PUBLICIDADE
Topo

Educação

Banco de Redações

O UOL corrige e comenta 20 redações. Envie a sua sobre o tema da vez


REDAÇÕES CORRIGIDAS - Março/2020 Carnaval e apropriação cultural

Redação corrigida 400

As fantasias no carnaval

Inconsistente Erro Correção

O carnaval Carnaval é uma das maiores festas no Brasil, e Brasil e nele vemos fantasias tanto conservadoras quanto vulgares. Nos últimos tempos tempos, vemos muitas pessoas a favor ou contra fantasias de índios índio ou as pessoas usarem um simples turbante na cabeça, que pode se resumir em apropriação cultural.

Há muitas pessoas que concordam com esse tipo de fantasia, pois pois, para eles, estão ajudando a índios índios ou a pessoas pessoas dentro de uma certa religião, serem religião a serem aceitas pelas outras.

Essas mesmas pessoas que pensam que estão ajudando, mas se sentem ofendidos Essas mesmas pessoas, no entanto, sentem-se ofendidas quando índios usam uma roupa ou algum acessório tipicamente usados por pessoas brancas e da cidade, pois pois, para eles, índios deveriam passar suas vidas inteiras dentro das florestas, isso tudo por falta de informações.

A maioria das pessoas que são contra o uso da fantasia, acreditam desse tipo de fantasia acredita que o carnaval Carnaval é para diversão, e não para fingir ser uma pessoa cujo você não sabe o que ela passa durante o resto do ano, porque isso é uma ótima maneira de se mostrar um grande hipócrita.

Em virtude do que foi mencionado, é um grande erro apropriar-se da cultura dos que sofrem racismo, muitas vezes vinda vindo de você mesmo. Nunca sabemos o que a outra pessoa passa, e passa e, mesmo se soubéssemos, não é uma razão para você dar vida a um simples personagem de que você não irá se lembrar pelo resto do ano, até o próximo carnaval Carnaval.

Comentário geral

Texto fraco. Em termos de linguagem, apresenta muitos erros de gramática e inconsistências linguísticas, como a oposição entre "conservador" e "vulgar", que não são necessariamente termos opostos. Segue e conclui o parágrafo uma declaração desorganizada sob o ponto de vista da lógica. "Pessoas dentro de uma religião" é um coloquialismo, um dos muitos coloquialismos e das informalidades que há no texto (como o uso repetitivo de "você" no último parágrafo). O segundo e o terceiro parágrafos são uma divagação que extrapola o tema da redação, além de serem afirmações baseadas exclusivamente na opinião do autor, sem que ele traga fatos que as comprovem. Por sinal, o terceiro parágrafo se encerra com uma frase ambígua sobre índios e falta de informação. O quarto parágrafo, além de informal ("ótima maneira") tem a sintaxe truncada. O final também é confuso e não decorre diretamente do que foi dito antes. Enfim, não há propriamente coesão no texto, que não segue uma linha de raciocínio para comprovar um ponto de vista.

Competências avaliadas

As notas são definidas segundo os critérios da pontuação do MEC
Título nota (0 a 1000)
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 80
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 80
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 80
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 80
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 80
Nota final 400

Redações corrigidas

Título nota (0 a 1000)

Os textos desse bloco foram elaborados por internautas que desenvolveram a proposta apresentada pelo UOL para este mês. A seleção e avaliação foi feita por uma equipe de professores associada ao Banco de redações.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012.

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.