Alckmin diz que não usará PM em escolas invadidas

Em São Paulo

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) mudou na quarta-feira (18) sua estratégia para lidar com a onda de invasões nas escolas estaduais. Até agora, o Estado acenava com a possibilidade de usar a polícia para desocupar os colégios e, para tanto, procurou a Justiça a fim de obter a reintegração de posse das unidades.

"Já temos até reintegração (concedida) e não estamos usando ação policial. Eu mandei tirar toda polícia lá da frente da escola", disse Alckmin. Segundo ele, há aproveitamento político por trás do movimento de ocupações contra a reorganização da rede pública.

Na terça, o secretário da Educação, Herman Voorwald, afirmara que o Estado pediria a reintegração de posse das escolas ocupadas. Nessa quarta, Alckmin deixou de desocupar duas unidades no Estado - uma em Osasco, na Grande São Paulo, e outra em Santa Cruz das Palmeiras. Em Osasco, mesmo com a decisão judicial, a polícia não cumpriu a ordem. Nas demais ocupações - nesta quarta, eram 48, 23 na capital - também não havia presença de policiais, diferentemente do que ocorrera na semana passada, quando a Escola Fernão Dias Paes, em Pinheiros, na zona oeste, foi cercada por cem PMs por quatro dias.

Ocupações

O Ministério Público entrou com uma ação para barrar a reintegração da Escola Heloísa Assumpção, em Osasco. No entanto, o pedido foi negado pelo juiz Olavo Sá da Silva, que em sua decisão disse que, "o que importa é que a escola continue funcionando, e nada justifica a invasão perpetrada".

Apesar de mantida a decisão, até as 19h30 dessa quarta, 18, a polícia não havia cumprido a ordem. Já em Diadema a Justiça suspendeu a reintegração de posse da Escola Diadema, a primeira tomada pelos alunos na onda de ocupações.

A suspensão ocorreu após a Apeoesp, sindicato dos professores, entrar com recurso pedindo que a Justiça aguardasse o desfecho da audiência de conciliação, marcada para essa quarta na Justiça. Ariel Castro, do Conselho Estadual de Defesa da Pessoa Humana, disse que o acordo pode servir de modelo para lidar com as ocupações. COLABOROU JOSÉ MARIA TOMAZELA

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos