Caminhos para a igualdade

NOTA 3,5

No que se refere a à terceirização, é possível afirmar que, não que não só será uma forma de retrocesso para os trabalhadores; mas também, será um grande avanço para as empresas.

Relativo a Relativamente à mão de obra terceirizada, podemos ver os direitos dos trabalhadores cada vez menores. O Brasil passou por uma longa luta na ditadura, para que nos dias atuais suas vozes pudessem ser ouvidas. Legalizar tal lei seria como voltarmos a à estaca zero, fazendo toda a nossa luta, para um Brasil mais justo, ser em vão.

Nesse sentido, as empresas conseguem com facilidade aumentar os lucros para suas respectivas empresas. De onde vem esse dinheiro? Muito fácil, do bolso do trabalhador. "O homem é o lobo do homem", fazendo jus a à frase de Thomas hobbies Hobbes, percebemos que a humanidade se preocupa apenas com seus próprios interesses, causando assim sua própria ruína.

O governo, portanto, deve reconhecer que tal lei não beneficia ambos os lados, mas, sim, apenas os empresários em questão. As escolas então, precisam pregar a igualdade, fazendo projetos para os direitos iguais, para que as crianças de hoje, sejam hoje sejam adultos justos amanhã.

Comentário geral

 

Texto fraco, cujo maior problema é a falta de foco. Se o autor introduz o tema no primeiro parágrafo, ele passa a divagar nos dois parágrafos seguintes, falando sobre a conquista de direitos em geral por meio de lutas contra a ditadura e depois fazendo uma divagação sobre o egoísmo da humanidade e citando Hobbes. Essas divagações não servem como premissas para se concluir que o governo deve reconhecer que a lei de terceirização é injusta. A sugestão de que as escolas preguem a igualdade e gerem adultos mais justos pode ser muito bem-intencionada, mas também ultrapassa a questão da terceirização. Tudo isso representa problemas tanto de conteúdo, quanto de estrutura do texto. Soma-se a isso uma linguagem que também padece de erros e deslizes. O texto recebe melhor pontuação na competência 1, pois o texto não chega a ser um desastre em termos linguístico. Igualmente, na competência 4, nota-se que apesar da perda de foco, o aluno se esforçou para construir um texto argumentativo.

 

Aspectos pontuais

 

1) Segundo parágrafo: a) como podemos ver? Que provas o autor dá de sua afirmação? b) As lutas no regime militar foram por direitos democráticos, mais do que por direitos trabalhistas. c) É um exagero enorme dizer que a lei da terceirização significaria o fim de tudo que se conquistou com o fim da ditadura e a redemocratização do país.

2) Terceiro parágrafo: a) As empresas aumentam os lucros das empresas: redundância, tautologia e desconhecimento do uso de pronomes. b) Por uma questão de clareza, melhor seria usar: como disse Thomas Hobbes (hobbies é o plural de hobby), do que fazendo jus ao filsólofo. c) A frase é confusa: a humanidade não se preocupa com a humanidade? O que o autor quer dizer, concordando com Hobbes, é que cada um cuida dos próprios interesses, sem se importar com os outros.

3) Quarto parágrafo: a) o autor está falando de empresários de um modo geral, não de certos empresários, de empresários em questão. b) Projetos tem um significado amplo. A que tipo de projetos escolares o autor se refere? Será que a escola tem capacidade de projetar algo que nem o Estado consegue?

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 3,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos