário Camboriú, São Paulo e Rio*

21/11/2021 12h09Atualizada em 21/11/2021 19h01

O primeiro dia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) acontece hoje. A prova durou das 13h30 até as 19h (horário de Brasília). Candidatos com necessidades especiais podem ficar até as 20h e quem precisa de libras até as 21h.

O tema da redação escolhido foi "Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil". O UOL corrige a prova em parceria com o Objetivo. Acompanhe por aqui. O gabarito oficial só deve ser publicado no dia 1º de dezembro.

Os candidatos precisam responder 90 perguntas das provas de linguagens e ciências humanas, além de produzir uma redação. No próximo domingo (28), é o segundo dia, com matemática e ciências biológicas.

Além da versão impressa, o Enem digital, feito no computador, também é aplicado hoje. Ao todo, 3,1 milhões de pessoas se inscreveram para os dois formatos, que são feitos simultaneamente pela primeira vez.

Segundo a deputada Professora Dorinha, o presidente do Inep, Danilo Dupas, disse que "todas as provas foram entregues sem intercorrências".

Na escola José Bernardino Lindoso, uma das maiores de Manaus, o portão foi aberto quase meia hora antes. Os alunos, no entanto, não tiveram acesso à área interna na escola. A permissão era apenas ficar no pátio para se abrigarem da chuva que caía no local.

Lara Jane Pinto Araújo, 17, ficou aliviada. Sem abrigo, ela estava apenas com uma mochila com lanche, canela e o celular.

Faltando 20 minutos para fechar os portões, já havia pouco movimento na PUC Rio, na escola pública Moreira e Silva, em Maceió, e na Univali, em Balneário Camboriú (SC). Isso contrastava com a situação na Unip da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo, que tinha aglomerações na entrada nos momentos finais para começar a prova.

Enem acontece em meio a crise no Inep

O exame —considerado a principal porta de entrada ao ensino superior— acontece em meio à pior crise do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), responsável por todo o processo do Enem. Servidores do órgão fizeram denúncias de assédio, falta de caráter técnico nas decisões e supostas interferências na prova.

Mais de 30 servidores do Inep assinaram um pedido de exoneração de seus cargos. Em carta enviada aos diretores do órgão, eles citaram a "fragilidade técnica e administrativa da atual gestão máxima do Inep".

Danilo Dupas, presidente do órgão, nega as acusações. Fontes ouvidas pelo UOL afirmam que a relação pessoal dele com o ministro da Educação, Milton Ribeiro, é o que o segura no cargo.

Nos últimos dias, entidades e parlamentares entraram com pedidos de afastamento de Dupas. Nenhuma forma de pressão nem as ações judiciais alteraram a data de realização do exame.

* Com reportagem de Ana Paula Bimbati, Letícia Mutchnik, Carlos Madeiro, Hygino Vasconcellos, Aliny Gama, Marcela Lemos, Beatriz Mazzei e Rosiene Carvalho.

Enem