PUBLICIDADE
Topo

Educação

Banco de Redações

O UOL corrige e comenta 20 redações. Envie a sua sobre o tema da vez


REDAÇÕES CORRIGIDAS - Janeiro/2020 Supremo Tribunal Federal e opinião pública

Redação corrigida 880

A atual importância do Supremo Tribunal Federal para a sociedade brasileira

Inconsistente Erro Correção

O Supremo Tribunal Federal, órgão de cúpula do sistema judicial brasileiro, é uma corte jurídica, pois integra a estrutura do Poder Judiciário e porque aprecia, segundo as regras do direito, as situações que são levadas até seus julgadores. Ademais, é uma corte política, já que a repercussão de suas manifestações tem abrangência nacional, tendo em conta o fato de que o tribunal está encarregado de decidir questões de alta relevância para o país. Considerando o último aspecto, o Pretório Excelso, outra denominação dada ao tribunal, está sujeito à opinião pública, a qual não tem considerado o verdadeiro papel da corte.

Por um lado, o destaque para o Supremo Tribunal Federal se dá porque a Constituição Federal de 1988 lhe conferiu importantes funções, seja com relação à guarda da própria Carta Magna, seja por conta de que julga as principais autoridades do país. Esse papel, entretanto, tem sido alvo de muitas críticas, relativamente ao modo como é desempenhado. O que deve ser observado é que o tribunal não pode considerar verdadeiramente os anseios da sociedade, posto que, como aplicador das leis, deve se ater às mesmas. Se o povo, por sua vez, quiser uma mudança que extrapole o texto legal, precisa recorrer ao Poder Legislativo, que de fato representa a vontade da população.

Outro ponto relevante é a questão dos direitos e garantias fundamentais, os quais surgiram como contraponto ao regime ditatorial que precedeu à promulgação da Constituição da República de 1988. O Supremo Tribunal Federal, como guardião desses direitos e garantias, também trouxe consigo o viés de proteger as minorias sociais e os direitos individuais, o que também deve ser considerado pela opinião pública. Dessa forma, os representantes do povo, como componentes dos demais poderes da República, são a voz da maioria, enquanto a Suprema Corte tem o papel de garantir que as minorias também serão ouvidas, emitindo decisões que assegurem a interpretação justa dos dispositivos legais.

Concluindo, o que então se considera não é que o Supremo Tribunal Federal não deve se conformar à opinião da sociedade, mas que tão somente desempenhe suas funções da maneira que foram designadas, objetivando, é claro, à realização da justiça. Esta, por sua vez, não em seu viés subjetivo de clamor público, mas na conformidade de leis e dos profundos conhecimentos os quais possuem os julgadores dessa importante corte.

Comentário geral

Texto muito bom, que não recebe a nota máxima pelos seguintes problemas de linguagem e conteúdo:

  • 1) Inicia-se de modo completamente redundante e tautológico. Se o STF é a cúpula do Judiciário obviamente ele é uma instituição jurídica e como tal deve julgar os casos que lhe são apresentados.
  • 2) O fim do primeiro parágrafo é contraditório com o que está assinalado em vermelho no segundo parágrafo: o autor diz que o órgão é político por estar sujeito à opinião pública, mas não deve se sujeitar à opinião pública, pois deve se ater às leis.
  • 3) Segundo o autor o papel de defensor de minorias não está consignado por leis. Logo, ao assumir esse papel, a Corte está extrapolando a lei, o que é outra contradição no raciocínio do autor.
  • 4) O STF tem a função de julgar a constitucionalidade de atos jurídicos desde a primeira Constituição republicana brasileira e não só a partir de 1988, conforme o autor afirma.
Vale notar que as contradições apontadas relacionam-se ao conteúdo, mas não se trata de concordar ou não com as ideias do autor. Trata-se de que a contradição é um problema formal, apesar de intrínseco ao conteúdo. A contradição, portanto, é um erro lógico que não pode deixar de ser levado em conta na avaliação da dissertação.
Apesar dos aspectos negativos apontados acima, o texto tem inúmeros méritos que justificam a nota que lhe foi atribuída: a linguagem em geral não merece grandes reparos, assim como a compreensão e o desenvolvimento dissertativo do tema, sem falar na coesão que o texto apresenta.

Competências avaliadas

As notas são definidas segundo os critérios da pontuação do MEC
Título nota (0 a 1000)
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 160
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 200
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 160
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 200
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 160
Nota final 880

Redações corrigidas

Título nota (0 a 1000)

Os textos desse bloco foram elaborados por internautas que desenvolveram a proposta apresentada pelo UOL para este mês. A seleção e avaliação foi feita por uma equipe de professores associada ao Banco de redações.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012.

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.


PUBLICIDADE