Topo

Banco de Redações

O UOL corrige e comenta 20 redações. Envie a sua sobre o tema da vez


REDAÇÕES CORRIGIDAS - Fevereiro/2019 Posse de armas: mais segurança ou mais perigo?

Redação corrigida 800

Cidadão armado e combate a [à] violência

Erro Alteração Correção

A flexibilização da posse de armas de fogo é um tema bastante polêmico. Existem dois posicionamentos, o dos que acreditam que o armamento inibirá a prática de crimes e o dos que entendem que a que, com ele, a violência irá aumentar. Estes Esses últimos parecem ter argumentos mais sólidos para demonstrar que o armamento da população não resolverá a questão da segurança pública.

Em primeiro lugar, apesar de as pessoas terem que cumprir uma série de requisitos para adquirir a posse da arma, elas não terão a preparação técnica e psicológica que um policial tem para manusear uma arma, a arma. A consequência é que a existência de armas de fogo em casa aumentará a ocorrência de crimes passionais e por motivos banais e também acidentes (principalmente envolvendo crianças). Por mais que seja necessário manter essas armas em cofres, haverá uma grande dificuldade de fiscalizar se essa exigência está sendo cumprida.

Ademais, pesquisa pesquisas mostram que grande parte das armas apreendidas com criminosos forma adquiridas legalmente e depois extraviadas, furtadas ou roubadas. O resultado será o aumento do armamento dos delinquentes, deixando a população ainda mais vulnerável.

Além disso, percebe-se a transferência para a sociedade de uma obrigação estatal, que é a segurança pública, demonstrando a ineficiência do Governo em cumprir com suas competências.

Por todos esses motivos, vislumbra-se que a flexibilização a flexibilização da posse de armas de fogo não diminuirá a criminalidade, pelo contrário, poderá aumentar os crimes passionais e as mortes acidentais, além de facilitar o acesso de armas pelos criminosos e mostra que o para os criminosos. O Estado tenta tenta, com essa medida medida, se desvencilhar de suas obrigações com a população.

Comentário geral

Texto bom, com linguagem clara e objetiva. O autor sabe dissertar, apresentando argumentos para defender seu ponto de vista. Os problemas pontuais o impedem de obter a nota máxima em quatro das cinco competências.

Competências

• 1) Em termos de linguagem, o texto é bom. O autor sabe expor suas ideias por escrito e não comete erros graves de gramática. Deixa a desejar principalmente em termos de estilo, o que impede que lhe seja atribuída a nota máxima.

• 2) O tema foi bem compreendido e discutido numa dissertação. No entanto, vale notar que o autor diz haver argumentos a favor e contra a proposta, mas limita-se a apresentar os argumentos contrários. Sendo assim, seria melhor que ele nem mencionasse a existência de argumentos a favor e fosse direto ao ponto: sou contra a medida por que a considero ineficaz, pelos motivos que vou expor.

• 3) A argumentação é boa, mas o autor vai perdendo o fôlego à medida em que escreve. Ele desenvolve o primeiro argumento, mas é mais esquemático no segundo e no terceiro.

• 4) O texto preenche completamente os requisitos desta competência, recebendo a pontuação máxima.

• 5) A conclusão é coerente, mas não apresenta sugestões de solução para o problema.

Competências avaliadas

As notas são definidas segundo os critérios da pontuação do MEC
Título nota (0 a 1000)
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 160
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 160
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 160
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 200
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 120
Nota final 800

Redações corrigidas

Título nota (0 a 1000)

Os textos desse bloco foram elaborados por internautas que desenvolveram a proposta apresentada pelo UOL para este mês. A seleção e avaliação foi feita por uma equipe de professores associada ao Banco de redações.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012.

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.