PUBLICIDADE
Topo

Eduardo Paes: sindicato dos docentes não cumpriu acordo com a prefeitura

Do UOL, em São Paulo

30/09/2013 22h18

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, respondeu nesta segunda (30) em uma transmissão ao vivo pela internet a perguntas dos profissionais da educação sobre o plano de carreira que deve ser votado pela Câmara Municipal na terça-feira (1º). Durante duas horas, o prefeito criticou a postura do sindicato e disse que se reuniu três vezes com representantes da categoria.

“Essa é a postura do magistério do município?”, questionou Paes. “A gente nunca esteve fechado para o diálogo, o que não dá é colocar a faca no pescoço”, disse, sobre a maneira com que o Sepe (Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ) estaria conduzindo a negociação.

Enquanto o prefeito falava sobre o plano pela internet, manifestantes e policiais entravam em confronto no centro do Rio, onde professores protestaram durante todo o dia. Os docentes permanecem acampados do lado de fora da Câmara nesta segunda para pressionar a retirada do projeto da pauta de votação de terça. Eles não concordam com o plano apresentado por Eduardo Paes aos vereadores.

Durante a transmissão ao vivo, o prefeito, a secretária de Educação, Claudia Costin, e técnicos da secretaria responderam a perguntas dos funcionários da rede municipal enviadas pelo Twitter.

“Não é possível que um dos 51 vereadores não tope conversar [com o sindicato] e propor uma emenda [ao projeto que trata do plano de carreira da categoria]”, disse.

Paes ainda afirmou que o sindicato descumpriu os acordos firmados. “Nós fizemos três acordos, todos assinados pelo Sepe, eu cumpri tudo o que assinei”.

Sobre a falta de participação do sindicato na elaboração do plano de carreira, uma das críticas da categoria ao projeto, Paes disse que a greve deveria ter sido interrompida, conforme o combinado. “No mês de agosto, nós fizemos a proposta de criar um grupo de trabalho para fazer o plano [de carreira] em 90 dias. No primeiro acordo, o Sepe pediu para que ele fosse entregue em 30 dias, e não em 90. Só que o compromisso era a greve terminar no dia 28, mas eles só interromperam a paralisação no dia 10, faltando três dias úteis para a entrega do plano. Então, não houve tempo viável para a participação do Sepe”, disse Paes.

Durante a apresentação, o prefeito ainda disse que pode cortar o ponto dos grevistas, já que há uma decisão da Justiça favorável à prefeitura.