Topo

Educação

Enem


Com valor maior, inscrições no Enem 2019 começam hoje

Leonardo Soares/UOL
Imagem: Leonardo Soares/UOL

Eduardo Sombini

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-05-06T04:00:00

2019-05-06T08:36:02

06/05/2019 04h00Atualizada em 06/05/2019 08h36

As inscrições para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano começaram na manhã de hoje, e ficam abertas até as 23h59 do dia 17 (considerando o horário de Brasília).

Para se inscrever, o participante deve acessar o portal do Inep e responder às perguntas enviadas pelo robô.

Neste ano, houve um aumento de 3,7% na taxa de inscrição, que passou de R$ 82 para R$ 85. O pagamento pode ser feito em agências bancárias, casas lotéricas e agências dos Correios, até o dia 23.

O cronograma do Enem 2019 prevê a aplicação da prova em dois domingos consecutivos de novembro (nos dias 3 e 10). O calendário completo está disponível na página oficial: https://enem.inep.gov.br/.

As principais datas do Enem 2019

  • Inscrições: de 6 a 17 de maio
  • Dados cadastrais: em 17 de maio, termina o período para alteração de dados cadastrais, município de provas, opção de língua estrangeira
  • Solicitação de atendimento pelo nome social: de 20 a 24 de maio
  • Locais da prova: em outubro, em data a confirmar, divulgação do cartão de confirmação, com os locais de prova
  • Aplicação das provas: 3 e 10 de novembro
  • Publicação dos gabaritos e dos cadernos de questões: 13 de novembro.

No primeiro dia, em 3 de novembro, os candidatos farão provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias e redação. No segundo dia, 10 de novembro, serão aplicadas as provas de ciências da natureza e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias. Haverá um total de 180 questões e uma redação.

Os portões serão abertos às 12h e fechados impreterivelmente às 13h, do horário de Brasília. No primeiro dia, os candidatos têm até as 19h para resolver as questões. No segundo, a prova vai até as 18h30.

1º Enem do governo Bolsonaro

O Enem vem sendo objeto de polêmicas nos últimos meses. Em novembro de 2018, Jair Bolsonaro criticou uma questão da prova, que tratava de expressões linguísticas usadas por gays e travestis, e a associou com a chamada "ideologia de gênero".

O presidente disse que queria ver a prova antes de sua realização, contrariando a prática anterior, em que o presidente e o ministro da Educação não tinham acesso prévio ao conteúdo do exame.

Em março deste ano, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), órgão do MEC (Ministério da Educação) responsável pelo Enem, criou uma comissão para avaliar o suposto teor ideológico das questões do exame de 2019.

Recentemente, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que não haverá "questões ideológicas ou muito polêmicas" neste ano.

Houve também problemas com a falência da RR Donnelley, gráfica responsável pela impressão das provas do Enem desde 2009.

O Inep convocou nova gráfica, a seguinte na ordem de classificação da licitação realizada em 2016, e Weintraub disse que não existem riscos de adiamento ou cancelamento das provas.

Mudanças do Enem 2019

O Enem deste ano vai contar com um novo sistema de inscrição e será solicitada, de forma opcional, a inclusão de foto. Surdos, deficientes auditivos e surdos-cegos vão poder indicar, durante a inscrição, o uso do aparelho auditivo ou de implante coclear.

Lanches passarão a ser revistados no dia da aplicação da prova.

Na prova, os candidatos terão um espaço para fazer o rascunho da redação e de cálculos, que virá ao final no caderno de questões e poderá ser destacado.

Enem 2019: Inscrições começam dia 6 de maio

Band Notí­cias

Mais Enem