A greve dos caminhoneiros

NOTA 3,5

É evidente que a greve dos caminhoneiros, ocorrida no final de maio do presente ano, causou grande transtorno no país. Uma das de suas reivindicações mais importante importantes era a redução no preço do diesel diesel, que tem subido diariamente.

A paralisação começou através de circulação foi convocada pelas redes sociais e teve como consequência o desabastecimento de produtos nas cidades, como alimentos, combustíveis e remédios, e bem como a inutilização de produtos perecíveis como o leite, advindo das fazendas para as indústrias. Estes Eles foram descartados devido a à falta de transporte e muitas cidades sentiram a falta daqueles sua falta.

Houve muitas críticas por parte da sociedade, principalmente de políticos e da mídia, mas teve houve também muitos apoiadores da greve. Entre várias manchetes de jornais jornais houve a do Diário de Pernambuco, em que na capa principal constava a frase cuja capa trazia a manchete "Brasil refém dos caminhoneiros", palco de muitas críticas por parte da população apoiadora da reivindicação.

Os motoristas de caminhões fizeram uma greve pacífica e de acordo com a lei. Em uma Uma pesquisa realizada pelo Datafolha mostra mostrou que 87% da população apóia a parada apoiaram a paralisação. Muitas pessoas e outras categorias de transportes, destacando-se as de táxis e peruas escolares, foram para as ruas também protestarem protestar também. Ruas ficaram desertas, sem carros, e postos que ainda tinham combustíveis com filas enormes.

Entende-se que um acordo entre o Governo pode ser uma melhor solução a ser tomada, a diminuição de impostos abusivos, tanto nos combustíveis como em muitos produtos, em que às vezes passam de 50% os impostos embutidos, tornando caro o preço final. Torna-se necessário também a construção de mais ferrovias no País, pois em muitas regiões não existe, tornando o transporte rodoviário o principal meio para a chegada de produtos em outras regiões. A melhor solução para o problema seria a diminuição dos impostos abusivos, não somente nos combustíveis como também em outros produtos, cujos preços embutem tributos que chegam a passar de 50% de seu valor. Também é necessária a construção de ferrovias, para evitar que caminhões e rodovias sejam a única opção para o transporte de mercadorias em todas as regiões do país.

Comentário geral

Texto fraco, que não pode ser considerado uma dissertação argumentativa, uma vez que seus quatro primeiros parágrafos se limitam à exposição dos fatos: a ocorrência da greve, as reivindicações dos grevistas, as consequências para o país e a opinião de diversos grupos sociais. No entanto, a opinião do autor não é expressa nem defendida por meio de argumentos, como se espera de um texto dissertativo-argumentativo. Apenas no parágrafo final o autor cumpre a exigência de sugerir soluções para o problema, o que faz de modo superficial e confuso, a ponto de o último parágrafo precisar ser completamente reescrito para tornar-se lógico e formal.

Aspectos pontuais

Segundo e terceiro parágrafos: Todos os trechos marcados em vermelho são muito confusos. O autor tenta falar sobre apoio e crítica à greve por parte de diferentes grupos sociais, mas mistura as coisas, atribuindo as críticas aos políticos e à imprensa e falando primeiro de "muitos apoiadores" (aparentemente entre a população), os quais ele só vai deixar mais claro quem são ao citar o Datafolha no parágrafo seguinte. Ele cita a manchete do Diário de Pernambuco e diz que ela foi "palco" da crítica da população. Ora, como a manchete de um jornal pode servir de palco para o que quer que seja? Que sentido faz uma metáfora como essa? Por fim, encerra o quarto parágrafo de maneira que chega a ser contraditória, com ruas desertas e filas enormes nos postos de gasolina. Ora, onde ficam os postos? Nas ruas? Se havia filas, elas não estavam desertas. O autor se expressou mal, não conseguiu dar conta de aspectos diferentes do cotidiano por ocasião da greve.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 3,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos