A geração que construiu seu partido

NOTA 0,0

Representado pelo projeto de lei 193/2016, o movimento "escola sem partido" alega querer proteger alunos da doutrinação coordenada em escolas de todo o Brasil. Ao longo da história, conflitos foram travados a fim de defender ideias, fronteiras foram construídas e territórios tomados. O conhecimento é a arma mais poderosa, e poderosa e o debate é a sua munição. Sendo assim, a chamada "neutralidade política na educação" apresentaria eficácia contra o senso crítico dos jovens?

Deste modo, controlar o que é dito em sala de aula limita o conceito de lecionar, que deveria ser feito através da troca de conhecimentos. Tamanha é a responsabilidade em defender um ideal, ainda mais tendo a visão focada apenas em um dos lados, a ignorância apresenta perigo para a sociedade. Entretanto, no caso de jovens que dominam o assunto político o ameaçado é o Estado.

Analisando casos da educação sendo controlado controlada, a escola foi palco de divulgação de ideias, onde, distorcendo a realidade, esculpiram a mentalidade de uma geração. Sendo assim, privar restringir o debate político e livre é uma maneira de cultivar uma geração submissa ao que geradores de opinião propagam. Em tempos onde em que adolescentes organizam grupos políticos e discutem questões sociais, o movimento "escola sem partido" seria um retrocesso e mais um motivo para a revolta dessa legião de ativistas.

Comentário geral

Texto insatisfatório. Não é uma dissertação, mas uma coletânea de afirmações avulsas, muitas obscuras ou ambíguas, em que quase nada de objetivo é comunicado ao leitor. O uso das palavras em especial, ou seja, a escolha vocabular que o autor emprega é completamente inadequada para expressar suas ideias com clareza, de modo que o leitor chega a se perguntar se realmente há ideias por trás de frases tão vazias. Há também muitos erros gramaticais. Finalmente, a que geração o autor se refere, seja no título, seja no texto?

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) o projeto de lei não representa a organização Escola Sem Partido, mas é elaborado de acordo com a concepção da educação do movimento. b) O que o autor entende por coordenada? No contexto em que a palavra foi usada, ela não faz sentido. c) Sim, houve muitos conflitos armados ao longo da história, mas o que isso tem a ver com o tema? A declaração parece ter sido feita apenas para justificar a comparação que há depois dela entre conhecimento/debate e arma/munição. d) A pergunta final não faz sentido. É impossível dizer ao certo sobre o que o autor está falando.

2) Segundo parágrafo: a) Não é o conceito de lecionar que está em questão, mas a prática do professor em sala de aula. O conceito não é feito pela troca de conhecimentos. Ele compreende a troca de conhecimentos, a troca de conhecimentos é fundamental no conceito de lecionar, mas, de novo, não é o conceito que vem ao caso. O segundo período do parágrafo é um verdadeiro enigma. Tamanha é a responsabilidade em defender um ideal, ainda mais tendo a visão focada apenas em um dos lados, a ignorância apresenta perigo para a sociedade? Como assim?

3) Terceiro parágrafo: se enquadra no mesmo caso do final do parágrafo anterior. Não se consegue descobrir o que exatamente o autor quis dizer. Parece que ele se esforça tanto para dar nome às coisas de um modo original, que acaba escrevendo de um modo totalmente subjetivo e impenetrável para o leitor. 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 0,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos