Topo

PM usa bombas de gás em protestos de estudantes em SP; 4 foram detidos

Camila Neumam, Marcelle Souza e Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

2015-12-03T10:27:42

2015-12-04T13:53:56

03/12/2015 10h27Atualizada em 04/12/2015 13h53

A Polícia Militar usou bombas de gás lacrimogêneo em ao menos três pontos de protesto em São Paulo nesta quinta-feira (3). Os estudantes fecharam vias pela cidade e foram reprimidos pela PM. Na manhã de hoje, quatro pessoas foram detidas na avenida Faria Lima, na zona oeste de São Paulo.

Por volta das 10h, a PM tentou dispersar os estudantes com várias bombas no cruzamento das avenidas Rebouças e Faria Lima. Os estudantes tentaram fechar a avenida com cadeiras escolares e foram impedidos. Com as bombas, os estudantes fugiram no meio dos carros. Por causa do confronto, as lojas da avenida começaram a fechar as portas.

Um estudante de 18 anos chegou a desmaiar por causa do gás. “Com eles [a PM] não tem diálogo, chegamos aqui e fomos recebidos com bomba e spray de pimenta. Tenho problema respiratório, então passei mal na hora, porque a bomba estourou perto de mim. Pedi ajuda dos meus colegas, que na verdade são meus irmãos. A gente vai parar o mundo”. Assim como ele, grande parte dos manifestantes é secundarista que está na ocupação da Escola Estadual Fernão Dias, na zona oeste de São Paulo. Também há universitários no grupo.

"A gente faz tudo democraticamente, decidimos tudo em assembleia, não temos participação de partidos políticos nas decisões de nossas ações", disse um estudante que estava na avenida Faria Lima com o grupo de manifestantes nesta manhã.

Após o confronto entre manifestantes e policiais, o grupo seguiu pela avenida Faria Lima no sentido Itaim Bibi. Durante a caminhada, marcada pela perseguição policial em boa parte do trajeto, quatro pessoas foram detidas. A reportagem do UOL presenciou um deles sendo agredido com cassetete por um policial no momento em que foi detido. Eles foram encaminhados para o 14º DP (Itaim Bibi). Mas antes os PMs que fizeram as detenções haviam informado que os estudantes iriam para a 15ª DP, no mesmo bairro. O grupo de estudantes foi até a delegacia e, depois de nova confusão, foram informados que os detidos tinham ido para a 14ª DP. 

Mais cedo, o mesmo grupo já havia bloqueado a marginal Pinheiros na altura da ponte Eusébio Matoso, na zona oeste da capital. A PM liberou a via usando bombas de efeito moral e, em seguida, os estudantes entraram no terminal Butantã com as cadeiras usadas para bloquear a marginal.

A via já foi bloqueada na segunda-feira (30), quando um grupo interrompeu o trânsito no local por cerca de quatro horas. 

Outro protesto

Na região central, bombas também foram atiradas contra os manifestantes que fechavam o cruzamento das avenidas São João e Angélica por volta das 8h.

Além da marginal e da Angélica, os estudantes realizaram bloqueios em outros seis pontos da cidade nesta quinta. Eles são contra o processo de reorganização da rede estadual de ensino proposto pela Secretaria da Educação. Nesta quinta, cerca de 200 escolas estavam ocupadas por estudantes em todo o Estado.
 

Mais Educação