PUBLICIDADE
Topo

Unicamp 2020: propostas de redação abordam biodiversidade e micromachismo

Foto: Divulgação
Imagem: Foto: Divulgação

Carolina Cunha

Colaboração para o UOL

12/01/2020 17h02

Resumo da notícia

  • Candidatos escolheram entre escrever um texto de podcast sobre a relação entre bio e sociodiversidade e uma crônica sobre micromachismo
  • Estudantes classificados ainda responderam oito questões de português e duas interdisciplinares de inglês
  • Segundo dia de prova acontece na segunda (13)

As propostas de redação da Unicamp solicitaram a escrita de um roteiro de podcast relacionando biodiversidade e diversidade sociocultural e uma crônica sobre micromachismo na sociedade atual. A prova foi realizada hoje (12), e os estudantes puderam escolher sobre qual tema escrever. Os 13,5 mil candidatos classificados ainda responderam oito questões de português e duas interdisciplinares de inglês.

Veja aqui as questões do primeiro dia de prova da segunda fase da Unicamp.

Para Gabrielle Cavalin, professora de Redação do Poliedro Campinas, os temas propostos são muito atuais. "O podcast é um gênero que está super em alta. Nesse último ano, a gente presenciou a ascensão de vários canais de podcast. E a ideia de falar sobre machismo e se posicionar sobre isso, é algo que está muito forte nessa geração".

Na primeira proposta da redação, a universidade estadual paulista dizia para o candidato se colocar na posição de um colunista em uma revista eletrônica brasileira, na qual o público é de ambientalistas, e solicitou a escrita de um roteiro para um podcast que aborde a inter-relação entre biodiversidade e o caráter multiétnico e multicultural do Brasil e sua importância para a sustentabilidade.

O estudante precisou relacionar biodiversidade e sociodiversidade, tratar da importância da preservação do patrimônio cultural e ambiental para o crescimento sustentável do Brasil e argumentar de modo a convencer os ouvintes.

No segundo tema, a prova trouxe uma reportagem do jornal El Pais, na qual o autor do texto, Ianko López, listava 13 exemplos de micromachismo no cotidiano. A prova pedia ao candidato que se colocasse na posição de um escritor que "sempre se viu como uma pessoa livre de preconceitos e sempre apoiou a igualdade de gêneros" e que, após ler a matéria, tomou a consciência de que já vivenciou situações machistas e decidiu escrever uma crônica sobre o tema.

O estudante poderia relatar uma experiência pessoal, por exemplo, ou sentimento após presenciar situações vivenciadas por outras pessoas e idênticas às listadas no texto. A prova trouxe um texto base Chimamanda Ngozi Adichie, adaptado da obra Sejamos todos feministas. Nele, a escritora nigeriana relata uma situação vivida na escola, na qual foi vítima de machismo.

Segundo professores, a Unicamp enfatiza a necessidade de fazer uma escrita adequada em cima de um excelente processo de leitura. O candidato deve ter claro qual é a proposta temática e o que está sendo solicitado. "A Unicamp é uma prova de leitura. Mesmo se o aluno não souber como escrever o gênero, o que importa dentro dessa prova é ele entender o contexto comunicacional, a situação de produção que é dada e seguir os comandos da prova. Como resultado ele consegue desenvolver o texto com seus argumentos", diz Gabrielle.

Para a professora, que conversou com diversos candidatos, o tema da sociobiodiversidade foi mais difícil e os alunos se sentiram mais confortáveis em optar pela crônica. "O que percebi é que por mais que crônica tenha sido um gênero mais surpreendente, que quase não cai, a ideia de falar sobre micromachismos atraiu mais os alunos e eles se sentiram mais à vontade para fazer essa proposta, pelo tema ser muito presente no cotidiano".

A banca irá avaliar o aluno com base nos seguintes critérios: se o gênero textual foi respeitado (características do gênero), proposta temática (se o candidato cumpriu a proposta solicitada), leitura dos textos da coletânea (apresentar conteúdo de forma organizada) e escrita e coesão (clareza de texto, adequação à norma culta, entre outros).

Até o ano passado, os candidatos deviam elaborar dois textos de gêneros discursivos diferentes. A partir desse ano, os candidatos podem escolher apenas um dos gêneros para escrever.

Em 2019, a prova de redação também cobrou duas propostas. Na primeira, o candidato deveria elaborar um abaixo-assinado a favor de uma professora de Filosofia e contra a censura. O segundo texto era uma postagem em fórum acadêmico, defendendo o ponto de vista escolhido, a partir de uma análise de dados do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e do Produto Interno Bruto (PIB).

Ao contrário de muitos vestibulares, a prova de redação da Unicamp não apresenta um gênero textual obrigatório, como um texto dissertativo convencional. Ela pode cobrar diversos gêneros. Segundo professores, a Unicamp enfatiza a necessidade de fazer uma escrita adequada em cima de um excelente processo de leitura. O candidato deve ter claro qual é a proposta temática e o que está sendo solicitado.

Segundo dia de prova

Na segunda (13), todos os candidatos fazem uma prova de com seis questões de matemática e quatro questões interdisciplinares (duas questões de ciências humanas e duas questões de ciências da natureza).

Além disso, o segundo dia traz uma prova de conhecimentos específicos, com 12 questões específicas de acordo com a área escolhida pelo candidato.

  • Candidatos da área de ciências biológicas/saúde: seis questões de biologia e seis questões de química

  • Candidatos da área de ciências exatas/tecnológicas: seis questões de física e seis questões de química

  • Candidatos da área de ciências humanas/artes: seis questões de geografia e seis questões de história, englobando conteúdos de filosofia e sociologia

Prova de habilidades específicas

As avaliações de habilidades específicas são exigidas aos candidatos de arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais e dança. Os exames acontecem entre os dias 20 e 24 de janeiro e serão realizados somente em Campinas (SP).

Datas importantes

. Prova 2ª fase - 12 e 13 de janeiro

. Prova de Habilidades Específicas - 20 a 24 de janeiro

. Divulgação da 1ª chamada (para matrícula não presencial) - 10 de fevereiro

. Matrícula não presencial - 11 de fevereiro

. Divulgação da 2ª chamada - 13 de fevereiro

. Matrícula não presencial da 2ª chamada - 14 de fevereiro

.Período para cancelamento de matrícula - 17 a 19 de fevereiro

. Divulgação da 3ª chamada - 18 de fevereiro

. Matrícula não presencial da 3ª chamada - 19 de fevereiro

. Divulgação da 4ª chamada - 21 de fevereiro

.Matrícula presencial da 4ª chamada - 2 de março

Enem