Bandido bom é bandido recuperado

NOTA 3,0

Nosso país passa por uma severa crise financeira e social. Falta de emprego, alta de preços, desvalorização da moeda. Uma pessima péssima educação escolar, principalmente a pública, levando a uma desigualdade social grave.

Não seria desculpa a para uma pessoa que esteja desempregada e, necessita e necessita sustentar sua familia família, entrar na vida do crime, onde "dinheiro fácil", e fácil" é bem vindo. Cada vez mais, jovens sem perspectiva de futuro, integra futuro integram a criminalidade. Seja pela venda de drogas, furtos, assaltos a mão armada, a uma crescente em nosso meios.

Policiais, deveriam proteger e frear essa violência, mas, péssimos salários, despreparo, levam a desvirtuar salários e despreparo desvirtuam seu caminho. Não sabemos distinguir os policias bons dos policiais corruptos os policiais bons dos corruptos. A imagem e é que todos são corruptiveis corruptíveis.

O que disser as dizer das prisões brasileiras, verdadeiras faculdades do crime, em que adianta, prender, para que, não adianta prender pois quando sair de lá, voltara o criminoso voltará a fazer os mesmos atos, mas agora mais consciente.
Porque não, criar mais escolado no crime? Por que não criar meios de reeducar os criminosos nas prisões, dando futuro de melhoras quando sair dando-lhes um futuro melhor depois do cumprimento da pena?. O mesmo para os policiais, melhorias em seu ambiente de trabalho, melhor preparo e salários.

Talvez, a unica solução, seja a única solução sejam mais investimentos em educação, geração de empregos e diminuição da corrupção, que deva ser o maior e mais complexo problema do Brasil. Nosso país arrecada o suficiente, mas os desvios de verbas, pagamentos verbas e os pagamentos de propina sugam os recursos, gerando todos os nossos grandes problemas sociais.

Comentário geral

Texto fraco, em que falta coesão e sobra confusão. Há muitos problemas de conteúdo e de linguagem. De modo geral, o autor faz declarações confusas sobre o tema, sem articulá-las entre si para chegar a uma conclusão. Não desenvolve, portanto, uma dissertação argumentativa.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: O autor mistura problemas atuais (crise econômica) com problemas que afligem o país há muitos anos (educação ruim), sem mostrar que percebe a diferença entre eles, diferenças que pedem intervenções diferentes para solucioná-los. A má educação não leva à desigualdade social, quando muito colabora com essa desigualdade. Mas a frase com um só verbo no gerúndio é incorreta do ponto de vista da sintaxe.

2) Segundo parágrafo: a) o que não seria desculpa? A oração não tem sujeito. b) Será que dinheiro fácil só é bem vindo no mundo do crime? E dinheiro fácil é necessariamente produto do crime? Claro que não: basta perguntar a um ganhador da loteria. c) A última frase em vermelho não faz o mínimo sentido.

3) Terceiro parágrafo: a) à polícia cabe frear a violência e não protegê-la. A proteção se dirige ao cidadão de bem e não à violência. b) Que imagem? Imagem de quem? A palavra imagem requer uma especificação para fazer parte do raciocínio que o autor está tentando enunciar.

4) Quarto parágrafo: O autor formula questões retóricas sem empregar ponto de interrogação, de modo que o parágrafo fica sem sentido. Além disso, o começo do parágrafo é muito confuso, pois o autor faz uma declaração sobre as prisões e abruptamente passa a falar de um eventual condenado a essas prisões, sem mencioná-lo explicitamente. Na frase final inexiste verbo, ou seja, inexiste uma declaração gramaticalmente correta.

5) Quinto parágrafo: a corrupção contribui para os problemas sociais, mas não é a causa única desses problemas.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 3,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos