PUBLICIDADE
Topo

Bancada da educação espera mais diálogo e menos ideologia com Decotelli

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

26/06/2020 13h18Atualizada em 29/06/2020 14h25

A bancada da educação no Congresso Nacional recebeu a nomeação de Carlos Alberto Decotelli da Silva ao Ministério da Educação na expectativa de aprofundar o diálogo com o novo titular da pasta e de que ele seja menos ideológico do que o antecessor, Abraham Weintraub.

Militar da reserva da Marinha, Decotelli da Silva foi anunciado ontem pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a nomeação já foi publicada no Diário Oficial da União. A posse ainda será marcada. Embora alinhado com as perspectivas ideológicas do governo, Decotelli não é vinculado diretamente aos seguidores do escritor Olavo de Carvalho.

Weintraub é um seguidor de Olavo. Era tido pelo Congresso como o ministro mais ideológico do governo e não tinha bom trânsito com as lideranças no Parlamento nem com a bancada da educação. Ele não costumava acatar sugestões de parlamentares, tinha temperamento difícil e ironizou deputados em plenário. Como resultado, acumulou um saldo negativo no Congresso.

Por isso, a maioria dos parlamentares ligados à área da educação citou a necessidade de se estabelecer um maior diálogo com Decotelli e até de se reverter linhas de ação adotadas na gestão Weintraub. Confira:

Deputado Professor Israel Batista (PV-DF), secretário-geral da Frente Parlamentar Mista da Educação

"Como parlamentar da educação, desejo que o novo ministro faça uma boa gestão e coloque o Ministério no rumo certo, após o apagão chamado Weintraub. Decotelli tem bom trânsito no Congresso Nacional e sabe da importância de aprovar o Fundeb. Porém, avalio que ele terá muita dificuldade com a ala olavista. É um grupo que descarta os assuntos importantes da educação e prefere incendiar o debate com pautas polêmicas e infrutíferas que geram curtidas nas redes sociais."

Deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB-PB), presidente da Comissão de Educação da Câmara

"Precisamos de um líder na educação, para apontar os debates que importam. Voltar a atenção para a falta de vagas na creche, para o Fundeb, para a carreira e formação do professor... Desejo sucesso ao novo ministro Decotelli. Na esperança que tire o atraso dos erros até aqui."

Senador Dário Berger (MDB-SC), presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado

"Decotelli reúne as condições técnicas, a experiência, o conhecimento e a capacidade administrativa que o cargo exige. Um nome que parece estar acima das disputas ideológicas. Espero que esteja comprometido com o desenvolvimento da educação brasileira."

Deputado federal Felipe Rigoni (PSB-ES), da Comissão de Educação Especial, de Indígenas e de Comunidades Tradicionais na Frente Parlamentar Mista da Educação

"O novo ministro traz uma janela de esperança de que pelo menos a execução do Ministério da Educação volte a ser melhor, já que trabalhou no FNDE, entende relativamente do assunto. E mais ainda a esperança do diálogo voltar, porque o diálogo com o antigo ministro era completamente impossível. Na educação, não tem como fazer política sem diálogo."

Deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP), da Comissão de Ensino Técnico e Profissional da Frente Parlamentar Mista da Educação

"Estamos presenciando um cenário tão devastador na educação do país que fica difícil avaliar a terceira escolha do presidente Bolsonaro, em um ano e meio de governo, para comandar a pasta mais fundamental para o desenvolvimento do Brasil. Temos como parâmetro o pior ministro da história. A completa falta de gestão deixou um vácuo expressivo que está prejudicando o futuro de milhões de jovens brasileiros. O que posso afirmar é que continuarei aberta ao diálogo e continuarei fiscalizando o trabalho do Ministério da Educação, com o objetivo de tornar a educação prioridade na pauta do nosso país. A esperança é de que consigamos, finalmente, avançar nos projetos que são tão caros à nossa população e de que tenhamos um espaço democrático, e não mais um ministro refém da ignorância e do obscurantismo."

Deputado federal João Campos (PSB-PE), coordenador da Comissão Externa de Acompanhamento do Ministério da Educação na Câmara

"Faço oposição ao governo Bolsonaro, mas sempre trabalharei pela educação pública brasileira. Por isso, desejo uma boa gestão para o novo Ministro da educação, Carlos Alberto Decotelli. Que tenha pulso para desfazer os estragos feitos por seus antecessores. E que passe distante das maluquices dos discípulos de Olavo de Carvalho, que ocupam cargos altos no MEC. Por fim, como coordenador da Comissão Externa do MEC na Câmara dos Deputados, ressalto que vamos fiscalizar os atos do novo ministro com o mesmo rigor de sempre".

Deputada federal Luísa Canziani (PTB-PR), da Comissão de Arranjos Federativos da Frente Parlamentar Mista da Educação

"Depois de tanta ingerência no Ministério da Educação, a nomeação do professor Decotelli é um aceno para o diálogo e para a construção de consensos. Decotelli entende a necessidade de termos uma agenda para o desenvolvimento da educação do nosso país e tenho certeza que fará um bom trabalho à frente da pasta."

Senador Izalci Lucas (PSDB-DF), vice-presidente de educação superior na Frente Parlamentar Mista da Educação

"Desejo um bom trabalho ao novo Ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli. Como vice-presidente da Frente Parlamentar Mista da Educação, estou comprometido com a transformação do ensino no país. Conte comigo para colocarmos a Educação como prioridade nacional!"