A criação de uma nova cultura longe do estupro

NOTA 7,5

O estupro se configura como qualquer tipo de violência sexual contra mulheres. A cultura machista e patriarcal é o principal precursor desse abuso. Desconstruir esse ideal, propor uma nova educação, realizar manifestações de rua, campanhas e exigir ações eficientes da justiça são fatores que trarão maior segurança às mulheres.

A cada onze minutos uma mulher é estuprada no Brasil, segundo dados do IPEA. Amputados na tese de que as mulheres são inferiores aos homens e isentas de direitos, muitos cometem inúmeras barbáries legitimados por este ideal. O estupro é um crime traumático porque é a manifestação mais elucidativa da estrutura machista que rege o país. No entanto, atualmente essa visão está mudando devido à mobilização das mulheres que através das intervenções políticas vem vêm  revertendo essa questão.

Ou seja, os protestos populares são um mecanismo eficaz de combate ao estupro. Outro fator é a necessidade de construir uma nova cultura que ensine aos homens a cerca acerca da equidade de direitos, além de erradicar mitos tal como o da sexualidade feminina, a maternidade e das funções sociais impostas para reprimir e retirar liberdades.

Diante disso, o estupro é um empreendimento social que agride inúmeras mulheres, por isso é necessário são necessários os trabalhos de base nas ruas que provoca provocam o enfrentamento à violência e canaliza canalizam alternativas para se edificar um novo pensamento e uma nova cultura.

Comentário geral

O texto é bom, mas apresenta um problema grave: uma escolha inadequada de vocabulário, que prejudica o sentido que o autor quer dar às suas afirmações, seja por torná-lo nulo ou absurdo. É pena, porque, de resto, o texto é uma dissertação bem estruturada, que reflete corretamente sobre o tema proposto e demonstra plena compreensão não só do tema, mas do gênero textual dissertativo.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) a palavra precursor soa estranha no contexto. Provavelmente o autor quis dizer que a cultura machista e patriarcal são a base que propicia o estupro, o solo fértil para esse tipo de crime se desenvolver. Precursor, no sentido estrito, é aquele que antecipa determinada coisa ou fato. b) Por ideal, o autor quer dizer mentalidade. Em nenhum sentido o estupro pode ser considerado um ideal, basta consultar o dicionário e conferir o significado dessa palavra.

2) Segundo parágrafo: a) por amputados, o autor deve querer dizer amparados. Amputado significa cortado, decepado, mutilado. O uso inadequado da palavra prejudica toda a frase. O mesmo vai acontecer com barbáries, com que o autor quer dizer barbaridades e com ideal, que já foi comentado. b) O estupro não é traumático pelo motivo que o autor declara. Ele é traumático porque é uma violência brutal, que transforma a vítima numa coisa, violando não só sua integridade física, mas tabém a psíquica. Sem dúvida, ele é o reflexo de uma mentalidade machista, mas não é por isso que ele provoca um trauma. Mais uma vez, o autor deveria consultar o dicionário para entender a inadequação da palavra que usou.

3) Terceiro parágrafo: a) no contexto em que foi usada, a palavra fator pede um complemento, por exemplo, outro fator para essa finalidade (o combate ao estupro mencionado na frase anterior). b) O que o autor quer dizer quando chama de mito a sexualidade feminina e a maternidade? A rigor, isso não é mito: é realidade. As mulheres têm sexualidade e, a maioria delas, torna-se mãe justamente devido à sexualidade. Quanto às funções sociais impostas para reprimir e retirar liberdades, trata-se de uma declaração genérica demais, o que a torna ambígua: a que funções o autor se refere?

4) Quarto parágrafo: a) Empreendimento social? Como assim? Novamente, só resta mandar o autor consultar o dicionário para ele verficar se suas afirmações fazem sentido. b) provocam o enfrentamento: provocar aí não faz sentido. Certo seria falar em trabalhos de rua para enfrentar a violência. c) Canalizar alternativas também é uma expressão ambígua.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 2,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 2,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,5
Nota final 7,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos