PUBLICIDADE
Topo

Enem

Bolsista vende álcool em gel no Enem para pagar faculdade

A universitária Daniele Assis, 18, vende balas e álcool em gel para inteirar o valor de sua faculdade - André Porto/UOL
A universitária Daniele Assis, 18, vende balas e álcool em gel para inteirar o valor de sua faculdade Imagem: André Porto/UOL

Arthur Stabile

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/01/2021 12h33

Em meio aos estudantes na entrada para fazer o primeiro dia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), a universitária Daniele Assis, 18, caminhava com uma bolsa vendendo álcool em gel na unidade Unip Marquês de São Vicente, zona oeste de São Paulo.

Aluna de publicidade e propaganda da universidade particular Anhembi Morumbi, a jovem moradora do Jaçanã, na zona norte da cidade, buscava uma renda extra para pagar sua mensalidade.

Daniele tem bolsa de 60%, obtida com o resultado do Enem feito em 2019. O valor é parcialmente pago com a pensão que recebe do pai, suficiente para quitar 50%. O restante é bancado com seu suor.

"Vendo álcool em gel com minha irmã, faço sobrancelhas e alongamento de cílios em um salão. É tudo por conta própria", explica ao UOL. Cada unidade de álcool gel sai por R$ 5. Há também kits maiores por R$ 10.

O UOL corrige a prova a partir das 19h, em parceria com o Objetivo.

A família da adolescente tem histórico universitário, com a irmã advogada e uma tia professora. Para seguir o mesmo caminho deles, Daniele busca diariamente inteirar o valor que paga todo mês pelo seu ensino superior.

"Está fraco hoje, indo devagar. O risco de cancelamento da prova por causa da pandemia atrapalhou muito", afirma.

Antes da Unip, Daniele foi à Uninove Barra Funda, maior centro de aplicação do Enem na capital paulista. No entanto, a unidade não recebeu a aplicação da prova neste ano.

"Eu ia fazer prova neste ano de novo, mas desisti porque a universidade não aceita uma nova nota para tentar mais desconto. Ia fazer aqui mesmo, na Unip."

Enem 2020; veja fotos

Enem