PUBLICIDADE
Topo

Após desocupação, professores acampam em frente à Câmara do Rio

29.set.2013 - Professores da rede municipal do Rio de Janeiro protestam em frente à Câmara Municipal após serem retirados à força do Palácio Pedro Ernesto durante a noite de sábado (28) - Tânia Rêgo/Agência Brasil
29.set.2013 - Professores da rede municipal do Rio de Janeiro protestam em frente à Câmara Municipal após serem retirados à força do Palácio Pedro Ernesto durante a noite de sábado (28) Imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

29/09/2013 14h53

O Sepe (Sindicato dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro) afirmou, neste domingo (29), que professores ficarão acampados em frente à sede da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, no mínimo, até próxima terça-feira (1º), quando deverão fazer uma assembleia e decidir os rumos do movimento.

Na tarde deste domingo, há pelo menos dez pessoas acampadas em frente à sede do órgão legislativo, segundo Marta Moraes, coordenadora geral da Sepe. Eles protestam contra um plano de cargos e salários da categoria, que estava para ser votado, e também protestavam contra a composição CPI dos ônibus na Câmara.

Os professores e funcionários da prefeitura, cerca de 200 pessoas segundo representantes do Sepe, ocupavam a sede da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro desde quinta-feira (26). Na noite deste sábado (28), a polícia agiu e tirou os ocupantes do local à força.  

Duas pessoas foram presas durante a remoção dos funcionários públicos da Câmara. Ambos os profissionais prestaram depoimento e foram liberados pela manhã deste domingo.

Em nota do sindicato, a categoria repudia as circunstâncias da desocupação e acusa a PM de usar de "extrema violência" contra os manifestantes, incluindo o uso de cassetetes e armas de choque.

"Foram usadas armas de choque, e um dos manifestantes, mesmo desmaiado, foi levado pela polícia", diz o comunicado.

Em nota, a Polícia Militar informou que a desocupação da Câmara Municipal na noite de sábado (28) atendeu a um ofício do presidente da Casa. Segundo a PM, Jorge Felippe [presidente da Câmara] solicitou a reintegração e a retirada dos professores que ocupavam o Palácio Pedro Ernesto desde quinta-feira (26).

“O comando da PM tentou durante todo o período de ocupação uma forma de entendimento, mas não houve acordo, a PM cumpriu a determinação da Justiça”, diz a nota.

Após a detenção dos docentes, cerca de 300 educadores chegaram a protestar de madrugada em frente à delegacia, exigindo a libertação dos professores.

(Com Agência Brasil)