Combate da violência com violência jamais

NOTA 3,5

Desde a Proclamação da República em 1889, o Brasil não utilizou,como punição, a utilizou a pena de morte. Para muitos da população brasileira, tal fato ocasionou o aumento da violência. Outros afirmam que a pena de morte não traz mudança alguma sobre a na violência.

Sendo assim, vê-se que que, ao adotar a pena de morte, corre-se o risco de haver pessoas inocentes sendo mortas. Como casos ocorridos no tempo do Brasil Colônia, onde em que a elite da sociedade não era punida quando cometia algum crime.

Outro fator analisado é que: Também é preciso analisar que o investimento capital para a execução de uma pessoa é muito elevado. Um exemplo é são os Estados Unidos da América que gasta gastam cerca de UU$ US$ 25 milhões por execução. Tendo em vista a atual situação do Brasil nada disso seria possível. Considerando a situação econômica do Brasil, percebe-se que a implantação dessa pena seria inviável para os cofres públicos.

Portanto, para que a violência seja combatida de forma que não precisemos adotar a pena de morte, são necessárias algumas medidas, como Polítiicas Públicas que visam políticas públicas que visem a segurança nas ruas, através de policiamento reforçado nas cidades e operações policiais para a apreensão de quadrilhas. A escola tendo como tema de palestras e projetos o combate a violência. A mídia impondo campanhas ao combate a violência, além de fornecer meios para a denúncia de atos de violência ocorridos. Com isso isso, o Brasil não precisaria combater a violência com violência, como diria disse o filósofo italiano Benedetto Croce: "A violência não é força, mas fraqueza, nem nunca poderá ser criadora de coisa alguma, apenas destruidora".

Comentário geral

Texto fraco, mais por problemas estruturais e de conteúdo, do que por problemas de linguagem, sobre a qual o autor tem um domínio regular. Os motivos de nossa avaliação ficarão mais claros quando expostos pontualmente.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) Claro que é como punição. Não haveria de se usar a pena de morte como prêmio! b) Tal fato se refere à afirmação anterior. Ora, é de duvidar que os apoiadores da pena de morte pensem em termos históricos. Para eles, importa a violência presente, não a passada. Quem sabe ao certo como era a aplicação da pena de morte no Império do Brasil? Talvez alguns historiadores, mas certamente não a maioria dos que são favoráveis à pena capital. c) A introdução está vaga e incompleta. O que o autor quis dizer é que há quem julgue a pena de morte a solução para a violência e que há quem ache que não. Mas o autor se perdeu pensando em referências históricas desnecessárias para introduzir o tema.

2) Segundo parágrafo: a) Sendo assim dá a entender que, levando em consideração o que foi dito antes, corre-se o risco de matar inocentes. Mas o que foi dito antes é que há gente contra e a favor da pena de morte, mas disso não se infere o risco. b) Mais referências históricas incorretas e desnecessárias. Se pensarmos na Inconfidência Mineira, houve punições para a elite, sim. Não houve pena de morte, mas a generalização que o autor fez fala em impunidade das elites. Tomás Antônio Gonzaga, um membro da elite, foi punido com o exílio na África.

3) Terceiro parágrafo: a) começa mal: outro fator analisado? Como assim? Outro fator que o autor está analisando. b) De onde o autor retirou a informação que um condenado à morte nos EUA custa ao erário US$ 25 milhões? Qual é a sua fonte?

4) Quarto parágrafo: as frases em vermelho só contêm formas nominais do verbo (gerúndio e particípio) e fogem à sintaxe da língua portuguesa.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 3,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos