Debate: A homofobia dentro da escola

NOTA 6,5

Na atualidade, é certo afirmar que, cerca que cerca de 10% da população são homossexuais, ainda que, exista que exista um grande preconceito contra isso. Infelizmente, ainda convivemos com casos constantes de agressões a gays e lésbicas, não só na nossa escola, mas também nos em diversos lugares públicos. São vários os exemplos de intolerância e preconceitos que nossa sociedade deve superar para que a igualdade exista de verdade.

A bissexualidade e a homossexualidade não são desvios de caráter, doença ou algo contagioso. A psicologia já demonstrou que ninguém sabe explicar cientificamente o por que das porquê de as pessoas serem heterossexuais, homossexuais ou bissexuais. Há fatores biológicos, psicológicos e socias sociais. É meramente errado tratar uma pessoa com desprezo, descaso ou humilhação, só pelo simples fato dela de ela não seguir a norma padrão norma-padrão da sociedade.

É sempre importante deixar claro que, da mesma forma que exista existem pessoas que sentem desejo pelo sexo oposto, há também pessoas que o sentem pelo mesmo sexo. Por conseguinte, contra essa corrente, a nossa primeira função é problematizar e desnaturalizar questionar esse preconceito discriminatório que existe.

Por isso, venho através por meio desse comunicado informar-lhes sobre o debate que ocorrerá na escola. Essa superação das discriminações, de qualquer natureza, na nossa esfera escolar, assim como nas diversas outras escolas, é condição fundamental para caminharmos na direção de uma sociedade verdadeiramente democrática, na qual a diversidade cultural possa ser defendida e valorizada.

Comentário geral

Texto bom, com problemas pontuais e alguns mal-entendidos. O autor demonstrou compreender a proposta de escrever uma carta-convite, mesmo começando a redigir ao modo de uma dissertação no sentido estrito. Por outro lado, ele não se colocou na situação-problema apresentada pela proposta de redação: ou seja, não tratou de um suposto caso específico na sua escola, mas subordinou a questão na escola à questão na sociedade. Igualmente, ele efetivamente apresentou argumentos conta o preconceito de modo genérico e não defendeu a importância de discutir esse problema no âmbito específico de sua escola.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: é sempre bom esclarecer de que tipo de igualdade se está falando. No caso, está se falando de igualdade de direitos, sejam civis ou humanos.

2) Segundo parágrafo: essa afirmação é complicada. Não é verdade que a psicologia, enquanto ciência específica, tenha feito uma demonstração (demonstrar significa estabelecer inquestionavelmente um fato) de que é impossível explicar as causas da homossexualidade e de outras manifestações da sexualidade humana. O próprio autor, logo em seguida, fala em fatores biológicos, psicológicos e sociais, ou seja, em causas. Então, devido a um explicação confusa, o texto incorreu numa contradição.

3) Terceiro parágrafo: a) novamente o autor faz confusão: qual é essa corrente? Usar o pronome demonstrativo essa supõe que o autor tenha se referido a uma corrente imediatamente antes de usar o pronome, o que não ocorre. Além disso, corrente é usado como metáfora. Entende-se que o autor quer dizer que quer questionar os preconceituosos ou homofóbicos, mas não foi o que ele disse. b) O parágrafo termina com um festival de redundâncias. Bastava falar em questionar o preconceito.

4) Quarto parágrafo: por que falar especificamente em diversidade cultural, quando a questão é a diversidade de gênero?

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 6,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos