PUBLICIDADE
Topo

Aluno que não fizer atividades pode ser reprovado em SP, diz secretário

Rossieli Soares acompanha o retorno de atividades presenciais em escola em São Paulo - Wilian Oliveira/Futura Press/Estadão Conteúdo
Rossieli Soares acompanha o retorno de atividades presenciais em escola em São Paulo Imagem: Wilian Oliveira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, em São Paulo

07/10/2020 11h53

Os alunos da rede estadual de ensino de São Paulo podem acabar reprovados se deixarem de entregar a maior parte de suas atividades que foram repassadas durante a quarentena, declarou hoje o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares.

Em visita a uma escola que retomou parte das atividades presenciais na zona leste da capital paulista, ele afirmou que "a retenção é possível".

Em entrevista coletiva, o secretário afirmou que, "se o aluno não entregar nenhuma atividade, nada, ele pode perder o ano".

Ao UOL, ele disse que a avaliação caberá à unidade de ensino. "A avaliação será a escola quem vai fazer. Cada unidade avaliará se o mínimo de atividades exigidas foi entregue e levará em consideração as motivações para a não entrega."

Rossiele afirmou, no entanto, que as escolas oferecerão "recuperação a todo o momento".

"É diferente de um ano normal", disse o secretário, que alertou para a possibilidade de reprovação apesar da unificação dos anos letivos de 2020 e 2021.

"Vamos trabalhar o ano de 2020 e 2021 como um ciclo, como se fosse um só, principalmente aos alunos que já entregaram suas atividades", disse.

"A aprovação e reprovação no ano que vem levará em conta os oito bimestres [quatro de cada ano], mas se o aluno não entregou o suficiente em 2020, ele pode ser retido", disse.

Reabertura

Após mais de seis meses fechadas por causa da pandemia do novo coronavírus, as primeiras escolas públicas da cidade de São Paulo começaram a retomar hoje as atividades presenciais.

Por enquanto, as unidades estaduais só podem desenvolver ações extracurriculares, como cursos de idiomas, atividades esportivas, musicalização, reforço escolar e acolhimento.

Entre as regras a serem seguidas, a mais importante é que elas só poderão receber 20% dos alunos matriculados a cada dia, independentemente da etapa de ensino.

Aproximadamente 200 mil alunos no estado devem voltar às aulas a partir de hoje, 50 mil na capital.

Segundo o secretário, 219 cidades autorizaram as atividades em 900 escolas estaduais, 304 na capital. Ao todo, a Secretaria Estadual de Educação mantém 5.100 unidades de ensino.