PUBLICIDADE
Topo

Flávio Bolsonaro em vídeo a pastor: 'Quero agradecer tudo que o senhor faz'

Ana Paula Bimbati

Do UOL, em São Paulo

23/03/2022 19h16

Em suas redes sociais, o pastor Gilmar Santos divulga vídeos de pregações, fotos de cultos religiosos, de encontros oficiais com o presidente Jair Bolsonaro (PL) e ainda imagens de outros políticos parabenizando pelo seu aniversário.

Santos foi citado em áudio obtido pelo jornal Folha de S. Paulo, em que o ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirma que o governo federal prioriza a liberação de recursos a prefeituras ligadas a dois pastores. "Foi um pedido especial que o presidente da República fez para mim sobre a questão do [pastor] Gilmar", diz o ministro na gravação.

Em setembro de 2020, quando completou 70 anos, o pastor publicou no Instagram vídeos de felicitação de aniversário que recebeu:

  • Do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ);
  • Da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves; e
  • Do deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP).

No ano passado, na mesma ocasião, recebeu vídeos:

  • Do ministro Milton Ribeiro e
  • Do deputado federal João Campos (Republicanos-GO) --ligado às bancadas evangélica e da bala.

Uma das gravações mais longas é a do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente. Em pouco mais de um minuto, Flávio agradece as orações e o apoio de Santos.

"Quero aqui, em nome de toda a minha família, agradecer por tudo o que o senhor faz, não por nós, mas pelo nosso Brasil. As orações, todo o trabalho de convencimento, de levar as coisas positivas que Deus está abençoando o presidente Bolsonaro de estar fazendo sentado naquela importante cadeira de presidente", disse Flávio, no vídeo. "A mensagem é de gratidão e agradecimento ao senhor por estar no nosso lado."

A gente não faz nada sozinho. Se não fosse pessoas como o senhor, certamente a nossa batalha diária, a nossa guerra na disputa do poder em Brasília seria muito mais complicada."
Flávio Bolsonaro (PL-RJ), senador

Apesar das palavras amistosas, os dois não se seguem na rede social.

'40 anos' de pregações

Para os seus mais de 150 mil seguidores no Instagram, Santos diz que está há "40 anos pregando o evangelho". Ele se apresenta como pastor presidente do Ministério Cristo para Todos, presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus no Brasil e de um instituto de teologia.

Nascido em São Luís (MA), Santos é casado com a pastora Raimundinha há mais de 30 anos. Em outubro de 2018 —nas eleições presidenciais—, declarou apoio a Bolsonaro em um post no Instagram e publicou um vídeo de 13 minutos no YouTube orientando os fiéis a "como votar com responsabilidade".

Nesta quarta-feira (23), a frente evangélica na Câmara pediu explicações a Ribeiro sobre os áudios. Em nota, na terça (22), a Convenção Geral dos Ministros das Igrejas Assembleia de Deus desautorizou Santos e Arilton Moura, os dois pastores citados no áudio de Ribeiro, a falarem em nome da entidade.

Hoje, não é possível comentar nas publicações de Santos no Instagram. No perfil do instituto teológico, no entanto, alguns críticos conseguiram enviar recados. "Ensina a desviar verba do Ministério da Educação? Vergonha!", diz um deles.

Na terça —um dia depois depois de o áudio ser publicado—, o pastor divulgou um vídeo sem citar a gravação ou reportagens veiculadas na mídia. Na legenda, incluiu um versículo da Bíblia, que diz: "Deixo a paz a vocês; a minha paz dou a vocês. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo".

Aqui está o mesmo pastor Gilmar Santos, convivendo com a verdade, para falar a verdade e para viver a verdade. Então, meus queridos irmãos, podem ficar alegres com a sua família, com seus colegas de trabalho, de escola."
Gilmar Santos, em vídeo divulgado no Instagram

Políticos em felicitações e eventos

Nos últimos dois anos, o pastor publicou fotos e vídeos de políticos —alguns deles em seus aniversários.

Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, parabenizou o pastor em 2020 —o vídeo dela e de Flávio Bolsonaro foram divulgados no mesmo dia. "O Brasil agradece tudo o que o senhor tem feito", disse.

Em gravação enviada um ano depois, o ministro da Educação define o pastor como "grande amigo" —embora, à CNN, ele tenha dito que não conhecia os pastores citados no áudio e os encontrou uma vez. "Que você continue sendo uma grande inspiração para todos da Igreja Assembleia de Deus", diz a gravação divulgada no Instagram.

A reportagem questionou os políticos citados sobre qual a relação deles com Santos e se mantêm contato com o líder religioso, mas não obteve retorno. O espaço fica aberto para atualizações.

Evento com 40 prefeitos

Em fevereiro do ano passado, a convenção de ministros das Assembleias de Deus presidida por Santos divulgou que ele foi responsável por "mobilizar" um encontro de 40 prefeitos de quatro estados com Bolsonaro e o ministro da Educação.

Pastor Gilmar Santos organizou encontro de Bolsonaro e Ribeiro com 40 prefeitos, em fevereiro de 2021 - Reprodução/Redes sociais - Reprodução/Redes sociais
Pastor Gilmar Santos organizou encontro de Bolsonaro e Ribeiro com 40 prefeitos, em fevereiro de 2021
Imagem: Reprodução/Redes sociais

"Nesse Painel da Educação foram discutidos [sic] a implementação de políticas públicas com foco na educação integral e no desenvolvimento humano para os respectivos municípios", diz a publicação.

Levantamento feito pelo jornal O Globo mostra que o líder religioso se encontrou pelo menos quatro vezes com Bolsonaro. Em março de 2019, foi recebido também pelo vice-presidente Hamilton Mourão.

Atuação no MEC

A atuação dos pastores foi revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo na semana passada. Segundo a reportagem, os líderes religiosos não têm vínculos com o setor público, nem com a Educação, mas têm trânsito livre no MEC.

Além das agendas oficiais, a dupla teria participado de encontros na casa do ministro da Educação. Em um vídeo obtido pelo jornal, o pastor conta sua atuação na pasta.

"Estamos fazendo um governo itinerante, principalmente através da Secretaria de Educação, levando aos municípios os recursos, o que o MEC tem, para os municípios", disse Santos.

Nesta quarta, após a divulgação dos áudios obtidos pela Folha de S. Paulo, o procurador-geral da República, Augusto Aras, decidiu pedir ao STF (Supremo Tribunal Federal) a abertura de inquérito para investigar a conduta do ministro Milton Ribeiro.

E o Tribunal de Contas da União aprovou uma fiscalização extraordinária em todos os convênios do Ministério da Educação.