Topo

Educação

Banco de Redações

O UOL corrige e comenta 20 redações. Envie a sua sobre o tema da vez


REDAÇÕES CORRIGIDAS - Novembro/2019 Um réu deve ou não ser preso após a condenação em 2ª. instância?

Redação corrigida 0

Comenta-se que o ex-presidente Lula

Inconsistente Erro Correção

Comenta-se que o ex presidente Lula ex-presidente Lula, no ano de 2016, após a decisão do Supremo Tribunal da Justiça Federal, foi condenado a à segunda instância e foi diante a sua acusação do lava jato de Lava Jato. Ainda mais que vários réus infratores de penalidade penalidades graves devem manter na prisão.

Em primeiro lugar lugar, com 726 mil presos, no o Brasil tem terceira maior população carcerária do mundo, isto é a gravidade de lotações no qual muitas vezes não possuem infraestrutura adequada para receber os condenados.

Além disso disso, o desembargador desembargador, após analisar a sentença, em seguida quando manter mantiver o detido, tornando a cadeia uma escola do crime isso é dificulta o processo de ressocialização dos criminosos.

Por fim fim, conforme o livro A politica "Política", de Aristósteles Aristóteles, acredita que a democracia e ética do ser humano e a felicidade do ser além disso quando aflige a lei da justiça deve cumprir sobre os seu atos.

Mediante a sintaxe, o Ministério Público Federal deve implantar apoio com o ao governo Jair Bolsonaro Bolsonaro, apoio à prisão em segunda instância julgar se condenados devem cumprir pena na prisão ou podem aguardar em liberdade enquanto recorrem aos tribunais superiores assim sendo horas depois o julgamento.

Comentário geral

Lamentavelmente, o texto demonstra apenas uma completa incapacidade de se comunicar por escrito com um mínimo de clareza e correção. Há absurdos linguísticos do começo ao fim da redação, que vão do "condenado à segunda instância", no primeiro parágrafo, ao "mediante a sintaxe", no último. Ninguém é condenado a uma instância, mas por uma instância. E sintaxe, obviamente, não é um dispositivo do Judiciário. Contudo, não se trata só disso: todos os parágrafos têm problemas graves de sintaxe, muitos dos quais tornam as ideias do autor obscuras ou indecifráveis. O leitor até consegue encontrar pequenos trechos que fazem sentido, mas eles acabam se contradizendo. Por exemplo, aparentemente, no início do texto o autor critica a prisão em segunda instância por lotar os presídios brasileiros. No entanto, no fim, ele manifesta apoio à prisão após segunda instância, independentemente da crítica que ele mesmo fez anteriormente. O principal problema do texto talvez seja anterior à expressão linguística: o autor deveria primeiramente examinar claramente suas ideias, organizá-las esquematicamente, para aí então tentar redigi-las.

Competências avaliadas

As notas são definidas segundo os critérios da pontuação do MEC
Título nota (0 a 1000)
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0
Nota final 0

Redações corrigidas

Título nota (0 a 1000)

Os textos desse bloco foram elaborados por internautas que desenvolveram a proposta apresentada pelo UOL para este mês. A seleção e avaliação foi feita por uma equipe de professores associada ao Banco de redações.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012.

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.