Alimentos transgênicos: perfeição a que custo

NOTA 9,0

Belo Horizonte, 03 de abril de 2018

Senhor Senador,

O uso consumo dos alimentos transgênicos ainda causam causa muito temor à população em geral, dada à pouquíssima informação que ela possui à a respeito do tema; nesse contexto, malgrado a existência de posicionamento divergente, técnicas de controle e alertas aos consumidores sobre o desenvolvimento dessa tecnologia merece merecem ser mantidasmantidos.

Com efeito, quando se fala em aumentar a produtividade agrícola com a inserção de tecnologia de combate às pragas e de fortalecimento dos produtos, o uso de componentes transgênicos sempre é lembrado, sobretudo pelos resultados imediatos que eles trazem ao comercio comércio: frutas e legumes perfeitos, com tamanhos e cores exuberantes exuberantes, capazes de aguçar a vontade do consumidor em adquiri-los, o que, de certo decerto, satisfaz à vontade do mercado.

Não se pode olvidar todavia que, para apresentar o aspecto agradável aos olhos do cliente, o produto sofreu modificação celular genética, com a inserção de outros elementos estranhos à sua composição química natural, logo, natural. Logo, se por um lado ainda não se têm notícias de que há comprovado risco à saúde pelo consumo desses alimentos (pelo menos, isso ainda não veio à tona pela mídia de massa), por outro, tal possibilidade não pode ser afastada, pelo mesmo motivo noticiado mencionado: a falta de comprovação de que o produto é seguro.

Dessa forma, senhor Senador senador, é de se concluir que, enquanto as pesquisas avançam, no sentido de definir se há algum risco à saúde da população com o consumo de alimentos transgênicos, o consumidor tem o direito de continuar sendo informado se o produto que está consumindo foi geneticamente modificado, até mesmo para saber agir diante de aparecimento de doença ou deficiência que pode estar ligada ao consumo desse produto de cuja cuja segurança ainda não foi, por completo, comprovado comprovada.

Respeitosamente,

Cidadão X

Comentário geral

Texto muito bom, com poucos problemas de linguagem, a maioria dos quais de pouca importância. O autor seguiu a forma de carta dissertativa, apresentando argumentos na defesa de seu ponto de vista. Na conclusão, contudo, não chega a solicitar ao destinatário que tome uma posição contrária à aprovação do PLC, o que seria a finalidade básica de uma carta nesse sentido. Mas isso também não é um problema grave. É possível que alguns corretores atribuíssem a essa redação a nota máxima. Merece destaque a forma de tratamento que o autor dá ao destinatário, que é respeitosa e republicana, sem apelar para o tratamento por "Vossa Excelência", ou menções como "ilustre", "digníssimo", etc. que são usadas normalmente no Brasil como um vestígio arcaico de tratamento de autoridades.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: o que exatamente o autor quer dizer com técnicas de controle? Controle de quê? Do uso de transgênicos? Nesse caso, a questão não seria relativa a técnicas, mas a leis.

2) Segundo parágrafo: o argumento é fraco, pois o aluno simplifica a questão: os transgênicos não foram desenvolvidos apenas para dar aparência mais atraentes aos alimentos. Há outras questões, mais importantes, de caráter agroindustrial, envolvidas nisso, como se pode ver pela própria coletânea que acompanha a proposta de redação.

3) Terceiro parágrafo: o parêntese é dispensável. Os riscos não precisam chegar aos meios de comunicação de massa (melhor do que mídia de massa). Se os cientistas ou os políticos tiverem consciência da sua existência, eles mesmos deveriam tomar atitudes éticas em relação ao problema.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 2,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 2,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 2,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,5
Nota final 9,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos