Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://educacao.uol.com.br/album/2012/04/23/conheca-historias-de-gente-que-se-superou.htm
  • totalImagens: 86
  • fotoInicial: 86
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20120423181612
    • Educação [16614]; Superação na educação [72109];
Fotos

8.mai.2012 - Cearense é a primeira travesti a apresentar tese de doutorado no país Divulgação Mais

20.abr.2012 - Caloura no curso de medicina na UFMG, atriz indígena do filme "Xingu" quer ajudar seu povo depois de graduada Rayder Bragon/UOL Mais

19.abr.2012 - Menina que nasceu sem as mãos ganha concurso de caligrafia nos Estados Unidos Reprodução Mais

10.abr.2012 - Aluna de escola pública, garota de 13 anos é aprovada em faculdade particular de MG Arquivo pessoal Mais

19.mar.2012 - Cadeirante faz 28 cursos a distância e acumula dois empregos Fernando Donassi/UOL Mais

13.mar.2012 - "Estou feliz demais da conta", diz catadora que passou na Ufes com livros encontrados no lixo Kauê Scarim Mais

24.fev.2012 - "Achei que não passaria em nenhuma", diz estudante aprovada para medicina em oito instituições públicas Reprodução Mais

23.fev.2012 - Estudante de 21 anos é o primeiro com Síndrome de Down a passar no vestibular da Universidade Federal de Goiás Arquivo pessoal Mais

21.set.2011 - Com bolsa de estudos, aluno de escola pública realiza sonho de estudar em Harvard Tyreke White/Arquivo pessoal Mais

8.jul.2011 - Aluno carente da USP passa o dia com R$ 11; veja o que estudantes fazem para se manter Aline Arruda/UOL Mais

15.jul.2011 - Após reportagem, aluno da USP que passa o dia com R$ 11 ganha livros e até notebook Aline Arruda/UOL Mais

9.jun.2011 - Garota de 16 anos ganha o direito de cursar medicina sem terminar ensino médio Arquivo pessoal Mais

25.mar.2010 - Filho de catador de garrafas ganha bolsa de mestrado nos EUA e luta para seguir estudos Arquivo Pessoal Mais

Deividi Prussiano de Freitas (de jaqueta azul, à direita) foi o primeiro deficiente visual a se formar pela UAB (Universidade Aberta do Brasil. Ele é de Cachoeira do Sul (RS), a 290 km de Porto Alegre, e fez o curso de tecnologia em gestão pública a distância, oferecido pelo IF-SC (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina) em um polo de sua cidade. Ele também foi o primeiro membro de sua família, que vive da plantação de arroz, a concluir o ensino superior. Arquivo/pólo de Cachoeira do Sul (RS) Mais

Quatro presidiários da Penitenciária 1 de Serra Azul,no interior de São Paulo, fazem um curso superior de pedagogia a distância. Da esquerda para a direita: Antonio Marcos de Freitas, 39, Venilton Leonardo Vinci , 52, Benedito Paulo Reis, 52, e Matheus Henrique Daniel, 30. Fernando Donasci/UOL Mais

Esaú da Silva Santos, 22, se formou em medicina pela Universidade de Pernambuco (UPE) em dezembro de 2012. De origem humilde, morador da zona rural de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, o rapaz estudou a vida toda em escola pública Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem Mais

Nascida em 5 de maio de 1998, Nathaly Gomes Tenório, 14, se tornou a mais jovem estudante da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Após conseguir boas notas no Enem 2012, ela recorreu à Justiça para ter o direito de se matricular em artes visuais Gerson Oliveira/Correio do Estado Mais

O ex-morador de rua Sérgio Reis Ferreira se formou em pedagogia pela UnB (Universidade de Brasília). Sérgio aproveitou sua experiência como tema de trabalho de conclusão de curso: "As dificuldades dos moradores de rua do Distrito Federal de se inserirem por meio da educação formal". O trabalho obteve menção máxima. "Eu não tinha mais nada em que me agarrar - só tinha a universidade - e então me agarrei a ela com unhas e dentes", afirma Emília Silberstein/Agência UnB Mais

Aos 23 anos, o ex-cortador de cana Sineudo dos Santos foi finalista da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro com um artigo sobre o "sonho nordestino". O cearense, que largou o estudo para ir cortar cana no Paraná, decidiu voltar à escola após perder a oportunidade de um emprego melhor. Conciliando trabalho e estudo, Sineudo conseguiu mais do que o diploma de ensino médio: "com o texto, pude mostrar um pouco da vida do migrante nordestino", diz Pedro Ventura/UOL Mais

Um homem que cumpre pena de 34 anos de prisão por homicídio qualificado passou em primeiro lugar no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) para o curso de análise e desenvolvimento de sistemas no IFPI (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí). L.S.R.J, de 45 anos, fez curso intensivo para prestar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e agora tenta autorização para frequentar a faculdade fora da cadeia Fernando Donasci/UOL Mais

O estudante Reynaldo Machado, 17, ficou conhecido após perder a 2ª fase da Fuvest deste ano. Ele chegou com meia hora de atraso por confundir o local de prova - foi a Mogi das Cruzes, quando a prova era em São Paulo. Um mês depois, no entanto, ele só tem o que comemorar: passou em 3º para o curso de engenharia naval na UFRJ e ainda dispensou vagas na PUC-RJ e no Mackenzie Leonardo Soares/UOL Mais

Depois de ficar 31 anos sem estudar, a procuradora aposentada Lindamir Monteiro da Silva, 54, passou na primeira chamada do vestibular da Fuvest e será caloura do próprio filho no curso de geografia na USP Leandro Moraes/UOL Mais

Um estudante de 15 anos, que fez o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em 2012, foi aprovado para o curso mais concorrido da UFC (Universidade Federal do Ceará): o de medicina. Tiago Saraiva recebeu a aprovação do Conselho de Educação do Ceará e vai poder fazer o curso, pulando os segundo e o terceiro anos do ensino médio NE10 Mais

O curitibano Daniel Schwalbe Koda, de 18 anos, atribui ao apoio familiar aliado à disciplina nos estudos o resultado surpreendente: o jovem foi o primeiro colocado no vestibular do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), considerado um dos mais difíceis do país. Segundo o estudante, foram quase 18 horas diárias de estudo, de segunda a sábado, sobrando apenas os domingos para o descanso e o lazer Divulgação/Sistema Elite Mais

Em 1994, no momento em que foi anestesiado para uma cirurgia nos olhos, Valdemir Pereira Corrêa enxergou pela última vez. Nasceu com glaucoma, mas "uma sucessão de erros médicos" em clínicas de Campinas (SP) e São Paulo lhe tirou definitivamente a visão, aos 24 anos. Após entrar em uma escola de surfe e redescobrir o prazer do aprendizado, Corrêa decidiu prestar vestibular para educação física e, aos 43 anos, formou-se pela Unisanta (Universidade Santa Cecília), em Santos (SP) Francisco Arrais/Divulgação - Prefeitura de Santos Mais

Amanda Amaral Lopes se tornou a primeira estudante com síndrome de Down a se formar no ensino superior na Bahia. Moradora de Vitória da Conquista (a 509 km de Salvador), no sudoeste baiano, a jovem de 24 anos recebeu o diploma de licenciatura em ciências biológicas, pela Faculdade de Tecnologia e Ciências, ao lado de mais 15 estudantes. "Acho que sou uma grande vitoriosa por ter chegado até aqui. Agora, pretendo fazer uma pós-graduação em libras", planeja, referindo-se à especialização que prepara profissionais para atuarem com deficientes auditivos Reprodução/A tarde Mais

Beatriz Pêgo Damasceno, 17, acertou todas as 60 questões da prova da Uerj e foi a primeira candidata a "gabaritar" uma avaliação da instituição. No mesmo ano (2013), a estudante tirou nota 1.000 na redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) Reprodução Mais

De origem pobre, a jovem indiana Sushma Verma começará seu mestrado em microbiologia aos 13 anos. Para pagar os estudos da filha, seu pai teve de vender suas terras. Os pais querem que a garota tenha chances de subir para a classe média indiana. As informações são da Associated Press. Verma é um caso excepcional em um país em que as meninas são desestimuladas a frequentarem a escola. Verma terminou o ensino médio aos 7 anos e completou sua graduação aos 13 anos Rajesh Kumar Singh/AP Photo Mais

Primeiro dia de aula em uma turma do curso de psicologia da Universidade Tiradentes, em Aracaju (SE), uma professora se apresenta e começa a contar uma história para os alunos sobre uma criança que morava na rua. Quase todos na sala se emocionam e ela finaliza com "a menina da história sou eu". O relato ouvido por esses alunos foi feito pela professora Marta Barreto de Souza, 44, ex-moradora de rua que aos dois anos de idade foi encontrada por um jovem enquanto mendigava. Hoje, formada em serviço social e psicologia, leciona em três cursos universitários e está concluindo um mestrado em educação Marcelo Freitas/ASSCOM/UNIT Mais

Aprender alemão mudou a vida de Leonardo Cardoso, 20. Estudante de escola pública de São Paulo, o interesse pelo idioma deu-lhe a chance de fazer um intercâmbio na Alemanha com tudo pago e de estagiar em uma multinacional. Arquivo pessoal Mais

Segunda filha de quatro mulheres de um casal de agricultores do povoado Açude da Marcela, zona rural do município de Itabaiana (a 52 quilômetros de Aracaju), Ana Maria Menezes, 26 , embarcou este ano para Paris. Ex-aluna de escola pública, a estudante fará seu pós-doutorado em matemática na Universidade Marne-la-Vallée. Os pais de Ana Maria, apesar das dificuldades iniciais para sustentar as filhas, nunca deixaram que elas largassem os estudos para ajudá-los na vida do campo. "Eles não permitiram que a gente trabalhasse, diziam que estudar era o único meio de se vencer na vida. Eles trabalhavam de dia e à noite para nunca faltar nada, e permitir que a gente se dedicasse aos estudos. Eu ajudava em pouquíssimas coisas, eles realmente não queriam que a gente tirasse o foco dos estudos" Acervo pessoal Mais

Uma britânica de 90 anos fez sua colação de grau sete décadas depois de ter concluído um curso na Universidade de Manchester, em plena Segunda Guerra Mundial. Gene Hetherington se graduou em Comércio em agosto de 1943, mas não pôde participar de sua cerimônia de formatura na época porque estava envolvida no esforço de guerra. Gene colou grau na mesma cerimônia em que sua neta, de 23 anos, se graduou em direito PA Mais

O avô Paulo Sassi, 76, e o neto Guilherme vão receber juntos os canudos da graduação em direito. O aposentado estava há mais de 30 anos fora da universidade (ele se formou em 1975 em administração de empresas). "Quando a gente ingressou, eu era o único velhinho, só tinha gente jovem ou de meia idade. Então, foi uma troca de experiências e os jovens me dedicaram um carinho muito grande." Arquivo Pessoal Mais

Com a maior nota média do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), a mineira Mariana Drummond Martins Lima, 18, conquistou o 1° lugar da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e uma vaga no curso de medicina, mas aguarda o resultado da Fuvest , responsável pelo vestibular da USP (Universidade de São Paulo), para "realizar seu sonho". A aluna superou mais de 2,5 milhões de inscritos no Sisu com sua média de 858,5 pontos, segundo o Ministério da Educação Carlos Eduardo Cherem/UOL Mais

Primeiro lugar geral no vestibular 2014 do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), o maranhense Marcos Santana de Oliveira, 19, deixou a cidade natal e estudou dois anos em Fortaleza, a cidade com mais aprovados no exame deste ano. O caminho até a tão sonhada vaga, no entanto, foi bem maior dos que os mais de 800 km --e as 16 horas de ônibus-- entre a cidade de Dom Pedro (MA) e a capital do Ceará. "Durante a semana eu acordava, ia para o colégio às 7h20 e ficava lá até as 16h. Voltava para a casa e estudava até a meia noite", conta o aluno Divulgação Mais

Morador de favela em SP, Jonathan Silva, 20, foi aprovado em universidade federal de Sergipe por meio das cotas para alunos de escola pública e de baixa renda, previstas em lei federal. Ele, porém, não tinha dinheiro para viajar e fazer a matrícula, que deve ser presencial (R$ 470 de avião ou R$ 340 de ônibus, em viagem de 35 horas). O estudante conseguiu doações para pagar a viagem após matéria da Folha que mostrava seu caso Danilo Verpa/Folhapress Mais

A estudante Siham Kassab tem apenas 15 anos e já está matriculada no curso de medicina veterinária na Ufac (Universidade Federal do Acre). Ela conseguiu na Justiça o certificado de conclusão do ensino médio, apesar de ter cursado apenas o 1º ano. Siham foi aprovada em 5º lugar para o curso de medicina veterinária por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) 2014, que utiliza as notas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Essa foi a primeira vez que a aluna fez a prova do Enem ? ela nunca havia prestado outros vestibulares. A pontuação obtida para entrar no curso foi 664,15 Arquivo pessoal Mais

Aprovada no curso de engenharia de produção, Alice Rocha de Almeida, 17, estava "feliz e aliviada" ao ver seu nome na 1ª chamada da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular), que seleciona para a USP (universidade de São Paulo) e para a Santa Casa. Com jornada dupla -- escola técnica pela manhã e cursinho de tarde --, ela conta que estudava entre 7h e 20h, de segunda a sexta. Aos sábados, ela estudava de manhã e fazia os simulados do cursinho no período da tarde. O dia de "folga" era o domingo, quando ela se enfiava nos livros apenas de manhã. "Só estudava e dormia", conta Alice. Na foto, ela está com o amigo Gustavo, que foi aprovado na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) Reinaldo Canato/UOL Mais

Aos 12 anos, os gêmeos Bryan e Brendon Diniz Borck ganharam medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, que teve 19 milhões de estudantes. Os alunos do Colégio Militar de Porto Alegre lutam por uma classificação para a Olimpíada Internacional de Matemática Nede Losina/UOL Mais

Entre os novos calouros, o IFMA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão) recebe neste ano o seu primeiro aluno com Síndrome de Down: Genilson Protásio Filho, de 17 anos. Ele ficou em primeiro lugar na lista de excedentes das cotas para deficientes no curso técnico de informática e foi chamado pela falta de um dos candidatos aprovados. Segundo o pai do novo aluno, a adaptação do filho está ocorrendo de forma satisfatória Arquivo pessoal Mais

Aos 13 anos, Luiz Fernando Leal Gomes olhou para o alto e sonhou pela primeira vez com o seu futuro: queria ser piloto de caça. Com o tempo, os planos mudaram e Luiz decidiu que podia ir mais longe. Investiu no sonho e vai estudar engenharia aeroespacial em uma universidade nos Estados Unidos. Em janeiro desse ano, ele recebeu o comunicado de que foi aprovado no Instituto Tecnológico da Flórida (Florida Institute of Technology) e aguarda o resultado da seleção em outras cinco universidades americanas. O problema agora é conseguir o dinheiro suficiente para pagar o curso e se manter fora de casa Arquivo pessoal Mais

Rotina bem administrada, equilíbrio entre estudos e lazer, além de determinação. Esta talvez tenha sido a fórmula para o sucesso de Maria Carolina Costa Rios, jovem de 17 anos aprovada em medicina em seis vestibulares. Recém-formada no ensino médio, Carolina escolheu a graduação na UFBA (Universidade Federal da Bahia), mas também foi aprovada na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Uneb (Universidade Estadual da Bahia), Unirio (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro), UFF (Universidade Federal Fluminense) e na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Cinco públicas e uma particular. Divulgação/Isba Mais

Filho de um ex-vendedor de alho em Santo André, no ABC Paulista, o enfermeiro Cleidileno Teixeira Silveira abandonou dois empregos em 2013, nos quais ganhava cerca de R$ 7.000, para tentar, aos 34 anos, realizar o sonho de ser médico. Em janeiro deste ano, descobriu que passou em primeiro lugar no curso de medicina da USP (Universidade de São Paulo) em Ribeirão Preto (313 km da capital). Com 62,91 candidatos para cada vaga, o curso em que Cleidileno foi aprovado era o mais concorrido da Fuvest 2014 José Bonato/UOL Mais

Ramon Gonçalves, de 19 anos, é exemplo de que o esforço pessoal aliado ao apoio estudantil pode mudar a vida de alunos que sonham com uma graduação no exterior. Medalhista em olimpíadas de química e aprovado em cinco universidades internacionais (quatro americanas), o garoto fundou um projeto que ajuda jovens talentos a estudarem em boas escolas no país Arquivo Pessoal Mais

A 103 quilômetros de Fortaleza, José de Paula Firmiano de Sousa, agricultor e pai de oito filhos, resolveu mudar o destino da família. "Zé Alfredo", como é conhecido pelos amigos, iniciou o trabalho na roça ainda criança, aos 7 anos, plantando milho, feijão e algodão. Aos 37, entrou pela primeira vez em uma escola com uma meta: a de ingressar na universidade.No fim de 2013, lá estava Zé Alfredo, aos 53, entre os 404 concluintes dentes dos centros de Ciências, de Tecnologia e de Ciências Agrárias que colaram grau na Universidade Federal do Ceará Arquivo pessoal Mais

A estudante Luana Lopes Lara, 17, deixou a Escola do Teatro Bolshoi, em Joinville (SC), onde mora e estuda há três anos, para se dedicar ao curso de engenharia elétrica em uma das instituições mais conceituadas e concorridas do mundo: o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), nos Estados Unidos. Ela recebeu uma bolsa de 20% e tentará mais um auxílio da Fundação Estudar, instituição sem fins lucrativos que apoia a formação de jovens brasileiros Arquivo pessoal Mais

Conhecido na escola pelos resumos que ajudaram muitos colegas a estudar para as provas, Víctor Domene, 17, teve de encarar o desafio de escolher em qual universidade dos Estados Unidos vai estudar: Princeton, Duke, Harvard, Yale ou Columbia Tiago Queiroz/Ismart/Divulgação Mais

Os irmãos gêmeos idênticos Daniel e Rafael Charles Heringer Gomes, de 15 anos, detêm diversas premiações nacionais na área de exatas, além de terem sido dois dos melhores treineiros na última edição do vestibular da USP (Universidade de São Paulo). No começo de 2014 foram selecionados para representar o país nas Olimpíadas Internacional e Latino-Americana de Astronomia Pâmela Marjorie Mais

Daniel Santana Rocha faz ao mesmo tempo o ensino médio e o doutorado no Impa (Instituto Nacional de Matemática Aplicada), instituição em que ele se graduou e fez mestrado. Em 2014, ele ganhou mais uma medalha na Obmep (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) Reprodução/Facebook Mais

André Lucas Buriti de Melo, 19, fez o ensino médio na rede pública do Acre e passou em 5 faculdades nos EUA: Yale, Babson, Brown, Duke e Georgetown. Em 2012, ele foi aprovado em direito na UFAC (Universidade Federal do Acre), porém optou por deixar o curso para estudar no exterior Arquivo pessoal Mais

"Eu me dediquei muito nesses cinco anos. Eu era das primeiras a chegar na escola", conta a estudante e futura bacharel de direito Chames Salles Rolim, aos 97 anos de idade Arquivo pessoal Mais

"A educação mudou minha vida, me tirou da miséria extrema", conta Cícero Pereira Batista, 33, que pegava livros no lixo para estudar. Apesar das dificuldades, não desistiu e conseguiu concluir o curso de medicina em junho de 2014. Ele é o único da família - de nove irmãos - que concluiu o ensino médio e a graduação Arquivo pessoal Mais

Sebastião Nicomedes de Oliveira, 45, descobriu um de seus maiores talentos durante o tempo em que morou na rua: a escrita. Com ajuda das palavras, conseguiu sair das ruas e se tornou escritor. "Só a educação pode transformar. E não só a educação da escola. A educação que a vida nos ensina também é importante. Educação é qualquer coisa que leve a aprendizagem", afirma. Arquivo pessoal Mais

Karina Caciola passou em primeiro lugar no vestibular 2015 curso de medicina da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). "Eu acho que o meu segredo é a determinação e a persistência. Eu ia para o cursinho e tomava café da manhã por lá. Almoçava em 15, 20 minutos. Voltava a estudar. Estudava de sábado, de domingo. Não tinha trégua", conta. Arquivo pessoal Mais

José Victor Menezes Teles, 14, obteve nota no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) suficiente para ser calouro do curso de medicina da UFS (Universidade Federal de Sergipe). Mesmo sem terminar o ensino médio, ele conseguiu na Justiça o direito de se matricular na faculdade Eugenio Barreto/Divulgação Mais

Quero ajudar meu povo, diz Dara Ramires Lemes, indígena aprovada em medicina na UFScar (Universidade Federal de São Carlos) e na UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) Reprodução/Facebook Mais

"O meio em que você vive influencia muito. Mas aprendi que eu posso ir além. Dei a cara a tapa", diz Abidan Henrique da Silva, filho de doméstica que passou em engenharia na USP. "A minha estratégia foi fazer provas antigas. Peguei provas da Fuvest desde 2003 e treinei redação até os últimos dias antes do exame. Li bastante questões de atualidades, já que sabia que o segundo dia da segunda fase requeria bastante repertório", conta Tiago Queiroz/Divulgação Ismart Mais

Recusado pelo Prouni, Matheus Alpaccino Vale de Castro começou a estudar sozinho e conseguiu em medicina na USP. A frase "O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode lhe dar forma. Tudo depende só de mim" é o lema do estudante Arquivo pessoal Mais

Bruna Sollitto, 21, passou em primeiro lugar na UFRGS por meio da nota do Enem 2014 e do Sisu. Para obter uma boa pontuação, a jovem focou nos estudos e deixou de lado baladas, amigos, namoro, filmes, shows de rock e redes sociais Arquivo pessoal Mais

Sem fazer cursinho pré-vestibular e tendo estudado a vida toda em escolas públicas, Wester Silva Vieira, de 19 anos, foi aprovado em quatro cursos de medicina, um de universidade federal e três de instituições estaduais. "Acredito que uma mente descansada é melhor para aprender. É melhor você dividir o seu tempo com você mesmo, do que tentar repor tudo depois que passar", aconselha Mário Bittencourt/UOL Mais

A faxineira Maria das Mercês Silva, 66 anos, queria ter ido para a escola quando era menina, mas o pai sempre achou que estudo era coisa de homem. O principal estímulo para voltar a estudar veio do neto Felipe Alexandre Feitosa dos Santos, 10 anos. "Eu chorava porque eu não conseguia ajudar nas tarefas", lembra. "Vovó, vamos para a escola. Vai ser bom para você. Você vai aprender e vai me ensinar", passou a dizer o neto Divulgação/Prefeitura de Curitiba Mais

Filho de uma ex-catadora de lixo, o jovem Thompson Vitor, 15, investiu alto na educação e foi aprovado em 1º lugar no curso de multimídia do IFRN (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte). "Eu catei lixo por 10 anos e passava sempre pelos locais onde os ricos moravam, ali achava livrinhos. Trazia para eles [filhos]. Não sabia ler muito, mas lia o que entendia para eles", conta a mãe do jovem, Rosângela da Silva Marinho, 40, que cursou apenas até a 5ª série (atual 6º ano) Arquivo Pessoal Mais

Natália Marques começou a aprender francês ainda criança. Mal sabia ela que o aprendizado iria levá-la tão longe: hoje ela estuda letras modernas na Universidade Paris-Sorbonne, na França Arquivo Pessoal Mais

Noemi Vergopolan Rocha, 24, conquistou uma bolsa de doutorado na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos. Noemi é de uma família simples e fez o ensino fundamental em uma escola pública de Curitiba. ''Faça o melhor uso dos recursos que você tem. Se está em colégio público, 'sugue' ao máximo seus professores. Acho que tem muita gente capaz, falta só acreditar no próprio potencial'', aconselha Lucas Gabriel Marins/UOL Mais

Aos 74 anos, dona Alezina Costa Marques realiza o sonho de aprender a ler e a escrever. "Hoje, eu sou uma pessoa feliz. Ah, como eu gosto de estudar! Pra mim, é um divertimento, uma distração. Não tem coisa mais maravilhosa do que ir pra escola", afirmou Arquivo pessoal Mais

Ele é graduado em filosofia, tradução, biblioteconomia, teologia e letras pela UnB (Universidade de Brasília). Sua dissertação de mestrado foi premiada num concurso latino-americano. A tese doutoral virou um livro e foi indicado para o prêmio Jabuti de 2015. Alcançar tudo isso não foi fácil para Cristian Santos, 38, que teve que vender cocadas dos nove aos 19 anos para conseguir comprar livros, materiais escolares, passe de ônibus e ainda ajudar em casa Arquivo pessoal Mais

O pedagogo Venilton Leonardo Vinci se tornou o primeiro detento do Estado de São Paulo a conseguir formação de nível superior exclusivamente em regime fechado. "Só me resta agradecer. Primeiramente, a Deus. Depois, à direção desta unidade, que acreditou na educação e, principalmente, ao ser humano. Quero ser o espelho de uma nova realidade, pois hoje me torno um pedagogo", comemorou Divulgação/ Claretiano Mais

Filho de pedreiro e de catadora de castanhas, o recém-formado Ismael do Nascimento Silva, 25, fez uma homenagem aos seus pais durante a colação de grau do curso de direito. "Meus pais me deram oportunidade para que eu conseguisse me formar em direito. Apesar de não terem condições, me deram assistência financeira para me manter no curso. Os dois entraram na colação de grau comigo porque são meus maiores exemplos de humildade, honestidade, dedicação e amor", afirmou o novo advogado Zulk Ben/Divulgação Mais

Ao 64 anos, dona Arvelina Volpato Vitorino voltou para a escola e foi classificada para a segunda fase da OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas). "No meu tempo, a matemática era diferente, tinha mais problemas. Hoje é mais complexo, tem mais coisas envolvidas do que fazer conta, mas eu fui bem nas aulas, os professores me convidaram e, como sou muito curiosa, resolvi ver como é", conta. "Quando vi que passei, levei um imenso susto." Arquivo pessoal Mais

Maria Francisca Coruja fez graduação e pós-graduação em pedagogia no início de sua carreira e atuou 35 anos na área de educação. Mas com a morte do marido, em 1998, e de sua mãe, em 2009, a aposentada decidiu retomar os estudos "para ocupar o tempo e não ficar parada". Foi então que conseguiu concluir sua graduação em direito Arquivo pessoal Mais

A brasileira Alice Cunha da Silva, de 25 anos, foi a vencedora da Nuclear Olympiad (Olimpíada Nuclear, em tradução livre), evento mundial voltado a estudantes que estejam interessados no desenvolvimento global de técnicas nucleares. Reprodução/Facebook World Nuclear University Mais

"O mais importante é acreditar. Parece meio clichê, mas é bem isso", ressalta Gustavo de Almeida Silva, 17, aprovado na Dartmouth College, prestigiada faculdade norte-americana. Ela faz parte da chamada Ivy League (ou Liga da Hera, em tradução livre), um grupo com oito universidades norte-americanas que se destacam pela tradição e pela qualidade acadêmica Tiago Queiroz/Divulgação Ismart Mais

Segredo foi a autoestima, diz Sérgio Santana, 18, aprovado em medicina na Universidade Federal do Piauí. Filho de um casal pobre, o jovem estudou a vida toda escola pública de uma pequena cidade no interior do Piauí. Agora ele é só alegria com a aprovação Arquivo pessoal Mais

Vitor Classmann, de 18 anos, passou em 11 vestibulares de medicina, mas avisa: 'objetivo está longe' Arquivo Pessoal/UOL Mais

Cristian Emanuel Oliveira de Vasconcelos, 24, tem paralisia cerebral e concluiu a faculdade de direito junto com a mãe Nilda de Oliveira e Silva, 60. "Se não fosse a ajuda da minha mãe, eu não teria conseguido fazer o curso", conta Christian, agradecido. "Eu quero atuar na área criminalística, e também no cumprimento dos direitos da pessoa com necessidade especial." Chico Noberto Mais

Miriã Galvão Fernandes, 19, comemora a aprovação no curso de história da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Aluna de escola pública, a jovem não sabia direito nem a tabuada quando chegou ao cursinho Marcela Sevilla Mais

"Eu aprendi que o esporte tem vários aspectos, não só a competição. Poderia formar pessoas, capacitá-las e incentivá-las", conta Jackson dos Santos, 26, que teve o primeiro contato com o esporte aos 14. Atualmente professor de educação física, ele não abre mão de ajudar os jovens da região onde cresceu Arquivo pessoal Mais

Aos 91 anos, Colette Bourlier se tornou a pessoa mais velha a obter doutorado na França. Após se dedicar por três décadas à tese, ela recebeu menção honrosa pela Universidade de Franche-Comté Université de Franche-Comté Mais

Maria Madalena Silva se formou em serviço social aos 68 anos. A motivação surgiu após trabalhar por 20 anos como cozinheira em uma clínica de reabilitação, onde ela depois voltou como estagiária. "Só quero ajudar as pessoas", conta Fernanda Queiroz/Arquivo Pessoal Mais

Com sua nota no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), Tales Cauim de Oliveira Alves, de 22 anos, conquistou uma vaga na Universidade do Algarve, em Portugal. Desempregado, ele começou a vender sanduíches para realizar o sonho de estudar fora do Brasil Reprodução/Facebook Mais

Aluna de escola pública e moradora da Favela da Camarista, no Rio de Janeiro, Lorrayne Isidoro Gonçalves, 17, venceu a etapa final da 4ª Olimpíada Brasileira de Neurociências. Ela foi selecionada para representar o Brasil na 16ª Olimpíada Internacional de Neurociência, na Dinamarca Alfredo Mergulhão/UOL Mais

Aluno de escola pública, Henrique Ferreira Vaz, 17, derrotou 18 mil candidatos para uma vaga em Yale Arquivo pessoal / Facebook Mais

Morador de uma favela na Pavuna, zona norte do Rio de Janeiro, o estudante Lucas Bernardo, de 19 anos, conquistou vaga de graduação em duas universidades dos EUA Arquivo Pessoal/Facebook Mais

Ana Karla Nascimento Santa Ana chegou a morar em um lixão e vendeu empadas para poder fazer a faculdade de direito. Apesar de ouvir de várias pessoas que "preto e pobre não estudam direito na faculdade", ela não só se formou como passou no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) antes de terminar o curso Arquivo pessoal Mais

"Se fui capaz e estou estudando em uma das melhores instituições do país, todos são", conta Jósimo da Costa Constant, 27. O jovem da etnia Poianaua é o primeiro indígena a se tornar antropólogo pela Universidade de Brasília (UnB) Arquivo pessoal Mais

"Agora, depois de ter de estudar muito para rever as coisas que tinha aprendido e esqueci, só penso em aprender mais", conta Diego Henrique de Silva Alves, presidiário de 25 anos que ganhou medalha de bronze na Obmep (Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas) Divulgação Mais

Conheça histórias de sucesso na educação

Mais álbuns de UOL Educação x

Últimos álbuns de Educação

UOL Cursos Online

Todos os cursos