PUBLICIDADE
Topo

RJ: PM afasta policial que jogou pedra em docentes do telhado da Câmara

Gustavo Maia

Do UOL, no Rio

04/10/2013 17h23Atualizada em 04/10/2013 19h48

A Polícia Militar do Rio de Janeiro informou que vai punir o policial flagrado em um vídeo jogando uma pedra de cima do telhado da Câmara de Vereadores do Rio durante a manifestação de professores contra a votação do plano de cargos e salários apresentado pela prefeitura, na última terça-feira (1º). Segundo a corporação, o PM trabalhava no setor de Inteligência e está afastado de suas funções. Ele fazia parte do Serviço Reservado.

VEJA TAMBÉM

  • Foto de PM incitando violência contra professores causa revolta

Nas imagens, capturadas por funcionários da Casa e divulgadas pelo vereador Jefferson Mouro (PSOL), o policial, que não teve a identidade divulgada, aparece sem camisa e é chamado de "bandido" e "covarde". Os responsáveis pela filmagem, que estavam em prédio anexo da Câmara, xingam o homem e avisam que estão filmando.

Depois que o PM atira o objeto em direção ao local onde estavam os professores, aparece um homem, de camisa social e gravata, que conversa brevemente com ele. Os dois saem juntos do telhado, enquanto ouve-se o barulho de uma bomba estourando.

Segundo a PM, o policial agora terá cinco dias para apresentar suas razões de defesa em documento formal. Ao fim deste prazo, o comando da PM decidirá qual será a punição.

Imagens divulgadas em redes sociais indicam que policiais também teriam se posicionado nas duas cúpulas do Palácio Pedro Ernesto, que ficou sitiado durante a votação, para lançar bombas contra manifestantes na Cinelândia.

O plano de cargos e salários foi aprovado pela maioria dos vereadores na terça e sancionado pelo prefeito Eduardo Paes no dia seguinte.

Em greve desde o dia 8 de agosto, com uma interrupção de dez dias, os professores decidiram manter o movimento nesta sexta-feira (4).