A importância da intervenção dos pais na vida virtual

NOTA 5,0

Com a expansão do universo digital e com a a facilidade de conseguir informações em questão de segundos, surgiram também muitos problemas relacionados ao bullying, à invasão de privacidade, ao fácil acesso de material pornográfico no meio virtual. E se não for feito nada a respeito disso, o problema continuará se agravando cada vez mais.

Sem a intervenção dos pais, muitos jovens praticam atividades inapropriadas na internet, como compartilhar videos vídeos pornográficos, praticar bullying, e, até mesmo, e até mesmo hackear o computador de suas vítimas e outras pessoas, para roubar informações pessoais entre diversas coisas que também são ilícitas.

A adolescência é um período de transição entre a infância e a vida adulta, um adolescente ainda não compreende o mundo que estará lhe sendo proposto, ou seja, a privacidade ainda é algo que lhe deveria ser proposta apenas na vida adulta, adulta. Já que a fase adolescente essa é uma fase de ensinamentos aprendizado, não é recomendável que um jovem tenha uma vida virtual e social oculta, pois é muito importante a colaboração dos pais para solucionar seus problemas e lhe dar alguns conselhos, broncas repreensões e corretivos (os jovens também devem se responsabilizar pelos seus atos!).

Em suma, a intervenção dos pais é necessária para evitar tais atividades, assim haverão atividades. Assim, haverá menos problemas tanto para os pais quanto para os filhos, pois deve-se educar os jovens hoje hoje, para não sofrermos más consequências no futuro.

Comentário geral

 

Texto mediano. De positivo, há o fato de o autor apresentar uma tese e argumentar para defendê-la. Seu raciocínio é: como o jovem não tem maturidade, não pode ter privacidade para navegar na internet, onde há perigos. Logo, há necessidade de intervenção dos pais para protegê-los. Claro que se trata de uma tese discutível, que se pode apresentar argumentos contrários a ela, etc. Além disso, a explicação que o autor dá para a vulnerabilidade do adolescente é muito superficial. Mas o autor pelo menos soube formular um texto dissertativo-argumentativo com isso. De negativo, há problemas de linguagem, o maior dos quais é a falta da formalidade que se exige de um texto em norma culta. Há ainda expressões inadequadas e ambíguas.

 

Aspectos pontuais

 

1) Primeiro parágrafo: Até que ponto a facilidade de obter informações em segundos, ou seja, a velocidade de acesso à informação, é causa dos problemas decorrentes do uso da internet? O problema não é a velocidade. Era melhor mencionar apenas o fácil acesso ao conteúdo pornográfico.

2) Segundo parágrafo: a frase em vermelho é ambígua, pois dá a entender que as informações pessoais são ilícitas. Ilícito é o modo de obtê-las invadindo computadores alheios. O correto seria colocar um ponto final depois de informações pessoais e suprimir o restante.

3) Terceiro parágrafo: o trecho em vermelho tem problemas de sintaxe e de gramática, a declaração está mal formulada e confusa. O autor quer dizer simplesmente: a) que o jovem não tem discernimento suficiente para navegar sem supervisão na internet, pois pode se expor a riscos; b) que a privacidade só pode ser desfrutada por adultos, que têm esse discernimento.

4) Quarto parágrafo: a conclusão resvala no clichê e não se aplica exclusivamente aos problemas do universo virtual, que são os que o tema da redação focaliza.

 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 5,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos