Topo

Weintraub diz que resultado ruim do Brasil no Pisa é "culpa do PT"

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

03/12/2019 11h19Atualizada em 03/12/2019 17h14

Resumo da notícia

  • Dados do Pisa são de 2018 e mostram que o Brasil está estagnado desde 2009
  • Para Weintraub, resultado ruim é "integralmente culpa do PT"
  • Ministro fez críticas à imprensa e pediu que jornalistas "parassem de mentir"

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou hoje que o resultado ruim do Brasil na prova do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) é "integralmente culpa do PT".

Divulgados hoje, os dados são da edição 2018 do exame e, portanto, não dizem respeito à gestão de Jair Bolsonaro (sem partido), que assumiu a Presidência em 2019.

Os resultados mostram que o desempenho dos estudantes brasileiros está estagnado desde 2009. O Brasil aparece entre as 20 piores colocações no ranking internacional. Ao todo, foram analisados 79 países e territórios.

"[É] integralmente culpa do PT, integralmente culpa dessa doutrinação esquerdófila e sem ensino", disse o ministro em entrevista a jornalistas.

Questionado se responsabilizava o governo de Michel Temer (MDB), que assumiu a Presidência entre 2016 e 2018, Weintraub respondeu que ele "ficou pouco tempo" e que, por isso, "não dá para culpar o cara". "Ele é culpado de ser vice da Dilma [Rousseff]", disse.

Para o ministro, "o símbolo máximo do fracasso do PT começou quando foi construída a lapide da educação, lá na frente do MEC, que é um mural do Paulo Freire. Representa esse fracasso total e absoluto".

Ex-ministro da Educação no governo Dilma, Aloizio Mercadante repudiou, em nota, as declarações de Weintraub.

"Mais uma vez, ao invés de procurar fazer uma análise aprofundada e apresentar propostas concretas para a melhoria da qualidade da educação brasileira, o governo Bolsonaro prefere justificar a tragédia que está em curso na educação com respostas evasivas e uma guerra ideológica obscurantista", diz o texto.

Segundo ele, "o atual ministro ataca o PT, que está há quase quatro anos fora do governo. De forma ainda mais descabida, agride Paulo Freire e, mais uma vez, não propõe absolutamente nada para a melhoria da educação."

Mercadante afirma ainda que os governos do PT foram responsáveis por uma "extraordinária inclusão educacional" e pelo desenvolvimento da BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

O Pisa começou a ser aplicado em 2000, quando o presidente ainda era Fernando Henrique Cardoso (PSDB). De fato, entre 2003 e 2016, a prova monitorou os governos do PT, durante os mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Entre 2016 e 2018, monitorou o governo Temer.

Os dados divulgados pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) mostram que, no início dos governos petistas, antes de 2009, houve uma tendência de alta no desempenho do Brasil. Depois disso, tem início uma estagnação —destacada pela própria OCDE em relatório.

"Depois de 2009, em matemática, como em leitura e ciências, o desempenho médio não mudou significativamente", diz a organização.

Bastante irritado, Weintraub acusou a imprensa de "dar a entender" que os resultados do Pisa teriam ligação com o governo Bolsonaro e pediu para que os jornalistas "parassem de mentir". Ele chegou a dizer que hoje não estava de bom humor.

O ministro também negou que tenha errado a previsão de que o Brasil ficaria em último lugar da América Latina na prova do Pisa, como declarou há cerca de duas semanas. Apesar de estar entre os piores colocados, no entanto, o Brasil ainda fica à frente da Argentina, da Colômbia e do Panamá em uma ou mais disciplinas avaliadas.

"Em leitura não ficou em último, ficou à frente de Argentina e Peru. Mas, de três [áreas], em duas ficou em último", declarou o ministro.

Educação