Topo

Mãe registra BO após filho ser chamado de 'Félix' pela professora

Eduardo Schiavoni

Do UOL, em Americana (SP)

08/08/2013 19h41

A mãe de um aluno de Piracicaba (a 160 km de São Paulo) registrou na quarta-feira (7) um boletim de ocorrência por injúria contra uma professora de geografia que teria comparado seu filho de 11 anos ao personagem Félix, interpretado por Mateus Solano na novela “Amor à Vida”, da Rede Globo. Na trama, o ator vive um homossexual.

O caso ocorreu na tarde de quarta na escola na Escola Estadual Professora Juracy Neves de Mello Ferracciú, no bairro Noiva da Colina. A Polícia informou que o caso foi registrado e que espera a representação da mãe do aluno para investigar o assunto. Se condenada, a professora, identificada apenas como Gislane, poderá ser presa por até um ano, além de pagar multa.

  • O personagem Félix é interpretado por Mateus Solano em "Amor à Vida"

A mãe do estudante, de 36 anos, contou que ficou sabendo do caso ao chegar do trabalho, no fim da tarde. “Ele falou comigo entre lágrimas, mal conseguia falar. Estava muito magoado, ofendido mesmo”, contou.

Segundo a mãe, o menino estava triste e contou que a professora fez comentários, em sala de aula, de que ele estava parecendo com um personagem de novela, sem revelar, contudo, qual era. Depois, o garoto foi satirizado por colegas de sala, que afirmaram que o personagem seria Félix. A professora confirmou que se referia ao personagem de “Amor à Vida” e o garoto teria começado a chorar.

  • Aluna transgênero processa escola por proibir uso de banheiro feminino

  • Pais denunciam escola por proibir criança transgênero de usar banheiro das meninas

De acordo com o relato do garoto, a professora pediu desculpas e falou que tudo se tratava de uma brincadeira, que ele não precisava ficar triste. Na saída da escola, ele teria sido novamente hostilizado por colegas, que passaram a chamá-lo de Félix.

Polícia

Ao encontrar o filho chorando em casa, a mãe disse que foi até a escola, onde procurou a coordenação e relatou o ocorrido. Segundo ela, um funcionário afirmou que o caso tinha sido apenas uma brincadeira e que a professora era competente.

“Não discuto que ela seja competente, mas eles não podem passar por cima disso. É uma situação muito delicada, não dá pra deixar passar em branco. A professora precisa entender que isso foi errado”, disse a mãe.

Insatisfeita com a postura da escola, a mãe resolveu registrar um boletim de ocorrência. O garoto compareceu às aulas normalmente na tarde de hoje.

Outro lado

A reportagem tentou falar com a direção da escola, mas foi informada por telefone que ninguém da instituição estava autorizado a falar sobre o caso. A Diretoria de Ensino de Piracicaba disse que uma reunião entre a mãe, a professora e a diretora da escola será realizada na segunda-feira (12) para discutir o caso.

Em nota, a Diretoria informou ainda que a situação foi um “mal entendido” e que irá “tomar providências” para o esclarecimento da questão. Os colegas de sala do aluno, ainda de acordo com a instituição, também serão ouvidos.

Mais Educação