PUBLICIDADE
Topo

Educação

Enem


Apesar de erros no Enem, inscrições para o Sisu começam hoje; veja dicas

Giorgia Cavicchioli

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/01/2020 04h00Atualizada em 22/01/2020 14h54

Resumo da notícia

  • As inscrições para o Sisu vão de 21 a 26 de janeiro
  • O sistema informatizado do MEC oferece 237 mil vagas em 128 universidades
  • Para concorrer a uma vaga em uma universidade pública cadastrada no Sisu, o estudante precisa ter feito o Enem 2020

Apesar de admitir ter identificado erros na correção do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de cerca de 6.000 candidatos, o MEC (Ministério da Educação) abriu, na madrugada de hoje, o prazo para os estudantes se inscreverem no Sisu (Sistema de Seleção Unificada). Por conta do problema com a prova, o período de inscrição foi estendido em dois dias, se encerrando no próximo domingo (26).

O programa seleciona candidatos para vagas em instituições públicas de ensino superior em todo o Brasil com base nas notas do Enem. Ao todo, são cerca de 237 mil vagas oferecidas em 128 universidades (Veja aqui como funciona o Sisu).

No começo da madrugada, estudantes reclamaram nas redes sociais que estavam encontrando problemas para fazer a inscrição. Os relatos persistiam no começo da manhã —inclusive com reclamações de que o sistema trazia uma mensagem de que as inscrições estavam encerradas. Procurado pelo UOL, o MEC afirmou que a instabilidade pode ter acontecido devido ao grande número de acessos ao site.

Para ajudar a sua candidatura no Sisu ser bem-sucedida, o UOL entrevistou a psicóloga Maria Fernanda Alves, responsável pelo serviço de apoio à escolha profissional da plataforma Quero Bolsa. Veja as dicas que ela dá e faça as melhores escolhas.

1) Opções factíveis

De acordo com a Maria Fernanda, a primeira coisa que o candidato deve fazer é observar quais são as opções mais factíveis e que se encaixam na realidade dele. "É importante que o aluno vá pensando no curso e em qual faculdade que seria possível", explica.

Como o Sisu permite que os estudantes visualizem as vagas do Brasil inteiro, o aluno pode se deparar com uma nota de corte menor em um local distante das grandes capitais. Mas, prova a psicóloga, você deve considerar: "Faz parte da sua realidade ir a um local tão distante?".

Segundo ela, é preciso colocar na balança se o candidato tem condições de ir morar em outro Estado, por exemplo, e arcar com moradia, alimentação e tudo mais que será necessário caso seja feita uma mudança de local de moradia.

"Muitos jovens não se atentam que as universidades públicas têm programas excelentes de moradia, acomodação. Então, quem não pode pagar por moradia e quer estudar em outra cidade deve pesquisar se a instituição oferece algum tipo de programa de moradia", diz.

2) Liste as suas escolhas

Segundo a psicóloga, é importante fazer uma lista com os cursos e as universidades que você tem mais afinidade antes mesmo de ter a nota do Enem em mãos.

Essa pesquisa prévia, afirma Maria Fernanda, faz com que o candidato "acalme os ânimos" antes de ter contato com o Sisu. "Isso ajuda quando ele for ver qual é a média das notas de corte históricas. Assim, ele vai ver se encaixa-se na média ou se está muito abaixo", diz a orientadora.

3) Mundo ideal X mundo real

Maria Fernanda também recomenda que o estudante faça sempre duas listas: uma com as opções de instituições e de cursos do "mundo ideal" dele e uma outra com o que pode ser conseguido no "mundo real".

Na primeira lista, coloque todas as opções mais desejadas para a sua vida acadêmica, com a nota de corte um pouco maior do que a obtida no Enem. Na segunda, liste as universidades com nota e corte igual ou inferior a sua. Com as duas listas em mãos, você pode fazer alterações no sistema se a nota de corte dos cursos mais desejados se mostrar muito alta.

"A gente sempre gosta de ressaltar para que o aluno não coloque uma opção de curso que ele não faria ou um local para o qual ele não iria todos os dias. Trabalhe com opções de cursos e universidades que você faria", constata a psicóloga.

4) Simule a sua nota

A plataforma Quero Bolsa desenvolveu um simulador de nota de corte, que mostra quais são as médias do Brasil e quais são as médias históricas de cada curso.

Com essa visão, você pode ter uma ideia melhor das chances que tem.

5) Acompanhe as notas de corte

Todos os dias, durante o período de inscrição, o site do MEC libera a nota de corte. Por isso, a psicóloga recomenda que o estudante fique atento para quando essa nota girar no sistema.

"Se você se inscreve e esquece, pode ser que a nota de corte aumente muito e você perca a sua chance. Conforme forem passando os dias e as notas de corte forem sendo atualizadas, você poderá ver se a nota de corte dele está dentro da sua média, explica.

6) Fique atento aos turnos

Se você já sabe que curso quer fazer, veja também as possibilidades de de períodos, se integral, noturno ou vespertino, por exemplo. A escolha do turno de estudo lhe dá alguma possibilidade de mudança na candidatura.

Segundo Maria Fernanda, o curso pode ser mais ou menos concorrido, dependendo do horário. "Essas variações ajudam que está um pouquinho abaixo da nota de corte", afirma.

Datas do Sisu 2020

Período de inscrições: de 21 a 26 de janeiro

Resultado da chamada regular: 28 de janeiro.

O prazo para participar da lista de espera será de 29 de janeiro a 4 de fevereiro. Já a convocação dos candidatos em lista de espera pelas instituições acontece entre 7 de fevereiro e 30 de abril.

Plataforma interativa

O Sisu oferece um aplicativo para que o estudante tenha todas as informações sobre o processo (baixe aqui). Ele pode ser baixado em celular ou em tablet e está disponível para Android, Apple e Windows Phone. Com ajuda do aplicativo, o aluno pode pesquisar os cursos que ele se interessa, vagas e saber mais sobre as instituições que participam do programa.

Enem