PUBLICIDADE
Topo

No Amapá, escola compra instrumentos musicais com venda de biscoitos

Os instrumentos da banda da escola Nilton Balieiro Machado foram comprados com a venda de biscoitos  - Divulgação
Os instrumentos da banda da escola Nilton Balieiro Machado foram comprados com a venda de biscoitos Imagem: Divulgação

Marcelle Souza

Do UOL, em São Paulo

22/04/2014 05h00

Uma escola de Macapá pretende pagar mais de cem instrumentos musicais com a venda de biscoitos. Se o sonho parece grande demais, saiba que a Escola Estadual Professor Nilton Balieiro Machado já conseguiu comprar 13 equipamentos de ar-condicionado com a venda dos doces em 2013.

A ideia de arrecadar dinheiro foi da diretora, Elba Dias, que chegou à escola em 2012, quando os alunos reclamavam da falta de ventiladores e das altas temperaturas dentro das salas de aula. Ela assumiu a dívida e mobilizou professores, funcionários e estudantes, que começaram a comprar os biscoitos no intervalo das aulas.

A diretora Elba Dias, da Escola Estadual Professor Nilton Balieiro Machado - Divulgação - Divulgação
Elba Dias, diretora da Escola Estadual Professor Nilton Balieiro Machado
Imagem: Divulgação

“O nosso Amapá é muito quente e as salas, sem forro e com ventiladores estragados, eram muito abafadas. Fiquei sensibilizada com os alunos e resolvi fazer essa loucura de amor pelas crianças”, diz Elba.

Com as salas climatizadas e a dívida quitada, a diretora assumiu outras dez parcelas de cerca de R$ 3.000 cada para comprar os 105 instrumentos para a banda.  Para pagar a conta, mais de 400 biscoitos Monteiro Lopes são vendidos por dia na escola. Cada quitute, que é tradicional da culinária do Amapá, custa R$ 0,50.

“A nossa escola fica em um bairro periférico e com essa banda conseguimos tirar muitos alunos da rua, que se envolviam com roubos e drogas. Já somos a segunda maior banda do Amapá e a maior comprada com tanto esforço”, diz Elba, que tem 62 anos.

Os alunos têm aulas aos finais de semana com um professor voluntário, um músico do Corpo de Bombeiros. O objetivo do grupo é conquistar o primeiro lugar no concurso de bandas, que será realizado no meio de deste ano.

Quando os equipamentos forem pagos, eles serão transferidos para o nome da escola – o que já foi feito com os equipamentos de ar-condicionado. O próximo passo, diz a diretora, é conseguir mais 20 instrumentos musicais. "Seria uma honra para a nossa escola ser a maior banda do Estado", diz. O grupo é formado por alunos de todas as idades e, para garantir a vaga na banda, é preciso tirar boas notas.

A escola tem quase 2.000 alunos do ensino fundamental, ensino médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos), e funciona nos três turnos. Aos finais de semana, o colégio fica aberto para atividades recreativas e oficinas de capacitação para alunos e a comunidade.

Dedicação

Nascida no Amapá, Elba começou a dar aulas aos 15 anos para alunos dos primeiros anos do ensino fundamental. Formou-se em letras e passou a lecionar português para turmas da 5ª à 8ª série. Aos 42 anos, a professora se aposentou, mas não deixou a escola. A partir daí, passou a assumir cargos de gestão.

Elba começou a vender biscoitos em 2002, quando virou diretora da Escola Municipal Vera Lucia Pinon Nery. Os quitutes fizeram sucesso e o dinheiro foi suficiente para calçar a escola. “Eu nunca gostei de ficar em casa, sempre procurei fazer algo que gostasse com educação. Eu amo de paixão os alunos e a escola”, diz.

Ganhadora de prêmios gestão escolar, Elba diz que o próximo desafio é transportar mais de 4.500 livros doados por um empresário de Goiânia para a escola Nilton Balieiro. "Tenho certeza que vamos conseguir", afirma a diretora.