Carta-convite: discutir discriminação na escola

Antonio Carlos Olivieri, da Página 3 Pedagogia & Comunicação

  • Domínio Público

    A bandeira com as cores do arco-íris tornou-se um símbolo primeiramente da comunidade gay norte-americana nos anos 1970 e, depois, da diversidade sexual

    A bandeira com as cores do arco-íris tornou-se um símbolo primeiramente da comunidade gay norte-americana nos anos 1970 e, depois, da diversidade sexual

Em São José dos Campos (SP), no dia 22 de fevereiro de 2016, um estudante de 18 anos foi violentamente agredido com pauladas, socos e pontapés, na saída da escola. Motivo: ele é homossexual. Apesar de abominável, o fato não chega a ser inédito. A propósito, uma pesquisa recente revelou que cerca de 20% dos alunos de vários Estados brasileiros não querem ter colegas homossexuais, travestis, transexuais ou transgêneros. Suponha que, na sua escola, diante de um problema desse tipo, isto é, a presença de um ou mais alunos com opção sexual diferente da maioria, um grupo de alunos resolveu marcar uma discussão sobre o assunto, de modo a propor soluções e estabelecer uma convivência pacífica. Você ficou encarregado de escrever a carta-convite a todos os membros da comunidade escolar a participar dessa reunião. No seu texto, você deve convencer os destinatários da importância da iniciativa. No artigo abaixo, publicado pelo UOL Vestibular, você vai encontrar algumas reflexões acerca de intolerância, tolerância, direitos humanos e alteridade. Você deve usá-los em seu texto, adaptando-os à situação específica de sua carta-convite.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos