A culpa é do governo

NOTA 3,5

O Brasil ano após ano Ano após ano, o Brasil luta para derrotar o mosquito aedes aegypti, já se passou Aedes aegypti. Já se passaram 30 anos de luta, e luta e a questão que não se cala é por que o Brasil não consegue vence-lo, talves vencê-lo? Talvez o porquê do de o Brasil não vencer este esse mosquito seja a forma como o ministério da saúde tratam este Ministério da Saúde trata esse assunto, não dando a ele a devida preocupação atenção.

Pois se sabe como e onde o mosquito se procria procria (em água parada e limpa), então limpa). Então, o principal meio de se evitar a procriação do mesmo sua procriação é não deixar recipientes que possam acomular água, se acumular água. Se dessa forma for feito feito, não haverá local para que o ciclo de procriação do mosquito se complete, consequentemente logo eles estaram estarão controlados.

Mas o governo só elabora campanhas de combate nas estações chuvosas, sabendo que se estas mesmas continuacem elas continuassem durante todo o decorrer do ano ano, as chances de derrotar este mosquito seriam muito maiores.

Mas ao contrario, Mas, ao contrário, eles lidam com seriedade e calma, enquanto foi descoberto que um novo vírus (zika vírus) vírus, o Zika, que o mosquito pode trasmitir esta está causando microcefalia em bebes bebês que ainda estão no utero útero de suas mães. É hora de tomar uma atitude seria séria, medidas de prevenção devem ser tomadas, a concientizasão conscientização da população deve ser prioridade, mas não so durante aestações estação das chuvas, mas sim durante o ano todo, a limpesa limpeza de terrenos vazios, o uso do exército Exército para promover palestras e para dar o exemplo do quanto é importante são importantes estas medidas de prevenção, para mostrar que realmente o Brasil esta está em guerra guerra, mas uma guerra pela a vida.

Comentário geral

Texto fraco, com uma grande quantidade de erros gramaticais (alguns dos quais são crassos) e outros problemas de linguagem. A análise do tema é superficial e o autor apresenta uma solução simplista demais para o problema. Desde o título, joga toda a culpa no governo (que é, sim, parcialmente culpado), mas, contraditoriamente, no parágrafo final, reconhece a culpa da população que precisa ser conscientizada.

Aspectos pontuais

1) Segundo parágrafo: a) Começa com uma conjunção (pois) desnecessária e o recurso inadequado a conjunções para iniciar os parágrafos se repete na redação, denotando o desconhecimento do uso correto das conjunções, assim como a pobreza da sintaxe e do vocabulário do autor. b) Fala em mosquito no singular e depois usa o pronome no plural, o que, em termos de ideia, não é incorreto, mas cria mais um ruído que interfere na comunicação.

2) Terceiro parágrafo: o argumento não é de todo verdadeiro, porque há campanhas em outras épocas. O que acontece é que elas são reforçadas nos períodos chuvosos. Continuacem com C em vez de dois S é grave, pois dá a entender que o autor não saberia grafar corretamente todos os verbos que se conjugassem desse modo.

3) Quarto parágrafo: a) provavelmente, o autor quis dizer tranquilidade e calma. Ao falar em seriedade e calma, por distração, cometeu um erro que o fez cair em contradição. b) Exército para fazer palestras? A sugestão não se justifica, mesmo apelando para a metáfora da guerra, como o autor fez.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 3,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos