A paz numa seringa e a distopia do medo

NOTA 5,5

A pena de morte foi utilizada e ainda hoje é permitida em alguns países, sendo a pena máxima para crimes extremos. No Brasil, diante do aumento da violência e dos índices de mortes, a parcela da população que apoia tal medida apresenta um significativo crescimento, sendo agora pouco mais da metade dos brasileiros. Ao se propor a adoção dessa pena no Brasil, devem ser questionados os efeitos e a sua necessidade no cenário atual.

Segundo as pessoas que apoiam a pena de morte, seriam reduzidos os gastos com a ressocialização de detentos, além da diminuiçãoà a longo prazo – dos índices de violência, levando em consideração o medo de tal punição e o não retorno de assassinos à sociedade.

Por outro lado, pesquisas internacionais revelam que o medo da punição não impede que indivíduos cometam crimes. Além disso, não existe qualquer levantamento quanto aos efeitos dessa pena nos países que à a utilizam.

Outro fato importante é a qualidade do sistema judicial que, hora uma vez ou outra, apresenta falhas processuais e erros de julgamento irreversíveis.

Por fim, o que se percebe é que a adoção da pena de morte no Brasil seria a tentativa de solucionar, de forma fácil e preguiçosa, o problema da violência. Em outras palavras, é mais fácil assustar e matar jovens do que educá-los adequadamente.

Comentário geral

Texto regular. O autor não desenvolve suficientemente suas ideias, acreditando estarem subentendidas várias coisas que de fato não estão. É pena, pois o texto demonstra que ele tem potencial para realizar um trabalho melhor. Usando as próprias palavras do autor, parece que foi ele quem quis desincumbir-se da redação de forma fácil e preguiçosa...

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: o autor fala em questionar os efeitos e necessidade, mas, no desenvolvimento, atém-se aos efeitos e não discute se ela é ou não necessária, apenas dá a entender que não é.

2) Segundo parágrafo: é um equívoco pensar que a pena de morte é uma solução mais barata. Pelo contrário, por ser irreversível, a pena de morte resulta em processos longos, com inúmeros recursos, muitas vezes bancados pelo governo, por falta de dinheiro dos criminosos para pagar advogados e os custos das ações judiciais. Outro equívoco é simplesmente expor a opinião dos que são favoráveis à pena de morte e não chegar a criticá-las, acreditando que basta assumir a posição contrária para mostrar que eles estão errados.

3) Terceiro parágrafo: com base em que o autor afirma que não existem esses levantamentos. Quem pode garantir que eles não existem? Seria preciso apresentar provas disso, com o que o autor sequer se preocupa.

4) Quarto parágrafo: o autor é telegráfico e não esclarece suficientemente o ponto a que ele quer chegar.

5) Quinto parágrafo: a) implantar a pena de morte não seria, em hipótese alguma, uma solução fácil ou preguiçosa, muito pelo contrário. Imagine a responsabilidade que os tribunais precisam ter para condenar alguém à morte. b) O argumento final é pueril. A criminalidade só existe por falta de educação? Basta levar os adolescentes a uma boa escola para que eles não se tornem criminosos no futuro? Difícil crer nisso.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 5,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos