Corpolatria

NOTA 9,5

A busca incessante pelo corpo perfeito remonta à Antiguidade e, também, vem ganhando destaque na atualidade. Esse fenômeno, conhecido como corpolatria, é resultado de uma sociedade narcisista e altamente influenciável pela mídia que, por sua vez, impõe um rígido padrão de beleza e aceitação social. Tal padrão funciona como uma ferramenta de discriminação social e pode gerar riscos à saúde, o que justifica, portanto, a necessidade de repensar os limites da vaidade.

Desde a Grécia Antiga, o culto ao corpo tornou-se uma questão tão importante que originou até uma competição grandiosa: os Jogos Olímpicos de Atenas. Nessa competição, o vigor físico e a perfeição corporal tornaram-se critérios de beleza, da mesma forma que, no mundo contemporâneo, essas características são usadas como sinônimos de "status" e, até mesmo, vantagem profissional.

No âmbito profissional, as empresas contratantes usam a aparência como critério de seleção de candidatos, além de controlarem, em excesso, a aparência dos funcionários. Isso ocorre porque as empresas temem que a aparência dos funcionários seja associada, negativamente, aos produtos e serviços oferecidos seus produtos e serviços. Essa cobrança ajuda a explicar as recorrentes intervenções cirúrgicas e outros procedimentos para fins estéticos.

O Brasil, por exemplo, ocupa a segunda colocação no "ranking" mundial de cirurgias plásticas, o que revela a obsessão brasileira pela beleza. Mesmo que os procedimentos estéticos possam melhorar a autoestima de homens e mulheres, vale ressaltar que grande parte desses procedimentos pode causar danos irreparáveis ao corpo e, sobretudo, à mente. Então, é preciso lembrar que o homem deve servir-se do corpo e não servir ao corpo corpo, como é comum em uma sociedade alienada pela indústria da beleza.

Fica evidente, portanto, a necessidade de estabelecer limites à vaidade excessiva através dos meios de comunicação que, em vez de exibirem propagandas de incentivo à magreza e musculação, poderiam divulgar treinos e dietas saudáveis, de fato. Outro fator importante é punir legalmente empresas que discriminam funcionários em função da aparência. Dessa forma, a saúde ocupará o primeiro plano plano, em vez da obsessão pelo físico.

Comentário geral

Texto ótimo, bem escrito, bem estruturado, sem erros significativos, exceto algumas questões pontuais a ser comentadas a seguir.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: cabe perguntar se o vem ganhando é o tempo verbal adequado. Seria, se ele estivesse seguido por um cada vez mais.

2) Segundo parágrafo: os Jogos da Antiguidade grega eram realizados em Olímpia, não em Atenas.

3) Terceiro parágrafo: a) Reescrevendo a frase para não repetir três vezes a palavra aparência. No âmbito profissional, as empresas contratantes usam a aparência, como critério de seleção de candidatos, além de a controlarem em excesso por temerem que a imagem dos funcionários seja associada a seus produtos e serviços. b) É um argumento discutível o de que as pessoas recorrem aos procedimentos para melhorar o corpo por razão profissional. Aparentemente, é a vaidade pessoal que fala mais alto.

4) Quinto parágrafo: em vez de falar em magreza e musculação, que não transmitem a ideia exata que o autor quer passar, ele podia ter usado a expressão perfeição física, que é bem mais abrangente.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 2,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 2,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 2,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 2,0
Nota final 9,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos