PUBLICIDADE
Topo

Confira dicas de etiqueta para brasileiros no Japão

Guia de etiqueta para intercâmbio japão - Stefan Pastorek/UOL
Guia de etiqueta para intercâmbio japão Imagem: Stefan Pastorek/UOL

Cláudia Emi Izumi

Do UOL, em São Paulo

30/01/2013 06h00

Apresentação

A etiqueta pede que você fale seu sobrenome, seguido do nome, e curve a cabeça. Os olhos acompanham o gesto: o erro mais comum é baixar a cabeça e continuar olhando para o rosto do interlocutor. Se for homem, pode posicionar os braços ao longo do corpo. Se for mulher, junte uma mão em cima da outra e coloque-as em frente ao ventre. 

Visita a uma família japonesa

Certifique-se que está usando um par decente de meias, porque terá de tirar os sapatos na entrada da casa e colocar um chinelinho oferecido pelo anfitrião. O recomendado é virar os sapatos com o bico em direção à porta. Parece uma bobagem, mas se entende o motivo depois: facilita calçá-los ao sair.

No restaurante

Na maioria, espera-se à entrada da porta até que um atendente venha e pergunte quantos são. Não estranhe se estiver sozinho: levante um dedo apenas. Se vai encontrar com um japonês, chegue com dez minutos de antecedência. Ao final, prontifique-se para pagar a conta. Se ele quiser pagar, recuse três ou quatro vezes por educação. Depois agradeça várias vezes e, para reforçar, agradeça por telefone ou e-mail.

No transporte público

No metrô e no trem, a regra é a mesma. Espere em fila e deixe primeiro que as pessoas saiam do vagão para depois entrar. Não se assuste com a quantidade de passageiros. A maioria entra sem empurrões. Ofereça seu lugar e dê seu lugar a uma idosa ou grávida. Elas vão recusar várias vezes, como sinal de etiqueta, e você vai insistir outras mais, mas elas depois aceitam.

Curiosidades

1. Os japoneses não deixam o copo dos convidados vazio quando estão confraternizando em bares ou em restaurantes. Para não sair completamente bêbado, aconselha-se deixar a bebida sempre pela metade do copo

2. Pessoas gripadas ou resfriadas costumam usar máscaras do tipo cirúrgico que são vendidas em farmácias e supermercados. Espirrar ou tossir sem proteção perto de desconhecidos pega mal. A máscara serve para que o outro não pegue sua doença e o pensamento coletivo japonês é bem forte

3. Na escada rolante das estações de trem e metrô, a regra é ficar à esquerda e deixar os mais apressados passarem. Na cidade de Osaka, conhecida por ser “transgressora”, é à direita.

4. Se for experimentar uma roupa em um shopping ou loja, não entre com os sapatos no provador. Tire-os do pé e entre descalço na cabine

5. Não responda “tem gente”, em qualquer idioma que for, se alguém bater na porta do banheiro. A etiqueta orienta dar uma a duas batidinhas de volta, para indicar que o banheiro está ocupado

6. Os assentos de banheiros ultramodernos emitem um barulho de água pingando para encobrir  aquele que se ouve quando a pessoa urina. A “melodia” foi adotada para economizar água. Antes, apertava-se a descarga duas vezes. Uma para abafar o som da própria urina e, depois, para deixar o vaso limpo

7. Ao se mudar para uma nova vizinhança, se apresente e dê presentes simbólicos aos vizinhos, como três laranjas, um chocolate ou um doce. Não leve nada caro para não parecer esnobe

8. Os japoneses não costumam rir em filmes de comédia. As gargalhadas e os risos costumam vir dos estrangeiros. Não se reprima, eles estão acostumados

9. Ao entrar em restaurantes, mercados, bares e demais lojas do comércio, é normalíssimo ouvir, aos berros, a frase de boas-vindas “irasshaimase”. Os funcionários também vão falar gritando “arigatô gozaimashita” à sua saída como forma de agradecimento

10. Todo médico, dentista, enfermeira e qualquer outro funcionário de uma clínica médica ou hospital vai dizer “melhoras” ou “cuide-se” ao final da consulta ou após o pagamento da conta