A oligarquia atual

NOTA 0,0

O direito ao foro privilegiado não é uma invenção atual, tal prática pode ser relacionada aos anos da republica velha que República Velha, quando se tinha a prática do coronelismo, onde em que os coronéis eram pessoas influentes cheias de privilégios, assim como, observamos no cenário atual e isso é um problema.

Esse benefício traz problemas, pois abrange uma grande quantidade de pessoas, que cada dia muda-se mudam-se as estatística fazendo com que, as práticas dessas classes sejam escondidas principalmente pelas mídias e consequentemente sejam pouco divulgadas impedindo assim a conscientização da população.

Esse problema problema, por sua vez, também está longe de ser solucionado já que as mídias ao invés mídias, em vez de divulgar o que se passa diante dos congressos, acabam sendo alienadas por partidos e por grandes pessoas influentes, impossibilitando o vazamento de atos imorais, destacando outros assuntos fazendo com que, acabe na maioria das hipóteses atos não julgados e impune impunes.

Como proposito propósito de tal pratica prática é necessário que a punição para todos sejam rígidas e igualitárias pra seja rígida e igualitária para ambos das classes, assim como também deve-se haver a conscientização da população sobre todas as práticas e reconhecimento das pessoas envolvidas sendo divulgada sua identidade independente da sua pratica prática para que possamos formar uma democracia justa e igualitária.

Comentário geral

Infelizmente, o texto tem problemas muito graves de linguagem e de conteúdo. No âmbito da linguagem, destacam-se os trechos agramaticais, em que é impossível decifrar o sentido das afirmações feitas, de modo que nem se pode corrigi-las. No âmbito do conteúdo, o autor não entendeu o tema. Aparentemente, confunde foro privilegiado com regalias e privilégios de um modo geral. Culpa o que chama de "as mídias" pelo problema, sem ter a mínima noção de que o foro privilegiado é constitucional e que a responsabilidade pela legislação cabe ao Congresso e não aos meios de comunicação. Aliás, o autor também confunde Congresso com congressos, o que já evidencia que ele não tem a menor ideia do que está falando. Não é possível apontar os erros de cada parágrafo em termos de linguagem, considerando que a agramaticalidade é um desvio tão grande dos padrões de uso normal do idioma, que ultrapassa os erros específicos. Enfim, não resta ao corretor nada mais do que atribuir a nota mínima, depois de corrigir os pequenos pontos que podiam ser corrigidos e assinalar em vermelho os que estão definitivamente comprometidos.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 0,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos