PUBLICIDADE
Topo

Dos 7 estados que já planejam a volta às aulas, 2 estão com alta de mortes

Filipe Redondo/Folhapress
Imagem: Filipe Redondo/Folhapress

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

13/07/2020 11h00

Resumo da notícia

  • Sete estados planejam a volta das aulas presenciais nas escolas públicas para os meses de agosto e setembro
  • Em todo o país, escolas das redes estaduais estão fechadas há cerca de quatro meses devido à pandemia do coronavírus
  • Em GO e no TO, há possibilidade de retorno das aulas presenciais em agosto; os estados, no entanto, apresentaram aceleração no número de mortes

Sete estados planejam a volta das aulas presenciais nas escolas públicas para os meses de agosto e setembro, segundo levantamento realizado pelo UOL junto às secretarias estaduais de Educação. Dois deles, porém, têm registrado aceleração no número de mortes por covid-19.

Os dados sobre o retorno das aulas foram obtidos com as secretarias entre os dias 2 e 8 de julho. Em todo o país, escolas das redes estaduais estão fechadas há cerca de quatro meses devido à pandemia do coronavírus.

O retorno deve acontecer de forma gradual e obedecendo a uma série de critérios sanitários: entre eles, o estabelecimento de turmas menores, mantendo o distanciamento social, e a obrigatoriedade do uso de máscara por alunos, funcionários e professores.

Em Goiás e no Tocantins, há possibilidade de retorno das aulas presenciais em agosto. Ambos os estados, no entanto, apresentaram aceleração no número de mortes causadas pela covid-19 nas duas últimas semanas, como mostraram os dados divulgados ontem pelo consórcio de veículos de imprensa.

Um decreto do governador Ronaldo Caiado (DEM) institui uma quarentena alternada, de 14 em 14 dias, para atividades consideradas não essenciais no estado de Goiás. Aulas presenciais não estão autorizadas a acontecer.

Em nota, a secretaria estadual de Educação de Goiás informou que "existe a possibilidade de retorno às aulas presenciais na segunda quinzena de agosto", mas que ainda não há data estabelecida para isso. "A data definitiva do retorno, contudo, depende de autorização da Secretaria de Estado de Saúde, conforme o cenário de casos", diz o texto enviado pela pasta.

No Tocantins, segundo a secretaria de educação do estado, há previsão de reabertura das escolas para o dia 3 de agosto. As atividades, que hoje acontecem apenas remotamente, passarão a acontecer em formato híbrido (em que os estudantes cumprirão parte da carga horária de maneira presencial e outra parte a distância).

Para que isso aconteça, foi estabelecido um cronograma para o retorno, que acontecerá de forma escalonada, dando prioridade aos alunos do 3º ano do ensino médio, e com revezamento de turmas.

O cronograma prevê que 50% dos alunos do 3º ano participem das aulas presenciais na semana do dia 3 de agosto. Em seguida, a outra metade dos estudantes do mesmo ano devem participar das atividades nas escolas na semana do dia 10 de agosto.

Já os alunos do 1º e do 2º ano do ensino médio no estado do Tocantins iniciarão o mesmo revezamento entre as semanas dos dias 17 e 24 de agosto. Para o ensino fundamental, o início das aulas presenciais, também com revezamento de 50% das turmas, será no dia 31 de agosto.

Outra região que vem apresentando alta no número de mortes por coronavírus e que previa a volta das aulas presenciais para o mês de agosto é o Distrito Federal. Na última quarta-feira (8), o governador Ibaneis Rocha (MDB) recuou e suspendeu a reabertura das escolas públicas, antes marcada para o dia 3 de agosto. Ainda não foi definida uma nova data para o retorno.

Maranhão, Pará e Rio Grande do Norte também têm previsão para agosto

No Maranhão, um decreto do governador Flávio Dino (PCdoB) autoriza todas as instituições de ensino a retomarem suas atividades presenciais a partir do dia 3 de agosto. "Contudo, para a rede pública estadual esta data ainda não foi definida", diz a secretaria de educação do estado.

Segundo a secretaria de educação do Pará, a volta das aulas presenciais na rede estadual está prevista para 3 de agosto, "porém dependerá da autorização dos órgãos de saúde".

O cenário é semelhante no Rio Grande do Norte. Há previsão de que as aulas presenciais sejam retomadas no dia 14 de agosto, se houver condições sanitárias.

Acre e São Paulo preveem volta em setembro

Em São Paulo e no Acre, a previsão é de que a reabertura das escolas aconteça em setembro.

No estado paulista, o plano de retomada das atividades presenciais prevê a volta no dia 8 de setembro e com escolas com 35% da capacidade máxima de alunos. A confirmação da data, no entanto, dependerá da permanência de todas as regiões do estado na fase amarela (fase 3) do plano de flexibilização da economia, o chamado Plano São Paulo, por pelo menos 28 dias.

No Acre, apesar da previsão de retorno em setembro, não há ainda uma data estabelecida para a volta. Segundo a secretaria de educação, "tudo irá depender do controle da doença no estado".