PUBLICIDADE
Topo

Enem

Enem 2021: Terminam as provas do 2º dia; UOL vai corrigir

Do UOL, em São Paulo, e colaboração para o UOL, em Maceió, Manaus, Porto Alegre, São Paulo e Rio*

28/11/2021 12h01Atualizada em 28/11/2021 20h10

O segundo dia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) aconteceu hoje. Os portões foram abertos às 12h e se fecharam às 13h (horários de Brasília), sem atrasos.

A prova durou das 13h30 até as 18h30, meia hora menos do que na semana passada, quando foram respondidas questões de linguagens e ciências humanas, além da redação. O tema escolhido foi "Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil".

Hoje, os candidatos precisaram responder 90 perguntas das provas de matemática e ciências da natureza. O UOL corrige o exame em parceria com o Objetivo.

A maioria dos alunos ouvidos pelo UOL consideraram a prova mais fácil do que a da semana passada. Em contrapartida, houve estudantes que sentiram mais evidentes suas deficiências nos estudos. Além disso, muitos criticaram os enunciados das questões de hoje, voltadas para matemática e ciências da natureza.

Professores avaliaram que a escassez do BNI (Banco Nacional de Itens), com perguntas para formar o Enem, tornou a prova mais conteudista. Isso também fez com que a edição de 2021 ficasse sem perguntas com temas atuais, como a pandemia e a vacinação contra covid.

Como foi o exame?

Segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), responsável pela avaliação, a entrega das provas foi concluída às 10h41. A distribuição dos malotes começou às 8h e foram entregues simultaneamente, em todo o Brasil.

Além da versão impressa, o segundo dia do Enem digital, feito no computador, também foi aplicado hoje. Ao todo, 3,1 milhões de pessoas se inscreveram para os dois formatos, que são feitos simultaneamente pela primeira vez. Mas houve menor comparecimento hoje, normal para o segundo dia de aplicação porque alunos que acharam ter ido mal já não vão ao domingo seguinte.

A prova transcorreu sem graves incidentes. Houve um aluno picado por escorpião em Goiás, mas ele pode pedir reaplicação, a acontecer em janeiro do ano que vem. Mesmo caso dos candidatos do Complexo do Salgueiro, no Rio, que foram afetados pela operação policial em São Gonçalo, na região metropolitana no último domingo (21), deixando ao menos nove mortos.

Segundo o Inep, houve uma falha técnica de conectividade ocorrida no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, em Petrolina (PE), que impossibilitou a realização digital da prova. Os alunos que ficaram sem fazer a prova também podem pedir reaplicação.

O gabarito oficial só deve ser publicado no dia 1º de dezembro.

Enem acontece em meio a crise no Inep

O exame —considerado a principal porta de entrada ao ensino superior— acontece em meio à pior crise do Inep, responsável por todo o processo do Enem. Servidores do órgão fizeram denúncias de assédio, falta de caráter técnico nas decisões e supostas interferências na prova.

Mais de 30 servidores do Inep assinaram um pedido de exoneração de seus cargos. Em carta enviada aos diretores do órgão, eles citaram a "fragilidade técnica e administrativa da atual gestão máxima do Inep".

Danilo Dupas, presidente do órgão, nega as acusações. Fontes ouvidas pelo UOL afirmam que a relação pessoal dele com o ministro da Educação, Milton Ribeiro, é o que o segura no cargo. Nada disso interferiu no primeiro dia de prova.

* Com reportagem de Ana Paula Bimbati, Letícia Mutchnik, Carlos Madeiro, Hygino Vasconcellos, Aliny Gama, Marcela Lemos e Rosiene Carvalho.

Enem