A importância de Wittgenstein





Autor Josué Cândido da Silva




Objetivos

1) Apresentar a virada lingüística da filosofia promovida por Wittgenstein.

2) Apresentar os conceitos-chave do "Tractatus Logico-Philosophicus".

3) Trabalhar a habilidade de formação de conceitos.

Explorando o tema

Nesta aula sobre filosofia da linguagem trataremos da teoria da figuração de Wittgenstein. Caso considere interessante, o professor pode fazer uma exposição sobre a importância dos avanços da lógica, no início do século 20, com os trabalhos de G. Frege. Pode também pedir aos alunos que realizem uma pesquisa sobre as principais teses filosóficas dos participantes do chamado Círculo de Viena (Carnap, Hempel, Popper, etc.). Tais atividades podem contribuir para situar na história da filosofia a importância do trabalho de Wittgenstein.

Definição de conceitos

Peça aos alunos que leiam o texto Wittgenstein e a figuração do mundo ou apresente-o por meio de aulas expositivas. Depois, proponha aos alunos que definam os conceitos a seguir, segundo a teoria de Wittgenstein: a) estado de coisas; b) figuração; c) forma lógica; e d) mundo.

Interpretação de texto

Peça aos alunos que escolham dois dos aforismos do "Tractatus" transcritos abaixo e comentem com o colega quais escolheram e as razões da escolha. Em seguida, o professor pode ler cada um dos aforismos e pedir que algum aluno que o tenha escolhido dê sua interpretação sobre ele. Depois, o professor pode pedir que outro aluno comente a interpretação ou adicionar alguns comentários à opinião do aluno.

Aforismos (o número ao lado corresponde à notação do "Tractatus"):

"O mundo é a totalidade dos fatos, não das coisas." (1.1)

"O pensamento contém a possibilidade da situação que ele pensa. O que é pensável é também possível." (3.02)

"Já foi dito que Deus poderia criar tudo, salvo o que contrariasse as leis lógicas. - É que não seríamos capazes de dizer como pareceria um mundo 'ilógico'." (3.031)

"O fim da filosofia é o esclarecimento lógico dos pensamentos. A filosofia não é uma teoria, mas uma atividade. Uma obra filosófica consiste essencialmente em elucidações. O resultado da filosofia não são 'proposições filosóficas', mas é tornar proposições claras." (4.112)

"Tudo que pode ser em geral pensado pode ser pensado claramente. Tudo que se pode enunciar, pode-se enunciar claramente." (4.116)

"Os limites de minha linguagem significam os limites de meu mundo." (5.6)

"O que não podemos pensar, não podemos pensar; portanto, tampouco podemos dizer o que não podemos pensar." (5.61)

"O sentido do mundo deve estar fora dele. No mundo não há nele nenhum valor - e se houvesse, não teria nenhum valor." (6.41)

"A morte não é um evento da vida. A morte não se vive." (6.4311)

"Percebe-se a solução do problema da vida no desaparecimento desse problema. (Não é por essa razão que as pessoas para as quais, após longas dúvidas, o sentido da vida se fez claro não se tornaram capazes de dizer em que consiste esse sentido?)" (6.521)
"Sobre aquilo de que não se pode falar, deve-se calar." (7)

Debate: o papel da filosofia

Nesse texto vemos Wittgenstein propor que a filosofia limite-se ao esclarecimento do sentido das proposições, sem poder dizer nada sobre a totalidade do mundo. Peça aos alunos que discutam em duplas se concordam ou não com Wittgenstein sobre o papel da filosofia depois da "virada lingüística". Os alunos deverão construir argumentos independentemente do ponto de vista escolhido. A seguir, pode-se pôr os alunos em círculo e deixá-los debaterem suas posições com a mediação do professor.

Josué Cândido da Silva
é professor de filosofia da Universidade Estadual de Santa Cruz em Ilhéus (BA).

UOL Cursos Online

Todos os cursos