PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
3 meses

Belém adia volta às aulas 100% presenciais na rede pública de ensino

Aulas serão retomadas na segunda (24), data que já estava prevista, mas apenas no formato remoto - Getty Images
Aulas serão retomadas na segunda (24), data que já estava prevista, mas apenas no formato remoto Imagem: Getty Images

Agência Brasil

21/01/2022 20h56Atualizada em 21/01/2022 20h59

A prefeitura de Belém adiou o retorno 100% presencial na rede pública de ensino da capital paraense. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (20) pela Secretaria Municipal de Educação, após a identificação de casos de síndromes gripais entre trabalhadores da educação.

Gestores de escolas municipais receberam ofício da pasta detalhando como será o retorno.

As aulas serão retomadas na próxima segunda-feira (24), data que já estava prevista, mas apenas no formato remoto. A partir do dia 31, o retorno começa a ser presencial, de maneira gradual, com 50% dos estudantes dos anos finais do ensino fundamental (do 6º ano 9º ano), da 3ª e da 4ª totalidade da educação de jovens, adultos e idosos (Ejai) e do ensino médio (Fundação Escola Bosque).

Em 7 de fevereiro, começam as aulas presenciais para 100% dos estudantes dos anos finais do ensino fundamental (do 6º ao 9º anos), da 3ª e da 4ª totalidade da Ejai e do ensino médio; e para 50% dos estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental (do 1º ao 5º anos) e da 1ª e da 2ª totalidade da Ejai.

No dia 14 de fevereiro, têm início as aulas presenciais para 100% dos estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental (do 1º ao 5º anos) e da 1ª e da 2ª totalidade da Ejai; e para 50% dos estudantes da educação infantil. Por fim, no dia 21 de fevereiro, recomeçam as aulas presenciais para 100% dos estudantes da educação infantil.

Segundo a prefeitura, o calendário anunciado poderá sofrer alterações conforme as orientações dos órgãos de vigilância sanitária.

A expectativa da Secretaria de Educação é que, enquanto não retornam ao ensino presencial, as crianças de 5 a 11 anos matriculadas na rede pública da capital tenham tempo de se vacinar contra covid-19.