PUBLICIDADE
Topo

Vereadores do Rio aprovam texto-base do plano de carreira de professores

Do UOL, em São Paulo*

01/10/2013 17h11Atualizada em 01/10/2013 18h42

A maioria dos vereadores do Rio de Janeiro aprovou nesta terça-feira (1º) o texto-base do projeto que cria um plano de cargos e salários para professores e profissionais da educação municipal. A Câmara vota agora as emendas ao projeto. Uma nova votação será realizada às 18h para decidir qual será o texto final encaminhado para sanção do prefeito Eduardo Paes.

A votação aconteceu após a oposição se retirar do plenário em protesto contra a violência da PM (Polícia Militar) na repressão aos professores que fazem manifestação do lado de fora da Câmara. Dos vereadores presentes na votação, 35 aprovaram o texto e 3 foram contra - Carlo Caiado, Cesar Maia e Tio Carlos, todos do DEM.

Em frente ao prédio, no centro do Rio, o clima é de confronto. A PM tenta desocupar a região da Cinelândia e usa bombas de lacrimogênio. 

O gás lacrimogêneo já invadiu o interior da Câmara, podendo ser sentido dentro do plenário. Enquanto o conflito entre policiais militares e professores prossegue nas ruas, os vereadores continuavam com os debates em torno da proposta. O regime de urgência para aprovação do projeto foi aprovado por 33 votos a 12.

Durante a tarde, um grupo de manifestantes tentou invadir a Câmara Municipal através de um portão lateral. Eles conseguiram quebrar o cadeado que fechava a entrada, mas foram reprimidos com spray de pimenta e bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral. Além da Guarda Municipal, policiais do Batalhão de Choque estão dentro da Câmara para proteger o prédio.

Professora é atingida por estilhaços de bomba durante protesto no Rio

O vereador Leonel Brizola Neto (PDT) criticou a decisão de continuar da sessão. “O presidente da Câmara de Vereadores, Jorge Felippe [PMDB] quer fazer uma sessão com bombas e balas de borracha em cima do povo. Nem na época da ditadura isso ocorreu”, reclamou. A pretensão da bancada governista é aprovar a proposta ainda hoje.

Interdições

Devido aos confrontos no centro do Rio, a estação Cinelândia do metrô permanece fechada. Na estação Carioca, o embarque é realizado apenas pela entrada da avenida Rio Branco, e na Uruguaiana só o acesso pela rua Alfândega está aberto.

A CET-Rio recomenda que os motoristas evitem a região do centro do Rio devido às manifestações. As avenidas Presidente Vargas, Passos e Marechal Floriano apresentam lentidão.

(*Com informações da Agência Brasil)